Diversos

Operação da Polícia Federal combate corrupção nos Correios

Da Agência Brasil

A Policia Federal deflagrou hoje (6) a Operação Postal Off para desarticular uma organização criminosa que atuava junto à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Segundo o órgão, o grupo praticava fraudes que estavam causando prejuízos à empresa “de forma habitual e permanente”.

De acordo com a PF, a investigação começou em novembro de 2018, em Santa Catarina, e mostrou que a atuação do grupo se estendia aos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, com a “participação ativa de funcionários dos Correios”. A polícia informou que cargas postais de seus clientes eram distribuídas no fluxo postal sem faturamento ou com faturamento muito inferior ao devido.

Um dos modos de atuação dos criminosos era identificar clientes dos Correios e levá-los a romper seus contratos com a empresa. Os clientes então passariam a ter as encomendas postadas por meio de contratos mantidos entre as empresas do grupo criminoso e os Correios.

Segundo a PF, ao longo da investigação também foram apuradas solicitações e pagamentos de vantagens indevidas envolvendo empresários, funcionários públicos e agentes políticos, “configurando indícios dos crimes de corrupção passiva e concussão”.

Uma avaliação preliminar indicou que a atuação do grupo causou um prejuízo de R$ 13 milhões, segundo a PF. O valor se refere às postagens ilícitas já identificadas, sem a inclusão dos danos diários provocados pelo grupo investigado.

A PF informou ainda que cerca de 110 policiais federais estão cumprindo 9 mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão na cidade do Rio de Janeiro; dois mandados de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão nos municípios de Tamboré, Cotia, Bauru e São Caetano, no estado de São Paulo; além de um mandado de prisão temporária e um de busca em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Federal de Florianópolis de Santa Catarina.

Bloqueios

Para garantir o ressarcimento dos prejuízos causados aos Correios, a Justiça determinou os bloqueios de contas bancárias e o arresto de bens móveis e imóveis, incluídos carros de luxo e duas embarcações, sendo uma delas um iate avaliado em R$ 3 milhões. “Com as medidas, espera-se que seja efetivado o bloqueio de R$ 40 milhões dos investigados”, afirmou a PF.

De acordo com a PF, os investigados poderão ser indiciados nos autos do inquérito policial instaurado para a apuração dos fatos, pela prática dos crimes de corrupção passiva e ativa, concussão, estelionato, crimes tributários, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Correios

Por meio de nota, os Correios informaram que estão colaborando “plenamente” com as autoridades e que a empresa permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos. “Os Correios reafirmam o seu compromisso com a ética, a integridade e a transparência”, diz o comunicado.

Diversos

Correios decide deixar bancos postais no RN

O presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Guilherme Campos, informou aos integrantes da bancada federal potiguar, que o Banco do Brasil assumirá, até janeiro de 2018, os custos com os vigilantes nas agências de bancos postais no país.

A decisão no que se restringe ao RN foi tomada após uma mobilização da bancada potiguar.

Caso a ação fosse efetivada, o Rio Grande do Norte deixaria de ter mais de 100 bancos postais e o país mais de 1900 agências.

Estado

Bancada Federal tenta evitar fechamento de bancos postais no RN

Durante debate na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), de iniciativa da senadora Fátima Bezerra (PT), parlamentares, prefeitos e servidores dos Correios tentaram sensibilizar o presidente dos Correios, Guilherme Campos, e o vice-presidente do Banco do Brasil, Walter Junior, sobre a importância da manutenção dos bancos postais, especialmente para o desenvolvimento econômico dos pequenos municípios e a inclusão bancária de suas populações.

No RN, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre os Correios e o Ministério Público, restringe o funcionamento de bancos postais às agências que possuam vigilantes armados. Como parte das medidas de economia, a empresa decidiu tirar vigilantes de vários postos. O TAC foi assinado em uma tentativa de diminuir os assaltos com mortes que ocorreram em diversas agências.

O coordenador da bancada federal do Rio Grande do Norte, deputado federal Felipe Maia (DEM), participou do encontro, e falou também em nome dos colegas que não puderam comparecer: “A intenção é impedir que mais de 170 bancos postais espalhados no RN tenham as suas portas fechadas. Esses fechamentos podem acarretar prejuízos aos usuários que dependem dos serviços bancários oferecidos. Caso a medida ocorra, a população precisará deslocar-se para cidades polos com agências bancárias”.

Para a deputada Zenaide Maia (PR), o fechamento dos bancos postais vai deixar os municípios em situação difícil, onde a população vai ficar sem amparo e comprometer o desenvolvimento local. “Estamos tentando mudar essa decisão que na verdade é um grande erro e que vai prejudicar muito a população e o desenvolvimento dos municípios”, disse.

O deputado federal Rafael Motta (PSB), também participou da reunião.

Zenaide Maia com Fátima Bezerra e Rafael Mota

felipe_parecer

Política

Bancada federal solicita ao Presidente dos Correios a permanência dos bancos postais no RN

Em audiência com o Presidente dos Correios, Guilherme Campos, nesta terça-feira (5), parlamentares da bancada do Rio Grande do Norte solicitaram a permanência dos bancos postais nos municípios potiguares.  Recentemente, a direção do órgão anunciou o fechamento de agências dos Correios e a retirada de vigilantes armados em agências de todo o país.

No encontro, o coordenador da bancada federal, deputado federal Felipe Maia (DEM), a deputada Zenaide Maia (PR) e a senadora Fátima Bezerra (PT) entregaram um documento reforçando a necessidade de se manter os correspondentes bancários no estado.

Cidades

Agência dos Correios da Ribeira é assaltada novamente no mesmo horário do dia 30 de abril

No início da tarde desta terça-feira (09), a agência dos Correios, na Ribeira, sofreu seu segundo assalto no intervalo de 40 dias.

O primeiro assalto ocorreu em 30 de abril, ocasião em que quatro homens levaram uma quantia de dinheiro até hoje não divulgada e até o HD de computador com as imagens do circuito interno de TV.

No assalto de hoje (9) os assaltantes conseguiram levar o dinheiro dos caixas da empresa, que também funciona como banco postal do Banco do Brasil.

O detalhe são as coincidências que também foram quatro assaltantes, atuando no mesmo horário da vez passada e levando também a arma do segurança.