A memória e o legado da professora, ex-deputada federal e constituinte e governadora, Wilma de Faria, foi uma das homenageadas no Senado Federal com a entrega do Diploma Bertha Lutz, em alusão as conquistas e contribuições da mulheres na defesa dos direitos da mulher e questões do gênero no Brasil.

A entrega do diploma foi realizada nesta quarta-feira (7), durante sessão solene do Congresso Nacional comemorativa ao Dia Internacional da Mulher (8 de março). Ao final da sessão, ainda foi inaugurada oficialmente a exposição “Mulheres na Constituinte”, uma realização da Procuradoria Especial da Mulher do Senado Federal, da Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados e da Diretoria-geral do Senado.

Em 1986, Wilma de Faria se tornou deputada federal para atuar na Assembleia Constituinte do país. Apresentou um total de 82 propostas de emenda à constituição, contabilizando um feito importante com 26 propostas aprovadas. Integrou o “lobby do batom”, uma luta pelos direitos das mulheres, durante o debate da Constituição Cidadã de 1988.

A partir de seus posicionamentos na defesa dos direitos sociais e dos trabalhadores, Wilma de Faria acabou por ser avaliada com a distinção de “deputado nota 10” pelo então Departamento Intersindical de Assuntos Parlamentares (DIAP).

“Para mim, é sempre uma honra e um orgulho representar a memória e o legado de mamãe, especialmente numa solenidade em que se homenageia feitos que transformaram a história do país através de sua constituição. Feliz pelo reconhecimento desta grande norte-riograndense, ex-deputada constituinte, defensora dos direitos da mulher, do povo potiguar e brasileiro. “, afirmou a filha e deputada estadual Márcia Maia.

Márcia Maia Diploma Bertha Lutz