Walter Delgatti Neto, um dos alvos da Operação Spoofing, confirmou que atuou na invasão do celular do ministro Sérgio Moro, de procuradores da Força-Tarefa da Lava-Jato e de outras autoridades, em depoimento na terça-feira (23/7) à noite à Polícia Federal, informa o Correio Braziliense.

Além de Walter, foram presos Danilo Cristiano Marques, Gustavo Elias Santos, o DJ Guto, e Suelen Priscila de Oliveira.

Segundo o Jornal Nacional, foi encontrado R$ 100 mil na casa de um dos suspeitos de atuar no crime.

O juiz Walisney afirmou que “há fortes indícios que os investigados integram organização criminosa para a prática de crimes e se uniram para violar o sigilo telefônico de diversas autoridades públicas brasileiras via invasão do aplicativo Telegram”.

Ele também disse que foram encontradas movimentações financeiras suspeitas nas contas de dois dos quatro investigados.

“Indicou-se ainda que Gustavo Henrique Elias Santos movimentou em sua conta no Banco Original, entre os dias 18/04/2018 e 29/06/2018, o montante de R$ 424 mil, sendo que, em seu cadastro bancário, consta a renda mensal de R$ 2.866. Suelen Priscila, por sua vez, segundo as mesmas informações, movimentou em sua conta no Banco Original a quantia de R$ 203.560, entre 07/03/2019 e 29/05/2019, sendo que em seu cadastro consta a renda mensal de R$ 2.192. Diante da incompatibilidade entre as movimentações financeiras e a renda mensal de Gustavo e Suelen, faz-se necessário realizar o rastreamento dos recursos recebidos ou movimentados pelos investigados e de averiguar eventuais patrocinadores das invasões ilegais dos dispositivos informáticos (smartphones)”.

Comentários do Facebook

Os comentários estão fechados.