No discurso que marcou o início de sua campanha a governadora, a senadora Rosalba Ciarlini (DEM), deixou bem claro, que a sua candidatura nasceu do sentimento popular, e não da força de uma máquina partidária ou governamental.

“Minha candidatura é a expressão de um sentimento popular genuíno, e não da força de uma máquina partidária ou governamental. Minha candidatura tem a força do desejo coletivo, não da vontade imperial de uma só pessoa”.