Em abril de 2009, o Congresso em Foco noticiou que Fábio Faria embarcou Adriane Galisteu num voo usando uma passagem da sua cota como deputado. Começava a série da farra das passagens. De lá para cá, pouco se fez para punir as irregularidades

Eduardo Militão/Congresso em Foco

“A farra das passagens” foi como ficou conhecida série de reportagens do Congresso em Foco iniciada em março de 2009. Em abril, revelações como o gasto da Câmara para bancar viagens de avião de Adriane Galisteu e outras celebridades repercutiram em todo o Brasil. Parlamentares e ex-ocupantes do Congresso se valeram do expediente de terem à disposição milhares de reais em créditos de passagens para usarem como quisessem.

Só na Câmara, mais da metade dos parlamentares tinha usado as cotas para fazer viagens ao exterior. Até o presidente da Câmara da época, o hoje vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP), usou o benefício para levar a mulher e demais familiares para passear nas praias de Porto Seguro (BA). No Senado, a ex-senadora Heloísa Helena (PSOL-AL), mesmo fora do mandato, pagou passagens para o filho viajar de avião com dinheiro público.

Uma das revelações do Congresso em Foco abriu caminho para a investigação do comércio ilegal de créditos de passagens nos corredores do legislativo. O então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, foi aos Estados Unidos passear com a mulher, mas sua passagens foi paga com uma passagem da Câmara. Entretanto, ele também havia pago à agência de turismo pelo mesmo bilhete, conforme comprovou com o extrato de seu cartão de crédito. Com base no caso concreto, descobriu-se que uma rede de operadores de turismo comprava e vendia cotas dentro e fora da Câmara, obtendo ágios e deságios nas transações.

A série de reportagens rendeu ao Congresso em Foco o Troféu Tim Lopes de Jornalismo investigativo, promovido pelo Prêmio Imprensa Embratel. O site ainda ganhou a honraria de Melhor Contribuição à Imprensa do Prêmio Esso de Jornalismo. Em 2010, a série de reportagens foi escolhida entre as 48 melhores da América Latina e concorreu à premiação promovida pela Conferência Latinoamericana de Jornalismo Investigativo 2010, realizada em Buenos Aires, na  Argentina.

Foto: Ego/Globo

Comentários do Site