Informações da Folha de São Paulo

O desenho da Esplanada dos Ministérios do presidente eleito Jair Bolsonaro ganhou contornos finais ontem, indicando uma redução à metade das atuais 29 pastas.

Para efetivar o enxugamento da máquina, os aliados do capitão reformado optam por fusões de pastas.

Além do superministério da Economia, sob o comando do economista Paulo Guedes, que reunirá as atribuições hoje delegadas à Fazenda, Planejamento e Ministério da Indústria e Comércio Exterior, haverá, por exemplo, as superpastas da Justiça e da Integração Nacional.

Comentários do Facebook

Os comentários estão fechados.