Confira a nota publicada pelo próprio George Azevedo na Tribuna do Norte desta quinta-feira, 1º de dezembro.

Foi há exatos dez anos que escrevi a minha primeira coluna aqui na TRIBUNA DO NORTE, no 1º de dezembro de 2001. O tempo voa. Lembro muito bem do “grau” de ansiedade que estava, até porque tinha como missão substituir Chrystian de Saboya. Imagina?! Mas, com o tempo fui me acostumando e o melhor, aprendendo. E como aprendi. Este jornal sempre foi e ainda é a minha grande escola. Certo dia, o nosso editor chefe, Carlos Peixoto, falou; “Não tenha medo de ser você, de escrever leve e fácil. Essa página é sua, tem que ter a sua cara”. Daí pra frente entendi tudo. Outra vez ouvi do próprio Peixoto um comentário que me deixou bem feliz: “George sempre demonstrou profissionalismo e competência no que faz e hoje se constitui de referência em termos de informação de moda no Rio Grande do Norte, aliado a competência como jornalista e colunista social. Ele merece todo respeito e atenção do público leitor da tribuna do Norte”. Brinque!!  Nesse momento tenho também que agradecer ao apoio do amigo Jota Oliveira, que sempre esteve do meu lado, e da chefinha Cinthia Lopes pela “paciência” e pelos toques. Mas, o momento mais importante aconteceu em setembro de 2004 quando me reuni como o saudoso Aluízio Alves para tomar uma decisão importantíssima na minha carreira jornalística. O ex-ministro falou em alto e bom tom: “Acho que já está na hora de você ter o seu espaço de moda aqui no jornal. Hoje em dia, você é muito mais do que um colunista de Mossoró. Você é o homem da moda potiguar. Estou aqui para lhe oferecer uma coluna de moda”. Foi assim que surgiu uma das grandes paixões da minha vida, a coluna Glam. Muitos me perguntam por que não faço festas comemorativas. Não sei… Acho que não gosto de celebrações em torno de mim mesno. Mas os dez anos na Tribuna do Norte e a edição 10 de Glam – olha que coincidência!! – serão festejadas no dia do nosso lançamento de alto verão. Aguardem.

George: Moda é com ele

Os comentários estão fechados.