Até ontem, Mossoró contava com 53 pacientes com Covid-19 internados na rede de saúde pública, dos quais 27 são de outros municípios.

 Ou seja, mais da metade dos leitos.

Só em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) são 16 de Mossoró e 17 de cidades vizinhas.

Com isso, Mossoró tem a sua rede hospitalar sobrecarregada, dificultando o atendimento e preenchendo rapidamente os leitos disponíveis.

Nesse sentido, faz-se necessária a reestruturação dos hospitais regionais nas cidades próximas, além da implementação de medidas já adotadas pelo Município, como barreiras sanitárias e maior rigor na fiscalização de estabelecimentos e pontos de maior fluxo, diminuindo o risco de contaminação. Aliado a isso, a ampliação dos leitos de responsabilidade do Governo do Estado.

Segundo informações da Central de Regulação de Leitos, pela necessidade crescente de pacientes de outros municípios, e mesmo com Mossoró chegando a controlar a curva da pandemia, a cidade deve vivenciar o pico da contaminação dos cerca de 70 municípios da região, que são destinados a Mossoró para tratamento da Covid-19. “Mossoró chega a receber até pacientes do Ceará, como é o caso de Icapuí”, complementa a secretária de Saúde, Saudade Azevedo.