A candidata Magna Letícia reage aos relatos de articulações da advogada e atual chefe do Gabinete Civil do Estado, Tatiana Mendes Cunha, para favorecer o candidato Paulo Coutinho na eleição para a OAB/RN. A interpretação é de que está havendo uma mobilização dentro do Governo do Estado para beneficiar Coutinho: “É uma tentativa indevida de influir no resultado do pleito que diz respeito somente aos advogados”.

“É lamentável que tenhamos conhecimento de atitudes como essa, que sinalizam para a utilização descabida de um Poder constituído. Não é descabido apenas porque o Governo é institucionalmente alheio às questões inerentes aos advogados. É descabido também porque evidencia um enorme desperdício de energia num momento crítico em que vive o Estado”, define a líder da Chapa 20. “O próprio Governo apregoa estar enfrentando um quadro de crise e, nesse contexto, não vejo como correto um de seus quadros mais destacados voltar seus esforços para questões que não visem exclusivamente a solucionar os problemas da administração estadual”.

A candidata a presidente da OAB também que vê no episódio um risco à independência que a entidade dos advogados deve preservar em relação a outras instituições, sejam do Poder Público ou da iniciativa privada. “Estamos nos posicionando em consonância com outros advogados. Nossa própria candidatura é fruto dessa interação e reflete o desejo dos advogados potiguares de terem uma OAB mais atuante e mais presente em relação às suas necessidades, agindo em harmonia com todos os Poderes da nossa sociedade, mas sem se submeter à tutela de nenhuma delas. Envolver outras instituições nas questões internas dos advogados é comprometer os anseios dos profissionais, que não aceita mais uma OAB distante e omissa em relação às necessidades da advocacia”, avalia Magna Letícia.

z

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. Victor

    Conhecendo Dra. Magna Letícia, não é do feitio dela esse tipo de nota. Precisa ter muito cuidado com o que é publicado para não incorrer em erro que possa prejudicar.