A chapa composta por Louvado (PSD) e Rodriguinho (PSD), candidatos a prefeito e vice, respectivamente, no município de Taipu, está por um fio.

O que acontece é que Taipu teve nos últimos oito anos vice-prefeitos que fazem parte do mesmo núcleo familiar do postulante a vice; a ex vice-prefeita Leônia Maria Ferreira de Queiroz e seu filho, Marcelinho, que é o atual vice do prefeito Bastinho da Campel (MDB) e que nesta campanha é apoiador da chapa adversária.

Rodriguinho tem parentesco de segundo grau por afinidade com Leônia, avó de sua companheira por União Estável, Larissa Queiroz, neta da ex vice-prefeita, E sobrinha do vice Marcelinho, configurando assim a inelegibilidade ao cargo.

De acordo com a Constituição Federal, os candidatos aos cargos majoritários poderão ser reeleitos para um único período subseqüente. “São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção”.

Dessa forma, o nome de Rodriguinho como candidato a vice-prefeito poderá ser impugnado pela Justiça, que foi acionada nesta terça-feira pelo prefeito e candidato à reeleição, Bastinho da Campel (MDB).

O detalhe do processo é que o candidato a vice Rodriguinho sendo considerado inelegível pela justiça, toda a chapa sofrerá punição, porque o prazo para substituição de nome em chapas majoritárias encerrou nesta segunda.