Sem categoria

Temer confirma presença em jantar que homenageia Henrique

O vice-presidente da República, Michel Temer, já confirmou presença em Natal no próximo dia 16 para participar da homenagem que os setores produtivos do Rio Grande do Norte farão ao deputado federal Henrique Eduardo Alves.

O jantar oferecido pelas Federações, Associações, Sindicatos e Sebrae é um reconhecimento ao trabalho parlamentar de Henrique Eduardo na defesa da economia e do desenvolvimento do RN.

O evento será no Centro de Convenções, auditório Morton Mariz, a partir das 20h.

Tribuna do Norte

Sem categoria

Henrique fará indicações no Governo Rosa

Por mais que diga que não…por mais que se diga por satisfeito.

O deputado federal Henrique Alves (PMDB) vai SIM fazer indicações de pessoas de sua confiança, para ocuparem cargos comissionados no Governo Rosa.

Pelo menos nos 2° e 3° escalão.

O resto é conversa para enganar a criança de dois anos.

E ponto final.

A experiência é de quem está somente no seu 11° mandato de deputado federal

Sem categoria

IV Semana de Gestão Pública da UnP

O Curso de Gestão Pública da Universidade Potiguar promoverá nos dias 8 e 9 de setembro, das 15h às 22h, no Auditório do Campus Floriano Peixoto, a IV Semana de Gestão Pública.

Em sua quarta edição, a Semana terá como tema: “A importância da Educação Superior para a administração pública“.

Durante dois dias, serão realizadas palestras e exposições de painéis, pela comunidade acadêmica, e debatidos os novos caminhos da gestão pública.

Serão palestrantes do evento: Cláudia Costin, Ex-ministra e Secretária de Educação do Rio de Janeiro; José Luiz Goldfarb, Curador do Prêmio Jabuti; Honório Medeiros, Ex- Secretário de Administração do RN; Tenente Coronel Margarida Brandão, coordenadora do PROERD e Lênin Guerra, Prof. M. Sc. da Escola de Gestão da Universidade Potiguar.

No dia 09, após a palestra, Cláudia Costin autografará o livro “Administração Pública”.

As inscrições podem ser realizadas através do site da Universidade – www.unp.br


Sem categoria

Jovem caicoense sofre de doença rara e precisda de ajuda

Ricardo Linhares, 27, formado em Engenharia Mecânica pela UFRN, está sofrendo de uma doença gravíssima de origem genética, chamada adrenoleucodistrofia ou Doença de Lorenzo.

O jovem que é sobrinho da colega-jornalista Suerda Medeiros, está precisando de um transplante de medula.

Quem puder fazer este ato de solidariedade, as inscrições estão sendo feitas no Hemovida (Natal) e Hemocentro (Caicó).

Confira abaixo o e-mail enviado pelo próprio Ricardo.

Olá pessoal,

Aqui é Ricardo, da equipe de Automação da PUB-2. Estou usando o correio do meu irmão Sergio, pois estou em casa afastado e minha chave bloqueou.

Estou sem trabalhar desde fevereiro e imagino que ainda vou ficar afastado ainda por algum tempo. Os médicos descobriram o que eu tenho só agora no final de Julho. Estou com uma doença rara chamada Adrenoleucodistrofia. Essa doença é bem conhecida pela minha família, eu sou o vigésimo caso da doença na minha família. Tudo começou na geração dos meus avôs, tendo apenas 1 caso com um tio-avô. Na geração da minha mãe (a doença é apenas na família da minha mãe) houve 15 casos da doença. Na família dos irmãos da minha mãe, foi onde teve mais casos, foram 5 tios com a doença. E na minha geração tenho eu e mais 3.

A doença, em todos da minha família aparecia na fase infantil, entre 7 e 10 anos. As pessoas escureciam a pele e de repente tinha uma febre e morria. Todos das gerações da minha avó e da minha mãe que pegaram essa doença faleceram, os que tiveram a doença na minha geração ainda estão vivos. Inclusive a última pessoa que faleceu no começo desse ano era irmão do meu primo Reginaldo Linhares, que trabalhou bastante tempo aí com vocês, na época ele fazia uma função semelhante à de SUPROD, não sei como era o nome na época. Na família de Reginaldo teve 2 casos. Reginaldo é contemporâneo da minha mãe, os casos da família dele, estão inseridos nos 15 casos da geração da minha mãe.

Eu não imaginava que aos 26 anos eu não pudesse desenvolver essa doença, achei que tinha escapado, já que achávamos que só aparecia na fase infantil, mas não é bem assim. Na verdade a doença tem várias variações, onde uma delas, e a mais rara de uma doença rara é a que se dá na fase adulta, é o meu caso.

Em geral a doença se manifesta inicialmente as três formas. A primeira é a que atacam as adrenais, elas param de funcionar e de produzir substâncias importantes no nosso corpo. A segunda dá uma fraqueza nas pernas, essa geralmente se manifesta lá pelos 40 anos e é a mais branda das manifestações da doença. Essa fase geralmente atinge homens e mulheres. Minha mãe, algumas tias e talvez minha avó tenha essa fraqueza. A terceira fazer ataca o cérebro e medula, com inflamações ou no caso mais evoluído com degenerações. Em caso adulto, como o meu, pode atacar homens e mulheres, mas é tão raro, que dizem não atacar as mulheres e tem poucos homens no mundo com essa fase.

Todos os 19 casos da minha família desenvolveram inicialmente o primeiro caso. Porém com o tempo, eles se misturam. Algumas pessoas têm a insuficiência adrenal e inflamações no cérebro na minha família, outras pessoas de outras formas. Não dá para saber o que o paciente irá desenvolver. Essas são as primeiras manifestações, mas depois delas podem vir várias, são tantas coisas que não adianta descrever aqui, o mais provável é que algumas delas um paciente com adrenoleucodistrofia nem desenvolva.

O fato de escurecer a pele e ter problemas com febre, a gente não entendia na época dos meus tios. Hoje já sabemos que tratar-se da insuficiência adrenal. É preciso tomar corticóide e tomar cuidados com febre e acidentes. Um paciente com insuficiência adrenal tem variações na taxas de hormônios quando tem febre ou um acidente que se o médico não sabe do problema das adrenais, pode levar a óbito e foi o que aconteceu com meus familiares. Na verdade naquele tempo pouco se tinha acesso a rede de saúde, eles em geral moravam no interior ou em sítios. Só em no ano de 70, morreram 3 irmão da minha mãe em poucos meses, eles moravam no sítio, morriam antes de chegar a algum pronto de socorro ou um centro maior. Os médicos falaram que mais cedo ou mais tarde eu também terei essa insuficiência adrenal, todo paciente com adrenoleucodistrofia desenvolve.

No meu caso, há inflamações no cérebro e na coluna cervical e dorsal. Essas inflamações podem causar várias coisas, tantas coisas que eu nem sei. Afinal as inflamações estão no local que controla tudo. Por enquanto, estou com inflamações, são se sabe se essas inflamações vão gerar degenerações ou não, depois de tratar as inflamações é que saberemos. Tudo pode ser afetado, dependendo do local das inflamações. O que eu sinto hoje é uma falta de habilidade e força em todo lado direito do corpo. Eu disse lado direito, logo o lado esquerdo e meio estão tudo bem, graças a Deus! Por isso que estou sempre de bom humor, pois está tudo em dia!

Depois de conversa com vários médicos, ficou claro na minha cabeça que para mim só tem uma saída, o transplante de medula óssea. Só assim, eu irei parar a doença. Não se sabe por quanto tempo a doença ira ficar estabilizada depois do transplante, mas sem ele, provavelmente eu poderei ficar no estado vegetativo. Como a doença foi descoberta há pouco tempo pela medicina não tem nenhum paciente que tenha feito o transplante há muitos anos. Mas se eu conseguir para isso e depois voltar lá pelos 60 ou 70 anos, tá no lucro demais.

Agora começa uma corrida contra o tempo. A pessoa que tenho a maior probabilidade de ser meu doador no transplante é o meu irmão, cerca de 25 a 35% de chance. Os primeiros exames já deram negativo, mas fizemos outros. O mais provável é meu doador saia do banco de doadores, na verdade já estou cadastrado lá.

Esse transplante tem todo um risco e é bastante relevante esse risco. No meu caso, não tem dados clínicos sobre a doença na fase adulta. Os médicos não sabem de nenhum caso no mundo de adrenoleucodistrofia em adulto que tenha feito o transplante. Os poucos casos que existiram os pacientes se não fizeram o transplante por escolha própria ou não tinham mais condições de fazer o transplante.

Para fazer o transplante são necessárias duas coisas, que a doença não tenha afetado o intelecto do indivíduo, a doença pode causar demência, inclusive na minha família tem um caso. E as lesões no cérebro não podem está grandes. Tem um cálculo que eles fazem das lesões, chamado “escore de Loes”, esse não pode está acima de 10 para fazer o transplante. O meu estava em 3 em maio e subiu para 4,5 agora em agosto. Não sabemos se as lesões aumentaram ou foi o radiologista que fez o cálculo que é mais minucioso, sabemos que a máquina da segunda ressonância é mais potente, talvez ela tenha pegado mais coisas.

Preocupados com esse aumento das lesões, se for o caso, os médicos decidiram fazer uma pulsoterapia, que é o tratamento com corticóide em alta dosagem direto na veia. Isso será bom se as lesões tiverem aumentado ou não, os médicos já estavam pensando em fazer isso antes no resultado do escore do Loes sair, o escore foi mais um indício que devo fazer essa pulso. Vou fazer esse tratamento 1 vez por mês. Durante 5 dias. Eu vou para o hospital e passo 2 horas tomando esse remédio. Estou bastante esperançoso que esse tratamento vai dar certo. Eu já fiz essa pulsoterapia em março, quando os médicos suspeitavam de outra doença, o resultado foi bom, tive bastante melhora nos movimentos e nas neuroimagens.

Outro fato importante é que onde eu farei o transplante terei que morar 6 meses nesse local. O transplante é complicado. Enquanto num outro tipo de transplante as defesas do paciente são diminuídas para ela aceitar o novo órgão. Nesse caso, ela é levada a zero, então qualquer doença aparentemente simples pode ser perigosa nesse caso. Inclusive, no momento do transplante, a medula do doador, pode encarar meu organismo como um corpo estranho e atacar ele. Em crianças com a adrenoleucodistrofia o transplante tem só 50% de chance de dar certo. Em adulto eles acreditam que as chances devem ser muito maiores. Com base em outras doenças que precisam desse mesmo transplante, como a leucemia, eles me falaram que sendo o paciente saudável que não tenha outros problemas (como eu estou), adulto e tendo doador da família, essa chance chega aos 90%. Tem que dar certo, até por que se o transplante der errado… Fique com medo depois que eles falaram que só metade das crianças estão vivas depois do transplante. O transplante é o divisor de águas, se der certo a doença para, mas dando errado, não tem sobrevida depois dele. Não tem o que fazer, é melhor isso que perder os movimentos e ficar imóvel numa cadeira de rodas. Para chegar nessa fase de perder os movimentos, pode ser que demore vários anos, ou nem chegue, mas pode ser que aconteça em pouco tempo, não tem como saber. O que sabemos é que minha evolução não está lenta, de fevereiro para cá já perdi muitos movimentos e pelas imagens, foi considerada uma evolução rápida pelos médicos. Nos casos da minha família demoravam anos para ter uma perda como a minha.

Pessoal, tenho que fazer um apelo a vocês, quem puder, por favor, vá ao Hemovida (em frente ao hospital HOUL) e se cadastre como doador de medula óssea. Levem que vocês puderem levar familiares ou amigos. Lá eles vão colher só uma quantidade de sangue muito pequena, só isso, é bastante simples entrar no banco de doadores. O tipo sanguíneo não importa. A chance de ser meu doador é pequena, mas quem sabe, tenho que tentar. Se não der certo comigo, pode dar certo com outra pessoa que também está precisando. Embora a maior chance seja que não dê certo com ninguém. Por favor, façam isso por mim, eu realmente estou precisando.

Uma coisa boa é que eles falaram que o transplante impede o avanço da doença, mas em casos cerebrais, o meu, tem chance de melhorar a parte motora. Isso dá muita esperança. Não sei se vou voltar ao normal, mas se melhorar, já passam várias esperanças na cabeça. Imagine se de repente eu puder voltar a trabalhar e de novo embarcado, voltar a ter minha vida normal, hoje é um sonho.

Estou querendo crê que tudo isso é passageiro, que vai dar certo e no fim vou ficar bom. E quanto mais eu acredite na minha melhora melhor. Não sei se isso é fé, força de vontade ou os dois, mas estou bem, com a cabeça boa e muito certo de que vou fazer tudo que for possível. Não vai ser de mão beijada que vou me entregar para essa doença. Faço fisioterapia e fonoaudióloga todo dia. Quando acabar um pouco essa fase de médicos e exame, voltarei para a terapeuta ocupacional. Além da minha vontade de ficar bom, tenho o apoio dos meus familiares e amigos que está sendo muito importante para mim.

Vai dar tudo certo!

Sem categoria

Governadora também já articula nome para o TCE

Não é somente na Assembleia que já começa a se falar nas articulações para indicação do nome que será escolhido pela Casa, para integrar o Tribunal de Contas do Estado.

No Governo do Estado, já acontece o mesmo.

Será escolhido pela governadora Rosalba Ciarlini, um dos nomes abaixo:

– Paulo de Tarso Fernandes, atual chefe do Gabinete Civil do Governo do Estado.

– Betinho Rosado, deputado federal licenciado para exercer o cargo de secretário Estadual de Agricultura, além de ser cunhado da governadora Rosalba Ciarlini.

– Isaura Rosado, atual secretária Extraordinária da Cultura e também cunhada da governadora.

– Fafá Rosado, chefe do Executivo mossoroense, poderá ser indicada com o compromisso de renunciar para que sua vice, Ruth Ciarlini, irmã da governadora, assuma o mandato e dispute a reeleição.

– Ruth Ciarlini, vice-prefeita de Mossoró e irmã da governadora. Poderá ser indicada, caso Fafá não renuncie.

Sem categoria

Dois deputados de olho no TCE

Nos corredores da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte já corre a notícia…livre, leve e solta.

Como todos sabem, dois conselheiros do TCE (Alcimar Torquato e Valério Mesquita) estão bem próximos de requerer aposentadoria.

Uma vaga será indicada pelo Governo e outra pela Assembleia.

Na vaga que será indicada pela Assembleia, dois deputados estaduais estão de olho: Fábio Dantas e Ezequiel Ferreira.

Por fora ainda corre o vice-governador Robinson Faria, que almeja a indicação da mulher, Juliane Faria.

Sem categoria

Henrique e Laurita recebem Rosalba e Carlos Augusto

Antes de viajarem para aproveitar o feriadão, o deputado federal Henrique Alves e a namorada Laurita Arruda, vão receber para um café da manhã nesta terça-feira (06), a governadora Rosalba Ciarlini e o marido Carlos Augusto Rosado.

A governadora deverá oficializar o convite para Henrique embarcar no seu Governo.

As vaias levadas em Pau dos Ferros serviu para a Rosa apressar ainda mais os passos. Ela viu que é trabalho agora, ou ficará igual à Micarla, num período de tempo ainda menor.

Sem categoria

Ao lado do ministro do Trabalho, Rosalba assina contrato para execução do Projovem

Para promover capacitação profissional dos jovens potiguares entre 18 e 29 anos, a governadora Rosalba Ciarlini assinou na tarde desta segunda-feira, (5), juntamente com o ministro do Trabalho e Emprego – MTE, Carlos Lupi, o contrato de execução do programa Projovem Trabalhador no Rio Grande do Norte, firmado entre o Ministério do Trabalho e Emprego e o Governo do Estado por meio da Secretaria de Trabalho, da Habitação e da Assistência Social – Sethas.

“O foco desse programa é a empregabilidade. Como incentivo para adesão, é oferecida uma bolsa no valor de R$ 100,00 para cada aluno e a meta é que pelo menos 30% dos jovens participantes sejam inseridos no mercado de trabalho formal ao término do programa”, disse o ministro Carlos Lupi.

Serão 8 mil jovens beneficiados no estado, sendo 7 mil através do convênio com o Governo do RN e outros mil através de parceria firmada diretamente com a Prefeitura de Parnamirim.

Além dos empregos formais, o jovem também sai preparado para ocupações alternativas geradoras de renda.

Sem categoria

Vereador de Caicó critica atuação do Ministério Público

Discurso corajoso o do vereador Sandoval da Silva (PP–>PSD) na noite desta segunda-feira (05), durante a sessão ordinária da Câmara de Caicó.

O vereador que possui várias pendências na justiça criticou veemente a atuação dos Promotores da cidade (Geraldo Rufino, Fladja e Vicente Elísio).

“Em toda minha história, nunca vi um promotor de Caicó visitar um hospital ou escola e fazer uma denuncia de irregularidade”, denunciou o vereador que ainda complementou: “Se um cidadão procurar um promotor (a), não é nem recebido”.

Viche!

Com a palavra o Ministério Público.

Sem categoria

Carnatal divulga seu novo percurso

Iniciamos a contagem regressiva para 21ª edição do Carnatal. Este ano, a maior festa da cidade está de cara nova, passou por adaptações e terá mudanças no percurso. Através do site oficial do evento (www.carnatal.com.br) já é possível conferir o mapa com modificações, além de ter orientações de como garantir os abadás do bloco Cerveja & Coco.

O Largo do Machadão, parte do percurso do carnaval fora de época nos últimos anos, está em obras para a construção da Arena das Dunas, estádio da Copa 2014 em Natal, e para que não haja interferência nesse espaço, o percurso passou por alterações. O Carnatal pode ser considerado projeto piloto para as festividades do mundial, já que tem o mesmo formato e abrangência realizados pela Fifa nas cidades-sedes.

Sem categoria

Presidentes diferentes, discursos parecidos

Em 1964, o Brasil tinha uma população de cerca de 70 milhões de habitantes. Mesmo assim, ao ser eleito com os votos de apenas 361 pessoas, o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco agradeceu a “expressiva votação” recebida. O mesmo termo – “expressiva votação” – foi usado por outro presidente sem votos populares, Ernesto Geisel. O jovem presidente Fernando Collor evocou a memória de seu pai ao tomar posse. O mesmo fez outro Fernando não tão jovem, Fernando Henrique Cardoso. Representante da velha elite política que chegou por acaso, no meio de uma tragédia, à Presidência, José Sarney evocou Deus por estar ali. Igual a Lula, o trabalhador de esquerda, que pela primeira vez rompeu o espaço da elite política e que, longe do acaso, tentou três vezes antes de conseguir se eleger presidente. Mas como também os generais Costa e Silva e João Batista Figueiredo.

“Ainda que, estruturalmente, esses discursos (…) diferenciem-se por pertencerem a regimes, períodos e situações diferentes, eles se assemelham pela teoria da elaboração e nos provam uma realidade pouco fácil de digerir: os regimes mudam, a sociedade se transforma, o país se desenvolve e os discursos de posse são muito semelhantes”,conclui a pesquisadora Edilene Gasparini Fernandes. Mestre em Literatura e doutora em Teoria da Literatura, Edilene acaba de lançar, pela editora Unesp, o livro “A palavra do presidente – Análise dos discursos presidenciais de posse desde o golpe militar até Lula”.

Valendo-se das ferramentas das teorias literárias e da análise e estruturação de discursos desde a época grega, com Aristóteles, Edilene analisa um período de 43 anos, desde o início da ditadura militar até a posse de Lula pelos presidentes, em discursos dirigidos ao povo e ao Congresso Nacional. E chega a uma conclusão surpreendente: embora cada um desses presidentes tenha assumido em contextos históricos completamente diferentes, diante de desafios diversos, suas falas guardam grandes semelhanças. Figuras de linguagem, estratagemas para prender a atenção dos ouvintes, a evocação de Deus e da democracia, alusões à esperança renovada, à coragem e a inimigos que enfrentarão aparecem com freqüência, seja o presidente empossado um ditador ou fruto de uma esmagadora votação democrática. “Para a surpresa da constatação, os textos apresentam muito poucas alterações ao longo do tempo e dos regimes”.

É assim que Castelo Branco, após comandar um golpe e instituir uma ditadura militar que retirou do povo a faculdade de eleger seus representantes, é capaz de agradecer, ao tomar posse, a “expressiva votação” que obteve. Essa “expressiva votação” representou apenas 361 votos. Castelo Branco foi o primeiro presidente eleito por um Colégio Eleitoral, um pastiche de democracia, em que a escolha dos governantes era feita por uns poucos escolhidos. A isso, ele emenda, para reforçar a tentativa de demonstrar o caráter democrático de sua eleição, dizendo que foi “o calor da opinião pública” que o estimulou a aceitar a indicação da sua candidatura à Presidência.

Da mesma forma, recursos estilísticos repetem-se nos discursos de posses dos presidentes que se elegeram democraticamente, a partir de Fernando Collor, em 1989. Jovem, Collor representava uma vontade de renovação das práticas políticas por aqueles que o elegeram. Embora ele vá mencionar isso em seu discurso, Collor prefere, porém, evocar o passado, ao lembrar que seu avô, Lindolfo Collor, foi deputado federal, e seu pai, Arnon de Mello, foi senador. Após o impeachment de Collor, o próximo presidente eleito será Fernando Henrique Cardoso. E ele se valerá do mesmo expediente: lembrará de seu pai, Leônidas Cardoso, “um dos generais da campanha ‘O Petróleo é nosso’”.

Representante da velha elite política que se derrubava com a ditadura militar, apenas poucos meses antes, José Sarney era presidente do PDS, o partido que sustentava o regime dos generais. Por um golpe do destino, ele tomava posse em 1985, no lugar de Tancredo Neves, internado e gravemente enfermo como consequência de uma diverticulite aguda. Ele evoca, então, a vontade de Deus para explicar tal situação. “O Deus da minha fé, que me guardou a vida, quis que eu presidisse a esta solenidade”, diz Sarney. Retirante nordestino, líder sindical, em 2002, Lula foi o primeiro presidente da história do Brasil que não pertencia à elite. Em vez de produto do acaso, sua eleição foi fruto da persistência – ele tentou três vezes se eleger antes de conseguir – e de uma quantidade recorde de votos da população. Mas era também a vontade de Deus: “Primeiro, porque ser presidente da República do meu País, eu recebo isso como uma benção de Deus”. Deus está também no discurso do general Ernesto Geisel, comandante de um governo contraditório que, ao mesmo tempo, promoveu o início da abertura política e promoveu a morte do jornalista Vladimir Herzog, vítima da violência do regime: “Que Deus me dê forças a mim”.

Sinais contraditórios

É claro que, além das semelhanças, os discursos de posse dos presidentes guardam as diferenças que a resposta a cada momento histórico exigia. Mas Edilene percebe neles também sinais contraditórios. É possível ler apelos ao entendimento nas falas de generais que iriam usar a força, como Castelo Branco, ou traços autoritários em presidentes eleitos democraticamente, como Fernando Collor.

Mas as diferenças também aparecem. Na ditadura militar, os discursos dirigidos ao Congresso Nacional – que fazia parte do colégio eleitoral que elegia os generais – tendia a ser mais político e informal que os discursos dirigidos à população, mais graves e tensos naquela época. Depois da democratização, tal regra se inverteu: os discursos para o povo tornaram-se mais alegres e informais, enquanto os discursos no Congresso ficaram mais formais e técnicos.

As circunstâncias históricas também moldaram a escolha das mensagens e dos recursos estilísticos que, além das semelhanças, marcam as diferenças de cada texto. Percebe-se, por exemplo, como os discursos dos presidentes que mais se distanciaram da escolha popular – Costa e Silva e Médici – são mais técnicos e menos políticos. Médici chega a dizer que não queria ser presidente, dando à tarefa o tom de missão militar.

“A palavra do Presidente – Análise dos discursos presidenciais de posse desde o golpe militar até Lula “ – Editoria Unesp

Congresso em Foco

Sem categoria

Rosalba já pode ser avaliada

Do www.blogdocarlossantos.com.br

Muita gente argumenta que é muito cedo para se avaliar o Governo Rosalba Ciarlini (DEM). São pouco mais de 8 meses de administração.

Será?

Acho que não.

Tomo como exemplo para ter o direito de avaliar esse governo, postura e palavras da própria Rosalba.

Quando era prefeita de Mossoró, em seu terceiro mandato, Rosalba afirmou textualmente em 2003, que “Wilma de Faria (PSB) fez mais por Mossoró em 8 meses do que Garibaldi Filho (PMDB) em 8 anos”.

Textualmente.

Tudo documentado pela imprensa nativa.

Se Rosalba teve o direito e o livre arbítrio para fazer até esse comparativo, por que a imprensa e administrados potiguares  não podem fazer o mesmo – agora – em relação à sua gestão?

Conta outra, vai.

A propósito, cabe até uma pergunta:

– Rosalba, em 8 meses de gestão no Estado, já fez mais do que Wilma em 7 anos e 3 meses ou mesmo Garibaldi Filho em 8 anos?

E aí, heim?

Rosalba avaliou Wilma; Wilma já pode avaliar Rosalba

Sem categoria

Marta Suplicy lidera pesquisa em São Paulo

Segundo a pesquisa divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” nesta segunda-feira (05), a senadora Marta Suplicy lidera o cenário da disputa pela Prefeitura de São Paulo.

Sua menor folga na simulação é quando o nome do ex-governador José Serra (PSDB) é incluído. Neste cenário, Marta tem 29% das intenções de voto e Serra, 18%.

Russomano aparece em terceiro, com 13%, seguido de Netinho de Paula (PC do B), com 8%, e da ex-vereadora Soninha Francine (PPS), com 6%. Neste mesmo cenário, Paulinho da Força (PDT) tem 6%; Gabriel Chalita (PMDB), 3%; Eduardo Jorge (PV), 2%; e Luiz Borges D’Urso (PTB), 2%. Votos brancos e nulos somaram 10% e 3% dos eleitores entrevistados não souberam responder.

O nome de Serra só lidera a disputa quando o nome de Marta é retirado da simulação.
Ainda assim, empatado com Russomano em 19%.

Sem categoria

Rosalba é vaiada no show de Paula Fernandes em Pau dos Ferros

Mais uma vaia contra a governadora Rosalba Ciarlini (DEM).

Desta vez, em Pau dos Ferros, cidade administrada pelo prefeito-democrata Leonardo Rêgo, filho do deputado Getúlio Rêgo, líder do Governo Rosa na Assembleia.

Ao lado do deputado federal Felipe Maia (DEM), a governadora Rosalba Ciarlini foi participar da 15ª edição da Feira Intermunicipal de Educação, Cultura, Turismo e Negócios do Alto Oeste Potiguar (Finecap).

Como de costume, visitou os estandes, assistiu apresentações culturais e o show de Paula Fernandes.

Ao ser referenciada pela cantora, a governadora levou uma tremenda vaia.

Das grandes.

Sem categoria

Associação denuncia “interferência política” na polícia de Currais Novos

O blog recebe uma carta assinada por João Batista Dantas (Presidente da Associação da Polícia e Bombeiros Militares do Seridó), onde ele faz uma denuncia de que houve interferência política na Polícia Militar de Currais Novos, ao transferir o Capitão Costa, que vinha desenvolvendo um ótimo trabalho no comando da PM daquele município.

Mesmo fato se repetiu no Comando da Polícia de Transito. No último sábado (03), o Diário Oficial do Estado publicou a transferência do Capitão Egídio.

Sem categoria

Carnaxelita apenas com os filhos da terra

O Carnaxelita deste ano foi uma festa bem com a cara de Currais Novos.

Como não é ano de eleição, nem os líderes políticos estaduais apareceram por lá. Diferentemente dos anos anteriores.

O deputado estadual Ezequiel Ferreira (PTB) e o ex-prefeito-prefeitável Zé Lins (PSB), marcaram presença todas as noites nos camarotes.

Sem categoria

PT proíbe alianças com DEM, PSDB e PPS

Durante o final de semana, o Partido dos Trabalhadores (PT) realizou em Brasília o 4° Congresso Nacional do Partido.

Este ano, o Congresso aconteceu de forma extraordinária, tendo como tema a reforma estatutária do Partido.

Na noite da sexta-feira (02) participaram da abertura do Congresso o presidente nacional do PT, Rui Falcão, a presidenta Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula, além de senadores, governadores, prefeitos e deputados do PT.

Na manhã do sábado (03) a deputada potiguar Fátima Bezerra participou do debate de conjuntura representando a tendência Movimento PT.

No que diz respeito á eleições 2012 e política de alianças, o PT decidiu que irá fazer todo o esforço para aumentar seu número de prefeitos e sua bancada de vereadores.

Também decidiu continuar a política de aliança para as eleições 2012 com partidos da base aliada do Governo Dilma, mantendo assim a proibição de alianças com o DEM, PSDB e PPS.

Sem categoria

Caicó Esporte Clube tem novo técnico

O Caicó Esporte Clube desponta com chances na série B do Campeonato estadual 2011.

O time que está contando com o apoio de políticos, empresários e torcida, acaba de contratar o paraense Fernando Dourado, para ser o técnico.

Dourado que é formado em Educação Física pela UERJ, já atuou em times nacionais e até no exterior.

Em 2006, por exemplo, campeão da Copa do Rei com o Al Murrarak, no Bahrein, e depois técnico do Al Shamal do Qatar.

Dourado (ao centro), ao lado do vereador Miltão e do advogado Revil Alves

Sem categoria

Vivas de Parabéns

Neste domingo (04), é dia de cantar vivas de PARABÉNS, ao médico-caicoense Álvaro Dias, que comemorou a data com um jantar reservado somente a família, na noite de ontem (03), no Abade, em Natal.

Álvaro foi vice-prefeito de Caicó, deputado estadual, presidente da Assembleia por três vezes, deputado federal e candidato a vice-governador na eleição do ano passado, na chapa encabeçada pelo ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.

Atualmente (re)filiado ao PMDB, tem o nome lembrado para disputar a Prefeitura de Caicó, mas descarta essa possibilidade, assumindo um compromisso com a candidatura do ex-prefeito Roberto Germano, também do PMDB. Mesmo negando a candidatura no momento, há quem aposte que o ex-deputado será o candidato da oposição ao prefeito Bibi Costa, inclusive, já começou a desenvolver suas habilidades de médico, realizando mutirões de consultas pelos bairros de Caicó.

Saúde, Paz e vida longa ao aniversariante.

Álvaro a esposa-juíza Amanda Grace