Robinson perdeu Fátima após 10 meses de Governo, mesmo tempo que rompeu com Rosalba

Em 2010, a médica e então senadora Rosalba Ciarlini foi eleita Governadora tendo como vice o então presidente da Assembleia Legislativa, deputado Robinson Faria (Atual Governador), que foi nomeado para responder pela Secretaria Estadual de Recursos Hídricos. Na época, Robinson também emplacou Marcelo Toscano (Atual Diretor da CAERN) para o IDEMA e Tatiana Mendes Cunha (Atual Chefe da Casa Civil do Governo do Estado) para ser a Consultora-Geral do Estado.

Passados os 10 primeiros meses de Governo, mais precisamente em 21 de outubro de 2011, Robinson rompeu com Rosalba, e entregou os cargos que tinha indicado. O fato ganhou mais notoriedade pela saída do jurista Paulo de Tarso Fernandes do Governo. Compadre de Robinson e articulador da aliança firmada entre os dois, por ser amigo do casal Rosalba-Carlos Augusto, Paulo de Tarso entregou o cargo.

Novamente a cena se repete. Desta vez, sem envolver Governador e Vice, mas uma Senadora e um Governador.

Apesar de não ter o controle do PT e sequer ter o direito pelo regimento interno do partido de declarar um rompimento com o Governador, Fátima Bezerra, única senadora do Rio Grande do Norte que prestava apoio político a Robinson, entrega os poucos, minúsculos e insignificantes cargos que tinha indicado para o Governo Robinson.

Mas Robinson não perde somente a única senadora que lhe prestava apoio político, como também uma forte aliada da Presidenta da República, a força que consolidou sua candidatura e vitória, bem como a única liderança com capital político-eleitoral no PT do Rio Grande do Norte.

O PT de Mineiro sem o PT de Fátima Bezerra continua sendo o PT…sem votos.

O PT de Fátima Bezerra sem o PT de Mineiro continua sendo Fátima Bezerra…com votos.