O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte julgou improcedente o pedido do PSDB para cassar o mandato da senadora Zenaide Maia (PHS).

A acusação era de suposta captação ilícita de votos na campanha eleitoral de 2018, quando acusavam a senadora de ter recebido recursos financeiros por meio de depósito direto na conta bancária de campanha, e a legislação determinava que as operações se dessem por meio de transferência eletrônica.

A defesa de Zenaide alegou que a representação era meramente formal destituída de gravidade para a cassação.

O Ministério Público Eleitoral também se posicionou contrário a cassação da senadora.

A cassação de Zenaide foi rejeitada à unanimidade.