O ministro do turismo, Henrique Eduardo Alves, visita nesta sexta-feira (22), a cidade de Santa Cruz. Ele vai participar da celebração religiosa de encerramento da festa de Santa Rita. O santuário, localizado a 115 quilômetros de Natal, reúne peregrinos o ano inteiro em torno da estátua de Santa Rita de Cássia, de 56 metros, uma das maiores do mundo. Pousadas, restaurantes e comércio de produtos religiosos dinamizaram a economia local desde a construção do monumento religioso.

A padroeira da cidade, conhecida pela solução das causas impossíveis, nasceu em 22 de maio, data em que os viajantes se encontram na cidade para a peregrinação. Desde 2013, o Ministério do Turismo já repassou mais de quatro milhões para implantar um teleférico ligando a matriz, no centro da cidade, até o alto de Santa Rita. A obra está em execução com a construção das estações de embarque e desembarque de passageiros. O término está previsto para 2016.

Santa Cruz dos Milagres (PI), Bom Jesus da Lapa (BA); Canindé e Juazeiro do Norte (CE) são exemplos de destinos já consolidados pelo turismo religioso. Mais de 17 milhões de brasileiros viajaram motivados pela fé no ano passado. Algumas festas potiguares também atraem romeiros de outros estados. Além de Santa Cruz, Sant’Ana; de Caicó, Santa Luzia; de Mossoró; e Monte do Galo, em Carnaúba dos Dantas. A festa dos mártires de Cunhaú e Uruaçú, em São Gonçalo do Amarante, é outro exemplo da dimensão do turismo religioso no Rio Grande do Norte.