Procuradoria Eleitoral pede cassação do diploma e inelegibilidade da governadora eleita Fátima Bezerra

A Procuradoria Regional Eleitoral entrou com um pedido para a cassação ou suspensão do diploma da governadora eleita Fátima Bezerra (PT) e do seu vice Antenor Roberto (PCdoB).

O MPE alega irregularidades na captação de recursos financeiros para a campanha e pede também que seja decretada a inelegibilidade da governadora e do vice.

Entre as irregularidades na arrecadação nas despesas da campanha estão: descumprimento de prazos, gastos anteriores à prestação de contas sem informação para a justiça eleitoral, descumprimentos de prazos de entrega dos relatórios financeiros, incompatibilidade entre patrimônio da candidata e os recursos próprios, ausência de registros de pesquisas custeadas pela campanha, contratação de produção para programa de rádios e TV sem comprovação dos serviços prestados, além do repasse ilegal de R$ 156,3 mil para 25 homens, com recursos oriundos do Fundo Especial de Financiamento da Campanha que deveriam ser utilizados somente pela candidata ao Governo e mulheres que disputam mandato pela coligação.

Além dessas irregularidades, o MPE apontou gastos suspeitos de R$ 1,9 milhão com a empresa Brasil de Todos Comunicação, criada três dias antes do recebimento da primeira parcela de pagamento.

Os Procuradores Eleitorais recomendam a quebra do sigilo bancário de todos os sócios da empresa Brasil de Todos Comunicação.