O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN) retomou nesta terça-feira (16), o caso envolvendo o deputado estadual eleito, Sandro Pimentel (PSOL).

O Ministério Público Eleitoral (MPE) alegou que houve descumprimento no prazo de entrega dos relatórios financeiros e também problema com relação a uma doação de R$ 35,3 mil. A lei eleitoral determina que valores acima de R$ 1.064,10 devem ser doados por meio de transferência.

No entendimento do MPE, a vaga de Sandro deve passar ao suplente, Robério Paulino.

Fato é que o juiz federal Francisco Glauber Pessoa Alves, relator do processo, votou pela cassação do diploma de Pimentel.

Segundo a vota, o desembargador Glauber Rêgo pediu vistas.