Luciana Rossetto
Do G1, em São Paulo

Nem as mulheres mais lindas ganham concursos de beleza apenas com graça na passarela e corpo perfeito: todas exibem maquiagem e cabelo especiais. Cães preparados para disputar exposições vivem a mesma rotina, com horas de tosa até chegar a uma pelagem perfeita e muita maquiagem para ressaltar os pontos fortes. O G1 acompanhou a preparação dos animais para uma exposição internacional do Kenel Clube São Paulo, realizada nos dias 15 e 16 de outubro.

Seis horas antes da disputa, a poodle grande Gigi da Maia já começava a ser preparada. O handler Divonei Rasera acertou os últimos detalhes da tosa do corpo e investiu no penteado padrão, em formato de leque. O esforço foi reconhecido e Gigi conquistou o primeiro lugar na 61ª Exposição Pan-Americana.

“Ela não fica o tempo todo na mesa de preparação. Costuma fazer intervalos para brincar, comer, mas já está tão acostumada com as competições que até dorme enquanto trabalhamos nela. Ela tem até um travesseiro”, afirma Rasera, que tem a função de cuidar de Gigi e acompanhá-la nas exposições.

“Não existe cachorro perfeito, todos têm detalhes que precisam ser melhorados para ressaltar a beleza deles na pista. É como uma Miss Brasil sem maquiagem, não teria graça. No critério de desempate, o cão mais bem arrumado faz a diferença”, explica o handler Claudio Cruz, responsável pelo pug Bahuan, do canil Piffer. O cão também recebe maquiagem no pelo curto para disfarçar calos e pequenas imperfeições.

Fotos: Raul Zito/G1