Natal

Qualidade da água consumida em Natal é analisada pela Saúde

A qualidade da água consumida pelos natalenses entre os meses de maio e agosto deste ano foi analisada pelo Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (DVS-SMS). O relatório com os dados das 144 análises realizadas neste período foram divulgados nesta quinta-feira (14).

Das amostras coletadas nos sistemas de abastecimentos e em poços no município, 50% apresentou índice de cloro residual em desconformidade aos padrões estabelecidos pelo Ministério. A ausência ou quantidade inferior da substância, um desinfetante usado para evitar a proliferação de microorganismos maléficos à saúde humana, pode favorecer a veiculação de doenças como diarreias.

O segundo parâmetro com maior índice em desconformidade presente na água consumida pelos natalenses foi o pH, em 42,36% das amostras estudadas. Em terceiro lugar ficou o parâmetro coliformes totais, presente em 29,17% das análises, seguido por cor aparente, que indica a presença de substâncias diluídas, com 19,44%.

Outros parâmetros analisados foram turbidez, que é uma característica resultante da presença de partículas sólidas em suspensão na água, com 14,58% das amostras; coliformes termotolerantes, que assim como coliformes totais indicam a contaminação por fezes, presente em 9% das análises e nitrato, com 4,17% das amostras estudadas.

O chefe da Vigilância em Saúde Ambiental e do Trabalho (Visamt) da SMS, Marcílio Xavier, explicou que todos os casos em desconformidade foram repassados para os responsáveis pelo abastecimento de água e poços, para que sejam feitos os ajustes necessários para resolver os problemas indicados.

“A situação mais grave foi encontrada na comunidade do Cavaco Chinês, no bairro de Lagoa Azul, que não possui saneamento básico e onde encontramos todas as sete amostras coletadas em desconformidade com o parâmetro de cloro residual, além de seis com presença de coliformes totais”.

As 144 amostras analisadas foram estudadas pelos técnicos do programa nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua) do Ministério da Saúde.

Uncategorized

Câmara discute qualidade da água em Natal‏

A qualidade da água no município de Natal foi tema de audiência pública no plenário da Câmara Municipal de Natal, nesta quinta-feira (03). A proposição foi do vereador Professor Luis Carlos (PMDB).

Uma das questões abordadas na audiência foi o alto nível de nitrato encontrado no reservatório de água da capital. Um estudo da Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico do Município de Natal (Arsban) divulgado em 2010, registrou um total de 41 poços com índice de nitrato acima de 10 mg/l, nível considerado perigoso para o consumo humano, de um total de 72 poços analisados.

No ano passado, a Caern divulgou que o índice de contaminação vem diminuindo após a instalação da adutora do Jiqui. Bairros como Pirangi, Ponta Negra, Guarapes e Mãe Luiza estariam com concentração inferior a 3 mg/l.

Para o diretor técnico da Arsban Aristotelino Monteiro, a contaminação por nitrato vem diminuindo, mas não é a única ameaça para a qualidade da água de Natal. “A população produz resíduos que, se não tratados de forma adequada, vão atingir esse lençol e contaminar a água. O principal foco para reverter esse problema é investir em saneamento básico”, apontou.

O deputado estadual Hermano Morais (PMDB) também participou do debate.