O governador Iberê Ferreira de Souza (PSB) concedeu entrevista na manhã desta quinta-feira (28), ao Panorama Seridó, que é apresentado por Marcos Dantas na rádio Caicó – AM.

Iberê falou sobre vários assuntos. Avaliou desde sua derrota, até a situação em que a governadora eleita Rosalba Ciarlini vai encontrar o Estado.

O blog publica na integra a entrevista de Iberê:

Marcos Dantas – Como será, oficialmente, o processo da transição do Governo?
Iberê Ferreira – Nós já publicamos o decreto criando um grupo de transição. Coloquei a disposição da futura governadora, o espaço na vice-governadoria, pedi pra ela fazer a indicação de até seis pessoas, para que possam devidamente credenciadas para que possamos fazer uma transição transparente, mostrando todos os dados que forem solicitados. A nós interessa passar toda situação real do Estado, para que Rosalba não perca tempo, depois que assumir. Isso faz parte do processo democrático. Lutamos, mas não conseguimos a vitória, a maioria foi a favor de Rosalba e nós, como governador, temos o dever de democraticamente, fazer essa transição com toda transparência possível.

Marcos Dantas – Ela deverá receber um Estado organizado?
Iberê Ferreira – Ela recebe um Estado organizado, mas como a maioria dos Estados e municípios, com dificuldades financeiras. Estamos em uma crise que vem se arrastando desde 2008 até 2010. Nós estamos recebendo o FPE igual as nossas cotas de 2008, veja que de lá pra cá tivemos inflação, aumento do custo de vida, de gasolina, de gás, de energia, de salário mínimo e estamos recebendo a mesma cota. Assim mesmo, este ano nós estamos recebendo até setembro, menos 150 milhões de reais do FPE. É uma situação que não é confortável, é de aperto, mas o RN é um Estado viável e eu confio que reverteremos essa situação.

Marcos Dantas – Você acha que teve pouco tempo para implantar a sua marca no Governo?
Iberê Ferreira – Muito pouco tempo, se bem que em algumas áreas, como segurança, temos convicção de que vamos deixar uma marca positiva. Os próprios indicadores estão mostrando a diminuição da violência, de uma posição mais efetiva da Polícia Civil, com os crimes cometidos, sendo desvendados. O aumento da apreensão de drogas. São dados que mostram que houve uma melhoria no sistema de segurança do Estado. Evidente que nosso desejo era de fazer muito mais. Estamos recuperando e implantando estradas, mas o tempo foi curto e também enfrentamos muitas dificuldades. Não tivemos nenhuma greve. Todas as categorias do Estado tiveram seus planos aprovados. Foram sancionados por mim, estamos pagando e cumprindo todos os compromissos assumidos com o funcionalismo do Estado.

Marcos Dantas – O que você queria muito, mas não conseguiu realizar, na condição de governador?
IberÊ Ferreira – O meu principal sonho era ter tido mais tempo para melhorar a qualidade da nossa educação e saúde. São duas áreas que estão precisando de uma ação mais efetiva e que evidentemente demanda de tempo. São duas áreas que precisam ser olhada com muito carinho pela próxima governadora.

Marcos Dantas – Já deu pra pensar onde e quem errou ou fez com que você perdesse a eleição?
Iberê Ferreira – Eu começo dizendo o seguinte: a vitória tem muitos pais e a derrota sempre é órfã. Mas eu quero assumir a minha derrota. Eu assumo. Não foi ninguém. Eu acho que foram cometidos alguns erros, sou responsável por tudo e não me arrependo.

Marcos Dantas – Quais erros, por exemplo?
Iberê Ferreira – Tivemos pouco tempo de campanha. Enfrentei uma doença, que não possível chegar a visitar todos os municípios, deixamos de visitar cerca de 50 municípios. Por outro lado, as coligações que o nosso grupo fez não nos ajudaram, pelo contrário, criou algumas dificuldades no decorrer da campanha. Mas tudo isso passou, eu só tenho a agradecer a todos os companheiros que foram pra luta. Sou um homem feliz, terminei a campanha e você entra pra ganhar ou pra perder, não tem empate na atividade política. Estou pronto pra dentro do que for possível, ajudar dentro das minhas limitações, ao Estado. Faria tudo outra vez.

Marcos Dantas – Essa atitude de assumir a culpa pela sua derrota seria uma forma de preservar a ex-governadora Wilma de Faria, a quem alguns creditam, de fato, essa responsabilidade, principalmente por ter lhe transferido um governo com muitas dificuldades?
Iberê Ferreira – Não. Eu assumo mesmo, eu raciocinei desde o inicio. Nunca gostei de querer utilizar outras pessoas pelo nosso insucesso. Eu acho que a gente que assumir tanto a vitória como a derrota. Eu faço isso com toda tranqüilidade, não somente para poupar A ou B.

Marcos Dantas – A demora na escolha do candidato da base de Lula, e a saída de Robinson Faria do seu sistema político acabaram prejudicando também sua eleição?
Iberê Ferreira – Toda perda prejudica. Perdemos muito, apesar de não gostar de relembrar erros. Mas por exemplo, a escolha do nosso vice-governador foi muito demorada, e isso entrou aí essa história das coligações, a gente ficou aguardando como seria a coligação e isso prejudicou muito. Mas passou, serve como lição para que a gente possa evitar isso, em outras oportunidades.

Marcos Dantas – O que você espera de Rosalba Ciarlini ao assumir o Governo do Estado?
Iberê Ferreira – Eu não só espero, como desejo que ela faça um bom governo, afinal de contas nós moramos no Rio Grande do Norte, conhecemos os problemas e temos familiares morando aqui e queremos ver o RN crescer, já que é potencialmente rico. Está precisando muito de ter uma administração que seja realmente voltada para os interesses maiores do Estado. Eu desejo que Rosalba possa atender a expectativa do eleitorado que votou, na sua maioria, no nome dela para o Governo do Estado.

Marcos Dantas – O que você pensa em fazer a partir de janeiro, quando deixar o Governo?
Iberê Ferreira – Eu não estou muito preocupado com isso. Minha principal meta agora é concluir meu mandato, cumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal, enfrentando essas dificuldades todas. Vou deixar o tempo passar um pouco, mas vou ficar acompanhando toda a movimentação política e cuidar um pouco também das minhas atividades particulares. E vou ficar na expectativa vendo oportunidade de poder continuar participando, ou como candidatou ou ajudando, já que quero continuar militante no meu partido.

Marcos Dantas – Você vai assumir o comando da oposição à Rosalba?
Iberê Ferreira – Farei uma oposição sim, mas não quero assumir o comando da oposição. Vou fazer uma oposição responsável, que não seja raivosa e nem radical. Mas evidente que eu tenho a responsabilidade, pelo fato de ter disputado com ela, de acompanhar e de fazer oposição, naquilo que eu achar que ela esteja errada.

Os comentários estão fechados.