No Governo de Rosalba Ciarlini foi negado pleito de setores do trade turístico para reduzir a alíquota do ICMS sobre o consumo de querosene de aviação.

A então governadora foi muito criticada na época quando não concedeu o benefício.

Interpretaram até questões políticas em meio a negativa.

Hoje, quando vemos o Estado perder R$ 32,7 milhões para as empresas aéreas em virtude da redução do imposto, sem ter nenhuma contrapartida, temos a certeza de que Rosalba estava certa. Agiu corretamente.

Natal tem as passagens aéreas mais caras do Brasil. E ainda perdemos voos.