Sem categoria

Esposa de João Maia parabeniza a governadora Rosalba

Pelo twitter, a esposa do deputado federal João Maia, Fernanda Maia, parabeniza a senadora-governadora-aniversariante, Rosalba Ciarlini.

@nandamaia2222: @RosalbaCiarlini Governadora parabéns , td de bom ! Que Deus te ilumine ! Bjss

Fernanda, como sempre, gentil e educada.

Sem categoria

Pai de Rosalba tem alta hospitalar

No dia do seu aniversário, a governadora eleita Rosalba Ciarlini, não tinha como receber presente melhor…e veio de Deus.

Seu pai, Clóvis Ciarlini, teve alta hospitalar no final da tarde.

A Rosa está feliz da vida com a boa notícia.

Sem categoria

Viva a Rosa…do povo

A ilustre aniversariante de hoje, é a governadora eleita, Rosalba Ciarlini.

Como diz o cantor Xandy, da Banda Aviões do Forró, “A nossa Rosa”.

E como eu digo… “A Rosa do povo”.

Rosalba é uma MULHER FORTE DE VERDADE, COM CORAGEM E COM AÇÃO.

Aqui fica o nosso registro, além dos votos de saúde, paz e muuuuuuuuuuuuuito trabalho, pra fazer o Rio Grande do Norte acontecer de verdade.

E viva a Rosa.

Sem categoria

O que conversaram o Papa e o Pastor na Peixada da Comadre?

No início da tarde desta segunda-feira (25) foram vistos almoçando em uma mesa reservada do Restaurante Peixada da Comadre, em Natal, o Papa-Jerimum e o Pastor.

O que conversavam tanto?

Ninguém sabe…é um mistério, assim como foi a conversa do Papa com Raimundo Fernandes.

O que se sabe é que o assunto passou pela Presidência da Assembleia.

E quem foi o confessado?

Sem categoria

Dificilmente Micarla contará com o apoio de Rosalba e Agripino, em 2012

Pelos acontecimentos dos últimos dias, dificilmente a prefeita de Natal Micarla de Sousa (PV) contará com o apoio da governadora eleita, Rosalba Ciarlini (DEM) e do senador reeleito, José Agripino Maia (DEM), na sua candidatura a reeleição, em 2012.

Micarla aliou-se a Dilma Rousseff (PT), o que já dificulta a presença de Agripino no palanque da Borboleta.

E outra: a participação de Micarla na campanha de Rosalba foi mínima.

Neste momento, com a administração pra lá de desgastada, MICARLA é uma espécie de TIRA VOTO de qualquer candidato.

Sem categoria

DEM já começa a se afastar de Micarla

Já começam a surgir os primeiros sinais de afastamento dos Democratas com a prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV).

Demétrio Torres é um dos poucos cargos indicados pelo DEM na administração municipal de Natal.

Vai sair…nos próximos dias.

Sem categoria

Demétrio Torres vai pedir exoneração da Secretaria de Obras de Natal

Fiel escudeiro do senador reeleito José Agripino Maia e amigo do primeiro-cavalheiro Carlos Augusto Rosado, o engenheiro Demétrio Torres está prestes a deixar a Secretária de Obras da Prefeitura de Natal.

Além de ser nome certo na equipe de transição do Governo de Rosalba, Demétrio deverá ser Diretor do Departamento de Estradas e Rodagens (DER).

Uma coisa é certa: competência ele tem.

Foto: Elpídeo Junior

Sem categoria

Os perigos do cigarro e anticoncepcional

O tabagismo pode gerar bronquite crônica, enfisema pulmonar, câncer de pulmão e está associado a tumores em outras partes do corpo. Hoje, o fumo é considerado a principal causa de mortalidade passível de prevenção, já que dar o primeiro passo em direção ao vício é uma questão de escolha. Mas são principalmente as mulheres que devem ter cuidado redobrado na hora de se arriscar por um trago de fumaça. A combinação das substâncias tóxicas presentes no cigarro com o uso da pílula anticoncepcional pode se transformar em uma armadilha perigosa, dizem especialistas.

O cigarro em si já representa uma série de riscos para o organismo dos fumantes ativo e passivo. Sua composição, no entanto, altera a parte cardiovascular e, por isso, prejudica o sistema circulatório. A pílula anticoncepcional, por sua vez, também gera modificações nesta região e a junção dos dois resulta numa mistura com sérias consequências para a saúde. “O fumo prejudica a parte vascular e o anticoncepcional também. Quando eles estão associados, há a somatização do problema“, diz a ginecologista e mastologista Elizabeth Brandão, da Policlínica Piquet Carneiro, no Rio de Janeiro.

O estrogênio, um dos hormônios presentes na pílula, provoca a produção de ateromas, placas compostas por lipídios e tecido fibroso que se formam nas paredes dos vasos sanguíneos. “Esse hormônio, que não é o mesmo fabricado pelo organismo, tem ação aterogênica, ou seja, há a formação das placas, que são responsáveis pelo infarto e pelo Acidente Vascular Cerebral (AVC). Além disso, a pílula gera uma modificação nos lipídios, nos triglicerídeos e no colesterol da mulher. O fumo piora a situação, causando inflamações que serão o estopim para os ataques”, explica o ginecologista Renato Ferrari, que também é professor do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (UFRJ).

A associação entre os componentes pode resultar em uma série de complicações, mas Elizabeth lembra que elas são mais comuns em mulheres adultas. “Infartos e AVC são problemas mais frequentes em mulheres a partir dos 30 anos. Em mulheres mais jovens, os problemas mais comuns são o surgimento de varizes e problemas circulatórios, o que não elimina o aparecimento de doenças mais graves”, conta a especialista, que chama a atenção para mulheres que sofrem de hipertensão: “Em casos de problemas de pressão, como a hipertensão, a probabilidade do surgimento de complicações é muito maior. Quando o grau de risco da hipertensão é mais alto, o cardiologista pode vir a proibir o uso da pílula anticoncepcional, já que ela altera o sistema vascular”. O ginecologista Renato Ferrari faz a mesma restrição a pacientes com excesso de peso. “Mulheres obesas apresentam mais placas de aterosclerose e, se ainda forem fumantes, não podem fazer uso da pílula“, alerta ele.

Fonte: MSN/Mulher

Sem categoria

Democratas e tucanos participam de comício de Serra no Rio de Janeiro

Em caminhada realizada na manhã do domingo (24), pela orla de Copacabana, no Rio de Janeiro, milhares de pessoas se reuniram em desagravo a Serra. Entre os participantes do ato, a governadora eleita Rosalba Ciarlini, o senador José Agripino e os deputados federais Felipe Maia, mais o tucano Rogério Marinho.

A praia de Copacabana parou para ouvir o candidato tucano.“A campanha de Serra tomou proporções não antes imagináveis em todos os estados do Brasil. Este sentimento de euforia tem sido comprovado pelos amigos de coligação em todo o país”, comentou Felipe Maia.

Após participarem da mobilização, os democratas Rosalba Ciarlini, José Agripino e Felipe Maia estiveram no município de Assú onde promoveram uma movimentação a favor de José Serra.

Foto: Igo Estrela/Obrito News

Itamar Franco, Rosalba, Aécio Neves, Serra e Alckmin

Sem categoria

Wilma e Carlos Eduardo juntos por Dilma

Neste domingo (24), o time de Dilma Rousseff (PT), fez uma carreata em Natal, que cruzou as zonas Sul, Leste e Oeste da cidade.

Fátima Bezerra, Fernando Mineiro, Márcia Maia, Carlos Eduardo, Wilma de Faria, Jaime Calado e Hugo Manso…todos juntos por Dilma.

Carlos Eduardo e Wilma, isso mesmo…JUNTOS.

A carreata que saiu de Cidade Jardim, às 13h, percorreu os bairros de Nova Descoberta, Morro Branco, Tirol, Petrópolis, Praia do Meio, Praia dos Artistas, Cidade Alta, Rocas, Alecrim, Bom Pastor, Dix Sept Rosado, Felipe Camarão e Cidade Nova, terminando em frente ao ginásio de esportes da Cidade da Esperança, depois das 16h.

Foto: Divulgação

Sem categoria

Vivaldo comemora seu aniversário e o de Rosalba, em Caicó

O deputado estadual eleito, Vivaldo Costa (PR) é o aniversariante do próximo dia 1º de novembro.

Para comemorar a data, sua assessoria já está organizando uma missa em Ação de Graças, que será celebrada às 18h, na Praça do Hospital do Seridó, em Caicó.

A missa também será celebrada em Ação de Graças pelo aniversário da governadora eleita, Rosalba Ciarlini (aniversariante de amanhã), que já confirmou presença.

Após a missa, haverá um carnaval fora de época pelas ruas de Caicó, com 3 bandas em cima do trio.

OBS: As bandas serão anunciadas brevemente.

Sem categoria

Seis em Ponto no verão

Fiquei sabendo de uma notícia ótima durante o final de semana…

O Seis em Ponto Bar e Petiscaria estará bombando no Verão 2011.

Os primos-proprietários, Pedro Gurgel e Carlinhos Fernandes, ambos caicoenses (tinham que ser…rsrsrs), decidiram o bom serviço na praia mais badalada do veraneio…Pirangi.

O Seis em Ponto vai funcionar no local ocupado pelo Pitanga Beach, ano passado.

O blog com certeza vai ser freqüentador oficial.

Sucesso a turma…SEIS EM PONTO.

Sem categoria

Wilma sobre o filho Lauro: “Ele só fez o bem”

A ex-governadora Wilma de Faria (PSB) concedeu uma entrevista neste domingo (24), a jornalista Anna Ruth Dantas, para Tribuna do Norte, o blog faz questão de reproduzir alguns trechos da entrevista.

Antes mesmo de qualquer cumprimento, já é possível perceber algumas diferenças da Wilma de Faria governadora, cargo que ocupou durante sete anos, para a Wilma de Faria ex-governadora. Ela chega pontualmente no horário marcado para a entrevista, diferente dos atrasos que chegavam a quase uma hora. Longe dos muitos assessores, hoje quem acompanha a líder do PSB é apenas a secretária.

Atenciosa, cumprimenta as poucas pessoas que estavam presentes à sede do PSB e logo parte para o gabinete, onde em seguida concede a entrevista. Fala com naturalidade da derrota, demonstra irritação ao dizer que não vai comentar as declarações do deputado federal João Maia. O parlamentar do PR creditou parte da derrota do governador Iberê Ferreira nas urnas ao fato dele ter “herdado uma delicada situação financeira”.

Embora afirme que não analisará a declaração de João Maia, Wilma de Faria dá uma pista do que pensa sobre o assunto: “Realmente existe uma coisa que ninguém quer ser pai e nem mãe de derrota, querem é encontrar uma pessoa que seja pai e mãe de derrota”, observa. A ex-governadora diz que agora poderá se dedicar mais à vida pessoal e ao partido.

Ela ainda demonstra certo desconforto ao falar da derrota, mas não deixa a provocação feita pelo senador Garibaldi Filho sem resposta. No último domingo, o peemedebista afirmou que o placar está 3 a 1 para ele, em relação a Wilma de Faria. “Mas em 2006 foram duas vitórias”, diz a líder do PSB.

O único momento na entrevista em que ela baixou a cabeça e fixou o olhar apenas no papel que estava na mesa foi quando o questionamento se referiu ao filho, Lauro Maia, que é réu no processo da Operação Higia. Wilma de Faria disse acreditar na inocência e defendeu: “Ele só fez o bem”.

Depois da campanha e de ter viajado para descansar, o que a senhora fará a partir de agora?
É um recomeço. Como se diz popularmente a vida é cheia de recomeços. Estamos agora recomeçando uma nova etapa. Quem entra no jogo democrático e se apresenta a população como candidato, como líder, sabe que podemos ter vitórias e derrotas. Já tive muitas vitórias. Nesses últimos anos, seguindo cinco anos que passei na prefeitura, mais um ano de campanha e mais sete anos no governo, são 13 anos trabalhando sem ter férias. E um pouco dos 13 anos longe da presidência do partido. Até quando assumi o governo do Estado queria me afastar da presidência, mas ninguém quis, todos quiseram que eu continuasse, mas foi difícil para mim cuidar do partido. Terei oportunidade agora de cuidar da minha vida pessoal, cuidar da minha vida profissional. Vou ter oportunidade também de cuidar da vida do meu partido, que presido no Rio Grande do Norte. Vou fazer todo esse recomeço.

Quem é o pai ou a mãe da sua derrota?
Isso foi uma decisão popular. A gente tem que aceitar, por isso, que quero continuar servindo ao povo na oposição. Foi para isso que o povo me elegeu hoje.

O senador Garibaldi Filho concedeu uma entrevista, publicada na TRIBUNA DO NORTE, e fez uma conta: 3 a 1 para ele, em relação à senhora.
Depende da conta que for feita. Não quero fazer essa disputa com ele. Mas em 2006 (quando ela disputou o primeiro e segundo turno com Garibaldi Filho para o Governo) ele perdeu duas vezes.

Com quem foi sua disputa?
A disputa foi entre aqueles que queriam dar continuidade a esse país que está crescendo, distribuindo renda e aqueles que trabalharam contra, aqueles que não querem. Não dá para numa entrevista como essa, mal terminamos a campanha, já estamos em outra campanha. Não tivemos condições de reunir os deputados, reunir o partido, fazer um estudo sobre tudo que aconteceu. Seria precipitada se fosse fazer diagnóstico dessa derrota. Só poderíamos falar daqui a 30 dias, depois que terminar essa campanha. Nós estamos em plena campanha ainda. O jogo democrático continua.

Nesse momento a senhora já visualiza a Prefeitura de Natal?
Não. Não tem nada disso. Se eu vou continuar na vida pública é uma decisão minha. Vou continuar. Agora se vou disputar um mandato eletivo já não é mais uma decisão minha, será uma decisão coletiva.

Depois de sete anos na gestão estadual, o que a senhora deixou para a governadora eleita Rosalba Ciarlini fazer?
O que precisa ser dado continuidade é com relação a melhoria dos serviços públicos na área da saúde e segurança. Nós temos no Brasil grandes problemas nessas áreas. Depois que a classe média deixou a saúde e passou a ter plano de saúde, deixou a escola pública, passou a colocar os filhos na escola privada, sofremos uma mudança. No Governo de Fernando Henrique Cardoso foi mais preocupação em universalizar ensino fundamental, mas a qualidade ficou de lado. O Governo Lula foi que começou a fazer avaliações para ver a qualidade do ensino e a partir daí começou então a ter preocupação de todos em relação ao serviço público importante e o instrumento de mudança como é a educação. O meu governo e o governo Iberê deixarão muitos recursos para dar continuidade a obras de saneamento, de infra-estrutura, como o parque da cidade de Mossoró, vamos deixar muitos recursos para 10 centros profissionalizantes.  Há muitos recursos para dar continuidade a investimentos.

A senhora se arrepende de não ter sido candidata a deputada federal, já que poderia estar eleita?
Se eu pensasse só em mim eu teria sido candidata a deputada federal, faria mais dois deputados federais da coligação. No entanto, pensei no povo do Rio Grande do Norte. Ofereci uma disputa. Se não tivesse sido candidata a senadora já havia nomeação de Garibaldi e José Agripino como senadores. Permiti a disputa e a opção.

Como a senhora acompanha o desdobramento da Operação Higia envolvendo seu filho Lauro Maia, que é réu no processo?
É natural, quero que isso seja feita imediatamente. Ele foi acusado antecipadamente por setores da imprensa. As pessoas especulam isso. É interessante que se faça justiça e ele mostre que está com a verdade. Não tem prova contra ele, nenhum mal ele fez. Ele só fez servir e o bem a população.

A senhora trabalha a indicação da deputada Márcia Maia para conselheira do TCE, fazendo Lauro Maia (que é primeiro suplente) ganhar foro privilegiado?
Não existe nada sobre isso. É especulação. Não tem nada definido em relação a isso.

Foto: Arquivo

Sem categoria

Carta aberta de Fernando Henrique Cardoso a Lula

O presidente Lula passa por momentos de euforia que o levam a inventar inimigos e enunciar inverdades. Para ganhar sua guerra imaginária, distorce o ocorrido no governo do antecessor, autoglorifica-se na comparação e sugere que se a oposição ganhar será o caos. Por trás dessas bravatas está o personalismo e o fantasma da intolerância: só eu e os meus somos capazes de tanta glória. Houve quem dissesse “o Estado sou eu”. Lula dirá, o Brasil sou eu! Ecos de um autoritarismo mais chegado à direita.

Lamento que Lula se deixe contaminar por impulsos tão toscos e perigosos. Ele possui méritos de sobra para defender a candidatura que queira. Deu passos adiante no que fora plantado por seus antecessores. Para que, então, baixar o nível da política à dissimulação e à mentira?

A estratégia do petismo-lulista é simples: desconstruir o inimigo principal, o PSDB e FHC (muita honra para um pobre marquês…). Por que seríamos o inimigo principal? Porque podemos ganhar as eleições. Como desconstruir o inimigo? Negando o que de bom foi feito e apossando-se de tudo que dele herdaram como se deles sempre tivesse sido. Onde está a política mais consciente e benéfica para todos? No ralo.

Na campanha haverá um mote – o governo do PSDB foi “neoliberal” – e dois alvos principais: a privatização das estatais e a suposta inação na área social. Os dados dizem outra coisa. Mas os dados, ora os dados… O que conta é repetir a versão conveniente. Há três semanas Lula disse que recebeu um governo estagnado, sem plano de desenvolvimento. Esqueceu-se da estabilidade da moeda, da lei de responsabilidade fiscal, da recuperação do BNDES, da modernização da Petrobras, que triplicou a produção depois do fim do monopólio e, premida pela competição e beneficiada pela flexibilidade, chegou à descoberta do pré-sal.

Esqueceu-se do fortalecimento do Banco do Brasil, capitalizado com mais de R$ 6 bilhões e, junto com a Caixa Econômica, libertados da politicagem e recuperados para a execução de políticas de Estado.

Esqueceu-se dos investimentos do programa Avança Brasil, que, com menos alarde e mais eficiência que o PAC, permitiu concluir um número maior de obras essenciais ao país. Esqueceu-se dos ganhos que a privatização do sistema Telebrás trouxe para o povo brasileiro, com a democratização do acesso à internet e aos celulares, do fato de que a Vale privatizada paga mais impostos ao governo do que este jamais recebeu em dividendos quando a empresa era estatal, de que a Embraer, hoje orgulho nacional, só pôde dar o salto que deu depois de privatizada, de que essas empresas continuam em mãos brasileiras, gerando empregos e desenvolvimento no país.

Esqueceu-se de que o país pagou um custo alto por anos de “bravata” do PT e dele próprio. Esqueceu-se de sua responsabilidade e de seu partido pelo temor que tomou conta dos mercados em 2002, quando fomos obrigados a pedir socorro ao FMI – com aval de Lula, diga-se – para que houvesse um colchão de reservas no início do governo seguinte. Esqueceu-se de que foi esse temor que atiçou a inflação e levou seu governo a elevar o superávit primário e os juros às nuvens em 2003, para comprar a confiança dos mercados, mesmo que à custa de tudo que haviam pregado, ele e seu partido, nos anos anteriores.

Os exemplos são inúmeros para desmontar o espantalho petista sobre o suposto “neoliberalismo” peessedebista. Alguns vêm do próprio campo petista. Vejam o que disse o atual presidente do partido, José Eduardo Dutra, ex-presidente da Petrobras, citado por Adriano Pires, no Brasil Econômico de 13/1/2010.

“Se eu voltar ao parlamento e tiver uma emenda propondo a situação anterior (monopólio), voto contra. Quando foi quebrado o monopólio, a Petrobras produzia 600 mil barris por dia e tinha 6 milhões de barris de reservas. Dez anos depois, produz 1,8 milhão por dia, tem reservas de 13 bilhões. Venceu a realidade, que muitas vezes é bem diferente da idealização que a gente faz dela”.
(José Eduardo Dutra)

O outro alvo da distorção petista refere-se à insensibilidade social de quem só se preocuparia com a economia. Os fatos são diferentes: com o Real, a população pobre diminuiu de 35% para 28% do total. A pobreza continuou caindo, com alguma oscilação, até atingir 18% em 2007, fruto do efeito acumulado de políticas sociais e econômicas, entre elas o aumento do salário mínimo. De 1995 a 2002, houve um aumento real de 47,4%; de 2003 a 2009, de 49,5%. O rendimento médio mensal dos trabalhadores, descontada a inflação, não cresceu espetacularmente no período, salvo entre 1993 e 1997, quando saltou de R$ 800 para aproximadamente R$ 1.200. Hoje se encontra abaixo do nível alcançado nos anos iniciais do Plano Real.

Por fim, os programas de transferência direta de renda (hoje Bolsa-Família), vendidos como uma exclusividade deste governo. Na verdade, eles começaram em um município (Campinas) e no Distrito Federal, estenderam-se para Estados (Goiás) e ganharam abrangência nacional em meu governo. O Bolsa-Escola atingiu cerca de 5 milhões de famílias, às quais o governo atual juntou outras 6 milhões, já com o nome de Bolsa-Família, englobando em uma só bolsa os programas anteriores.

É mentira, portanto, dizer que o PSDB “não olhou para o social”. Não apenas olhou como fez e fez muito nessa área: o SUS saiu do papel à realidade; o programa da aids tornou-se referência mundial; viabilizamos os medicamentos genéricos, sem temor às multinacionais; as equipes de Saúde da Família, pouco mais de 300 em 1994, tornaram-se mais de 16 mil em 2002; o programa “Toda Criança na Escola” trouxe para o Ensino Fundamental quase 100% das crianças de sete a 14 anos. Foi também no governo do PSDB que se pôs em prática a política que assiste hoje a mais de 3 milhões de idosos e deficientes (em 1996, eram apenas 300 mil).

Eleições não se ganham com o retrovisor. O eleitor vota em quem confia e lhe abre um horizonte de esperanças. Mas se o lulismo quiser comparar, sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa. Nada a temer.

Fernando Henrique Cardoso

Ex-presidente do Brasil

Foto: Ricardo Amaral

FHC

Sem categoria

Rosalba e José Agripino vão participar da mobilização de Serra no Rio de Janeiro

Ainda na noite deste sábado (23), a governadora eleita Rosalba Ciarlini e o senador reeleito José Agripino embarcam para o Rio de Janeiro.

Amanhã, eles participam da caminhada de Serra em Ipanema e Leblon.

Terminada a caminhada, voam para o Rio Grande do Norte, a tempo de ir a Assú participar da  reunião regional pela candidatura do presidenciável.

Sem categoria

Onda do bem toma conta de Natal

A primeira grande carreata realizada pela candidatura de José Serra a presidente da República, no segundo turno, deixou os natalenses animados.

Com bandeiras e outros símbolos da campanha do tucano, muita gente acompanhou a mobilização comandada pela governadora eleita, Rosalba Ciarlini, e senador reeleito, José Agripino.

Do serramóvel,os senadores Ximbica e João Faustino, os deputados federais Felipe Maia e Rogério Marinho e o estadual, Dibson Nasser, também testemunharam o entusiasmo dos eleitores.

Fotos: Canindé Soares

O Serramóvel

Serrinha foi o sucesso da carreata

O deputado Felipe Maia cumprimentando os eleitores

Sem categoria

Garibaldi Filho: “Se quiserem ver Henrique e Garibaldi prestigiados para ajudar ainda mais ao Rio Grande do Norte, votem em Dilma”

Após participar da missa em Ação de Graças pelo aniversario da governadora-eleita Rosalba Ciarlini, em Natal, o senador de 1 milhão de votos, Garibaldi Filho (PMDB), foi fazer campanha para Dilma no município de Lajes, juntamente com o primo deputado federal-reeleito, Henrique Alves (PMDB); o filho deputado estadual-reeleito, Walter Alves (PMDB) e os deputados estaduais-eleitos, George Soares (PR) e Hermano Morais (PMDB).

Garibaldi voltou a agradecer a seus mais de 1 milhão de eleitores.

“Mesmo tendo sido eleito, ainda não tenho conseguido dormir bem. E não durmo bem porque ainda não consegui encontrar uma forma de agradecer pelo um milhão de votos que recebi”, disse.

E complementou: “Estou chegando à conclusão que só há um jeito de agradecer isso. É trabalhar cada vez mais. E fazer isso com dois Garis. Vocês podem ter certeza que vamos trabalhar juntos, Garibaldi Alves e eu, para servir melhor o Rio Grande do Norte”.

Foto: Assessoria

Sem categoria

A divergência dos comandantes da campanha de Dilma

Durante todo o primeiro turno, José Dirceu e Antonio Palocci conviveram bem. A paz, no entanto, acabou neste segundo tempo da campanha. No centro da divergência, a estratégia para as urnas do dia 31. Palocci queria uma campanha mais serena na TV. Dirceu peitou Palocci: queria que um tom mais belicoso prevalecesse e que os ataques à privatização fossem revividos — nesse caso, é bem verdade, em consonância com o que Lula pregava.

Por Lauro Jardim