No início da noite deste sábado (19), o Rio Grande do Norte perdeu um dos seus ícones da cultura popular.

A romanceira Militana Salustino do Nascimento, conhecida como Dona Militana, faleceu aos 85 anos, vítima de problemas relacionado a velhice.

Dona Militana nasceu em 19 de março de 1925, no sítio Oiteiros, comunidade de Santo Antônio dos Barreiros, em São Gonçalo do Amarante.

Conhecida pelas cantorias, a romanceira também cantava modinhas, coco, xácaras, moirão, toadas de boi, aboios e fandangos.

DONA MILITANA FOI RECONHECIDA NACIONALMENTE

Após tomar conhecimentos dos cantos de Dona Militana, o folclorista Deífilo Gurgel, fez com que a romanceira mostrasse o seu trabalho ao Brasil inteiro.

A romanceira chegou a lançar o CD “cantares” em São Paulo e Rio de Janeiro.

Em 2005, ela chegou a receber das mãos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Comenda Máxima da Cultura Popular, em Brasília.

Foto: Canindé Soares

Dona Militana