Um total de 20 crianças morreram no Rio Grande do Norte no último ano, em virtude da falta de um transplante de medula que deixou de ser oferecido pelo Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Saúde. Os dados são da associação Hatmo-RN (Humanização e Apoio ao Transplantado de Medula Óssea do Rio Grande do Norte).

A última vítima foi José Mendonça, de apenas 12 anos, sepultado na última terça-feira (03). Ele chegou a ser levado para São Paulo, mas devido à demora burocrática, quando chegou lá a medula do doador já estava contaminada.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde informou à InterTV Cabugi e ao G1RN, os transplantes de medula foram suspensos por várias questões, tais como mudanças de equipes técnicas e habilitação vencida. As cirurgias em adultos serão retomadas na próxima semana, mas não há prazo para a retomada dos procedimentos pediátricos.

Comentários do Facebook

Os comentários estão fechados.