Política

Silveirinha Obama Clinton

No último domingo, dois amigos bebericavam no início da noite em conhecido barzinho do Plano Palumbo de Natal.

Mesmo com tempo fechado, se deliciavam com cervejas e iguarias enquanto viam a vitória do Barcelona sobre o Real Madrid por 2×1.

– Lionel Messi é um gênio!, berrou o mais entusiasmado.

No que o outro, empresário e conhecido pelo humor ferino rebateu:

– O Barcelona venceu porque Silveirinha de Mossoró concordou. Se ele estivesse no estádio,  mandava e o Real Madrid vencia.

Gargalhadas gerais.

O papo, descontraído, é  making off do comportamento intolerante do prefeito que assumiu o mandato pela primeira vez quando vereador eleito com 1.800 votos, pela cassação de Cláudia Regina(DEM).

Reeleito na votação suplementar, Silveirinha guardou em alguma gaveta a sutileza do diminutivo.

Vem atuando com punhos de aço e ultrapassando limites de convivência civilizada com os críticos.

Ambicioso, se inscreveu, em novembro, depois do  segundo turno para o Governo do Estado,  para presidente da Federação dos Municípios e contou com o apoio do governador eleito e incensado(à época), Robinson  Faria. Ganhou.

Silveirinha não tem ponto e parágrafo. É ponto final. Não gostou de qualquer opinião, até mesmo sobre Jogo do Bicho, faz valer sua vontade nada democrática.

Silveirinha – ou Silveirão pelas atitudes – processou o repórter  Dinarte Assunção, apenas por  comentário irônico sobre a distribuição de caixões com a identificação da prefeitura.

Não gostou de ser comparado a Odorico Paraguassu, lendário e muito mais competente personagem de Dias Gomes na novela o Bem-Amado, que construiu um cemitério inaugurado por ele próprio na novela da Globo.

Odorico ressuscitou e passou a caçar defuntos na sequência em minissérie, na década de 1980. Nunca encontrou.

Silveirinha conta com um estranho manto silencioso e protetor na mídia. Falta um Neco Pedreira, o combativo jornalista opositor de Odorico no Bem-Amado.

Calcule  se Silveirinha – ou Silveirão -, ou Obama Clinton –  a mistura dos dois mais famosos presidentes norte-americanos da história recente, ouvisse o que escutam, veem e leem Dilma Rousseff, Aécio Neves e os verdadeiros profissionais da política.

Mundo circular, que gira, os rompantes de Silveirinha – ou Silveirão -, haverão de sumir no anedotário piegas da história política do Estado.

Ou então, Messi que se cuide.

Com o prefeito de Mossoró, é na mordaça.

Remake de Ditadura.

E a administração de Mossoró, como é que vai? Posso perguntar, prefeito? 

z

Política

Sindicato de Jornalistas emite nota de repúdio ao Prefeito de Mossoró

Nota de Repúdio do Sindicato de Jornalistas:

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte repudia frontalmente a situação a que foi submetida o jornalista Dinarte Assunção. Institucionalmente, não vamos nos ater ao mérito da questão, até porque já houve o julgamento feito por um membro competente do poder judiciário, também não vamos questionar o direito de qualquer pessoa, mas defendemos e defenderemos SEMPRE o direito à crítica, principalmente, o direito do fazer jornalístico.

Com veemência nós não vamos jamais admitir qualquer tentativa de calar a imprensa e/ou de intimidação do nosso direito de opinião.

O Sindjorn se mantém firme na luta pela preservação do pleno exercício da nossa profissão e não descansará um só instante sempre que esse direito sofra quaisquer atentados.

Nos solidarizamos totalmente ao jornalista Dinarte Assunção e nos colocamos à inteira disposição desse ilibado profissional.

Política

Ditadura do Silveirinha

O Jornalista Dinarte Assunção foi ao Twitter na manhã desta quinta-feira (26), relatar que “a Justiça lá em Mossoró entendeu que era correto me condenar pelo texto sobre o prefeito daquela cidade e a história dos caixões timbrados”.

“Acolheu o argumento do prefeito de que eu atingi sua honra ao escrever um texto citando Odorico Paraguaçu. Impressionante”, disse ainda o competente Dinarte Assunção.

“Como não poderia deixar de ser, coube ao MPRN, em quem tanto bato, pedir minha condenação”, continuou o Jornalista.

É a ditadura do Silveirinha.

É uma pena um prefeito tão novo com velhas práticas.

No Brasil, existe a Liberdade de Imprensa, onde um indivíduo pode publicar e acessar informação (usualmente na forma de notícia), através de meios de comunicação em massa, sem interferência do estado.

Vale lembrar ainda que a liberdade de expressão é um direito humano inalienável e sua proteção, um elemento essencial para as sociedades democráticas.

Sem categoria

Jornalista e twitteiro são processados pelo Prefeito de Mossoró

O prefeito de Mossoró, Silveira Júnior (PSD), decidiu abrir processo judicial contra um tuiteiro Glebson Dantas e contra o jornalista Dinarte Assunção, por críticas contra sua administração.

No caso de Dinarte Assunção, segundo o jornalista revela em seu twitter, o processo se deu principalmente pela reportagem de grande repercussão dos caixões com a marca da Prefeitura de Mossoró doados pela instituição.

O fato foi repercutido por vários veículos de comunicação do Estado, inclusive, por este blog.

É uma pena um prefeito tão novo com velhas práticas.

No Brasil, existe a Liberdade de Imprensa, onde um indivíduo pode publicar e acessar informação (usualmente na forma de notícia), através de meios de comunicação em massa, sem interferência do estado.

Vale lembrar ainda que a liberdade de expressão é um direito humano inalienável e sua proteção, um elemento essencial para as sociedades democráticas.

Daqui, meu repúdio ao ato do prefeito de Mossoró e minha solidariedade ao colega de profissão Dinarte Assunção. Jornalista dos melhores do Rio Grande do Norte.