Nota da deputada Larissa Rosado:

Há quase dois anos os/as trabalhadores/as do Estado vivenciam uma situação de incerteza em relação ao pagamento dos salários, o que acaba de acarretar uma precarização do serviço público que afeta grande parte da população do Rio Grande do Norte. Manifesto meu total apoio a esses servidores que, de forma legítima promovem mobilizações em defesa de seus direitos.

Para além de reafirmar nosso apoio, queremos repudiar a forma com que o Governo do Estado vem tratando os servidores. Reforçamos a necessidade da abertura de diálogo constante, não só com a Saúde e professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte(UERN), categorias que ocuparam nesta terça-feira (14), a Governadoria, em Natal, mas, com todas os servidores do Estado.

Dessa maneira, nos solidarizamos aos trabalhadores/as e nos colocamos em unidade pela luta dos servidores públicos potiguares pela manutenção de direitos, pela democratização dos serviços, pelo respeito aos/as profissionais, por salários decentes, por condições dignas de trabalho.

Nota do deputado George Soares:

Manifestamos nosso total e irrestrito apoio aos servidores estaduais, em sua justa, legítima e necessária mobilização, que visa unicamente a defesa de seus direitos trabalhistas, diante do inaceitável quadro de incertezas e atrasos quanto ao recebimento de seus salários.

Esse problema, que já perdura por dois anos, vem provocando a precarização dos serviços públicos em nosso estado e impingindo aos servidores e suas famílias sofrimentos inadmissíveis, com perda de qualidade de vida, expectativas e esperanças.

Deixamos claro, ainda, nosso repúdio à forma como foram tratados os servidores da Saúde, da UERN e de outras categorias, durante protesto em frente à Governadoria, na última terça-feira, dia 14. Nada se pode esperar de bom quando se substitui o diálogo por jatos de spray de pimenta e o bom senso pela truculência.

Temos como certo e justo que cabe ao Governo do Estado cumprir seu papel institucional, com a apresentação aos servidores de respostas concretas e rápidas, visando a solução dessa malfadada crise, com base no diálogo e nunca no enfrentamento. A UERN nos une!