O ex-governador Geraldo Melo (PSDB), pré-candidato ao Senado Federal, que apareceu na delação premiada da ex-procuradora-geral da Assembleia Legislativa, Rita das Mercês, entre tantos outros políticos, por ter feito uma indicação de uma neta para ocupar um cargo comissionado, prestou o seguinte esclarecimento em suas redes sociais:

“ALTO LÁ – Antes que alguém queira me misturar com essa dolorosa história da Assembleia Legislativa, quero confirmar expressamente que tenho lá uma neta, advogada MARIANA AMARAL DE MELO, que tem na Assembleia o seu emprego e TRABALHA NORMALMENTE.
MARIANA é casada com o também advogado RENATO DUARTE DE MELO.
Ela trabalha e portanto não faz parte de grupinhos que, segundo a delatora, existiriam na Assembleia, com finalidades escusas e criminosas.
O fato de alguém ser neto meu não o proíbe de trabalhar, se tiver competência para desempenhar a função para a qual seja nomeado, como MARIANA tem.
A única coisa que me surpreende aqui é a inclusão do meu nome nessa mixórdia. É uma forma de confundir a opinião pública a meu respeito, e de tentar arranhar a minha imagem de honradez e integridade de que muito me orgulho”.