Serra disse que levará essa questão para o Congresso, caso seja eleito em outubro. Mas afirmou também que, se os deputados e senadores refutarem o mandato de cinco anos, “paciência”.

As declarações do tucano foram dadas em entrevista à rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, onde o ex-governador esteve em campanha nesta segunda. Sem dizer a época, ele disse que já tinha conversado com Lula sobre o mandato de cinco anos quando indagado sobre as reformas que estão para ser feitas.

O pré-candidato à Presidência disse que “aquele que foi seu antecessor não é inimigo”. “Para mim é alguém que ocupou o cargo, que tem experiência e terá coisas para dizer. Nesse sentido, pretendo conversar com ele e com o PT”, disse Serra, pregando esse entendimento para as tratar das “causas nacionais”.

Serra criticou também o “empreguismo” e o “troca-troca” no governo Lula, referindo-se especialmente à Funasa (Fundação Nacional de Saúde). Disse que quando foi ministro da Saúde, criou certificação no órgão, pelo qual os cargos só poderiam ser preenchidos por pessoas com alguma qualificação.

Serra prometeu, caso eleito, colocar o governo federal à frente das questões de segurança pública, disse que a saúde terá muita importância, repetiu e explicou por diversas vezes o slogan da sua campanha tentando exemplificar onde o país “pode mais”.

Fonte: Agência Folha, em Belo Horizonte

Comentários do Site

  1. Bira Viegas

    Caro Heitor.

    (Fora da presente pauta)

    Siga em frente… e sucesso.

    Sinceros votos de um velho escriba.

    Bira Viegas

  2. Bira Viegas

    Caro Heitor.

    (Fora da presente pauta)

    Siga em frente… e sucesso.

    Sinceros votos de um velho escriba.

    Bira Viegas