Política

Mais duas vereadoras de Natal na disputa em 2018

Além das vereadoras Eudiane Macedo e Natália Bonavides, também estarão na disputa em 2018, Nina Souza e Carla Dickson.

Nina disputando uma vaga na Assembleia Legislativa.

E Carla Dickson querendo uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Portanto, já são quatro vereadoras almejando outros cargos nas eleições do ano que vem.

Política

Duas vereadoras de Natal serão candidatas em 2018

Nos corredores da Câmara Municipal de Natal já se comenta que duas vereadoras disputarão mandato eletivo nas eleições de 2018.

Eudiane Macedo, que deixará o Solidariedade, disputará um mandato de deputada estadual ou federal pelo novo partido que ainda não está definido.

Já Natália Bonavides será aposta do PT para reconquistar uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Política

Doria admite sair do PSDB e descarta prévia com Alckmin

Pedro Venceslau, enviado especial, O Estado de S.Paulo

Em entrevista ao Estadão, o prefeito de São Paulo, João Doria, disse que as pesquisas de intenção de voto serão determinantes na escolha do candidato tucano ao Palácio do Planalto em 2018. Doria descartou a hipótese de disputar prévias com o governador Geraldo Alckmin. Questionado sobre a possibilidade de deixar o PSDB para concorrer à Presidência da República, ele não descartou: “Pretendo continuar, até que alguma circunstância me impeça disso”.

Na semana passada, um dia após o governador defender enfaticamente a intenção de concorrer à Presidência da República, Doria afirmou que seu padrinho político tem todo o direito de anunciar a sua intenção, mas que o povo é quem vai decidir quem será o melhor candidato.

O sr. disse que o fator povo será importante para definir o candidato do PSDB…

Importante não, definitivo. Não se pode imaginar a decisão do PSDB sobre o nome que vai disputar a Presidência da República ou o Estado de São Paulo se você não ouvir o povo. Não há como imaginar que alguém possa ser indicado sem que seja pelo povo.

Isso significa que as pesquisas terão um papel importante na escolha do candidato do PSDB?

Ao meu ver, sim. Se alguém tiver dúvida em uma pesquisa, que faça duas. Se tiver dúvida em duas, que faça três. Não ouvir o povo pode ser um erro fatal para o PSDB.

Então se o governador Geraldo Alckmin estiver em uma posição abaixo da sua nas pesquisas, como está hoje, o sr. seria o candidato? O PSDB deve levar as pesquisas em consideração?

Essa é uma decisão a ser tomada mais adiante. Ainda é cedo para avaliar. Não faço uma defesa personalista, mas nacional. Acertar na indicação é ouvir a população.

O sr. defende as prévias. Enfrentaria Alckmin na disputa interna?

Não disputarei prévias com Geraldo Alckmin, embora defenda as prévias. Não faz o menor sentido. Não faria isso. Desde já me excluo dessa condição.

O sr. esteve com o presidente da França, Emannuel Macron, que foi eleito após criar uma novo partido. É, segundo disse, uma referência. Falando francamente: após receber convites do PMDB e DEM, descarta a possibilidade de deixar o PSDB?

A política traz sempre ares, tempestades e fatos que não estão dentro do seu prognóstico. Isso se aprende rápido na vida política. Estou na política, mas não sou político. Não tenho intenção de mudar de partido, mas é sempre bom ouvir de outros partidos que você é bem-vindo. Não é só o PMDB e o DEM. Outros dois partidos tiveram a gentileza e a delicadeza de abrir as portas caso necessário. Agradeci. Estou no PSDB desde 2001, muito antes de pensar em ser candidato. Não entrei por conveniência. Pretendo continuar no PSDB, até que alguma circunstância me impeça disso. Em relação ao futuro, cabe a Deus indicar, iluminar e definir qual é o destino.

O sr. adotou recentemente um discurso mais moderado, sem citar a bandeira vermelha do PT. Essa mudança veio para ficar?

São etapas. O discurso é como uma caminhada. Daqui a 10 metros não será mais o mesmo cenário. Sua reação pode ser diferente. Sou um conciliador. Sempre fui uma pessoa integradora. Eu respeito as pessoas. Embora eu seja firme na defesa das minhas posições, nunca desqualifiquei e xinguei.

Chamou a Dilma de anta…

Não foi a melhor posição. Até me desculpei em relação a isso. Não precisava me referir a ela dessa maneira. Reafirmo minhas desculpas.

O governador Geraldo Alckmin apoia o senador Tasso Jereissati para a presidência do PSDB. Já o sr. apoia o governador de Goiás, Marconi Perillo. O sr. e governador estão se distanciando?

Não há afastamento nem diferenças pessoais. Há posições que nem sempre são as mesmas. Mas isso não implica um distanciamento meu em relação ao governador e dele em relação a mim. Eu de fato apoio o Marconi Perillo para a presidência do PSDB. Entendo que o senador Tasso cumpriu um papel importante, mas é hora de renovar. A renovação tem no nome de Marconi Perillo uma pessoa vibrante e inovadora. Seria um ganho tê-lo como presidente e manter Tasso na executiva.

Política

Pré-candidata ao Governo cumpre agenda em Felipe Guerra, Apodi e Caraúbas

A vereadora e pré-candidata ao Governo do Rio Grande do Norte pelo PSDC, Clorisa Linhares, cumpriu extensa agenda neste sábado, 26, pelo interior do estado.

No período da manhã, ela participou de curso de capacitação promovido pela União dos Vereadores do RN (Uvern), em Felipe Guerra, oportunidade em que reforçou junto aos parlamentares presentes o convite para audiência pública que debaterá, no dia 5 de setembro, na Câmara Municipal de Grossos, a situação da indústria salineira potiguar.

Na sequência, Clorisa seguiu para o Sítio Pindoba, zona rural de Apodi, onde, ao lado do presidente estadual do PSDC e pré-candidato ao Senado Federal, Dr. Joanilson de Paula Rêgo, realizou uma série de visitas aos moradores daquela comunidade.

Após concluir as visitas no Sítio Pindoba, Clorisa e Dr. Joanilson, acompanhados do advogado Zé Varelo, seguiram para Caraúbas, onde foram recepcionados na residência de Amélia Fernandes, figura conhecida na cidade e mãe do presidente da Câmara Municipal, vereador Josean Amorim.

Política

Incerteza inédita ronda eleições a um ano da campanha na televisão

Da Folha de São Paulo

A um ano do início da campanha à Presidência no rádio e na TV, que começa em 26 de agosto de 2018, o cenário eleitoral está indefinido, sem clareza de quem serão os candidatos das principais forças.

O enfraquecimento da polarização entre PT e PSDB, com ambos os partidos desgastados com a Operação Lava Jato, produz uma proliferação de nomes que poderão disputar o Planalto.

Entre os tucanos, o senador Aécio Neves (MG), ao apoiar o impeachment de Dilma Rousseff (PT), seria o herdeiro natural da recuperação econômica que se esperava com a posse de Temer.

Atingido pela Lava Jato, abriu espaço para o governador paulista, Geraldo Alckmin, pleitear a candidatura.

O desgaste da classe política tradicional, contudo, vem servindo de palanque para o prefeito paulistano, João Doria, apresentar-se como representante do “novo”.

A disputa velada entre o governador e o prefeito reorganiza forças dentro do PSDB e mesmo fora, com sondagens do Democratas e do PMDB a Doria.

Um líder tucano admite que a polarização entre PSDB e PT se esgarçou, pelo menos no retrato instantâneo. Pode vir a se reorganizar em eventual segundo turno, ele afirma, mas talvez não dite a campanha desde o primeiro.

Da parte do PT, a incógnita quanto à viabilidade jurídica da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em primeira instância na Lava Jato, deixa a centro-esquerda em compasso de espera.

Enquanto o ex-presidente faz sua caravana pelo Nordeste, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad ocupa o posto de plano B. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) já disse que não disputaria com Lula e flerta com a eventualidade de formar chapa com Haddad.

Sem clareza de quem será e o que defenderá o candidato do PSDB, o governo dá sinais de que pode lançar nome próprio como o ministro Henrique Meirelles (Fazenda).

A conjunção desses fatores leva analistas a apostarem que, se a eleição chegar ao segundo turno, terá candidatos com votação baixa.

SARNEYZAÇÃO

Os principais ganhadores do cenário de indefinição são os ‘outsiders’, os candidatos que correm por fora dos partidos mais tradicionais, afirmou Rafael Cortez, da consultoria Tendências.

“Ainda que enfrentem condições difíceis por conta das regras de tempo de TV e eventualmente de doação de recursos públicos, a barreira para o segundo turno deve diminuir, viabilizando nomes como Jair Bolsonaro (PSC) e Marina Silva (Rede Sustentabilidade)”, disse o analista.

Para Cortez, o quadro atual se assemelha ao de 1989, com fragmentação de candidaturas e sem perspectiva entre o eleitorado de continuidade do governo, o que ele define como sarneyzação.

Na perspectiva histórica, “as eleições presidenciais têm se comportado quase como plebiscitos do governo em questão. Se bem avaliado, tende a gerar continuidade. Sem isso, todas as candidaturas vão ter de trabalhar a persuasão eleitoral”, disse.

Em comparação, em agosto de 2013, salvo por Marina, que ainda não definira que sairia como vice de Eduardo Campos pelo PSB, o quadro era relativamente previsível, com Aécio disputando pelo PSDB e Dilma pelo PT.

Mais uma vez, Marina não deixa claro se e como entrará na disputa. Sem estrutura partidária robusta e em meio à indefinição de Lula, ela se restringe a gestos: reuniu-se com artistas no Rio, em julho, uma vez na casa da empresária Paula Lavigne e outra na do ator Marcos Palmeira.

No campo da extrema direita, Bolsonaro viaja o país há mais de um ano para falar de seu projeto nacional. Pretende deixar o PSC e se filiar ao PEN para viabilizar a candidatura. O seu adversário imediato é Doria, com quem pode vir a disputar a parcela mais centrista de seu potencial eleitorado.

Política

Dilma defende candidatura de Fátima Bezerra ao Governo do RN

Questionada pelo Blog de Heitor Gregório na Tribuna do Norte sobre os rumos do PT no Rio Grande do Norte, nas Eleições de 2018, a ex-presidente Dilma Rousseff defendeu a candidatura ao Governo do Estado da senadora Fátima Bezerra.

“Espero pela candidatura à governadora da senadora Fátima Bezerra”, afirmou Dilma.

Foto: Heitor Gregório

Política

“Ney Lopes poderá concorrer ao Senado em 2018”, afirma Ney Júnior

Ainda na entrevista que concedeu ao Jornal das Seis, na noite desta segunda-feira (07), na 96 FM, o presidente em exercício da Câmara Municipal de Natal, vereador Ney Lopes Júnior (PSD), admitiu que o pai, ex-deputado federal Ney Lopes de Souza (PSD), poderá concorrer ao Senado em 2018.

Ney Lopes é procurador federal aposentado, professor universitário, atuante no Jornalismo, ex-vice-prefeito de Natal, ex-Secretário de Estado e ex-deputado federal por seis mandatos.

Política

Em Mossoró, Kelps Lima admite ser candidato a governador em 2018

O deputado estadual Kelps Lima, presidente estadual do Solidariedade no Rio Grande do Norte, passa a admitir uma possível candidatura a governador do Rio Grande do Norte, em 2018. Foi em entrevista ao Jornal da Tarde (Rádio Rural de Mossoró), apresentado pelo jornalista Saulo Vale. O parlamentar ainda disse que o Solidariedade vai lançar candidatos a todos os cargos eletivos.

Kelps também rendeu críticas à atual bancada federal potiguar: “A nossa bancada federal é muito fraca. Eles são leões aqui no RN e vão se transformando em gatinhos no avião até chegar em Brasília, e descem do aeroporto todos miando”, ironizou.

Sobre a gestão Robinson Faria, o deputado oposicionista alfinetou. “Nada está sendo feito para mudar. O que Robinson fez para enfrentar a crise? Gastou um bilhão de reais da previdência, vendeu a conta do Banco do Brasil, aumentou os impostos. Acho Robinson um dos maiores desastres administrativos da história do Rio Grande do Norte”.

z

Política

Robinson tenta queimar Carlos Eduardo para 2018

O governador Robinson Faria (PSD) vem atuando forte nos bastidores, no que se refere as redes sociais, para tentar envolver o nome do Prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT), na Operação Cidade Luz, deflagrada pelo Ministério Público, para apurar o desvio de R$ 22 milhões na Secretaria de Serviços Urbanos do Município, culminando no afastamento pela Justiça do presidente da Câmara, vereador Raniere Barbosa.

Manchado pela Operação Lava Jato, citado por delatores da Odebrecht e JBS, Robinson enxerga Carlos Eduardo como um possível e forte adversário seu na disputa pelo Governo do Estado em 2018.

Até aqui, Carlos Eduardo segue sem – sequer – nenhuma citação em qualquer escândalo. O que – no momento – já representa um diferencial em relação a Robinson, que tentará a todo custo ser reeleito até para manter seu foro privilegiado.

Quanto à Operação Cidade Luz, o próprio Ministério Público declarou que até as presentes investigações, não existe nenhum indício de envolvimento do Prefeito.

E o Governador tem esquecido que seu maior adversário é o próprio Governo: não só dos salários atrasados, mas da falta de Segurança, Saúde e um Sistema Prisional que pelo menos funcionem.

Ou seja: a tentativa de Robinson tem sido em vão.

Política

Cláudio Santos poderá ser o nome do PSDB para Governador

O nome do desembargador Cláudio Santos começa a ser visto como alternativa viável dentro do PSDB para disputar o Governo do Estado em 2018.

Nas discussões internas, o partido que é presidido por Ezequiel Ferreira, quer lançar nomes para o Governo e Senado.

No tucanato, dizem ainda que para ser uma chapa totalmente de nomes novos na política, o vice poderia ser do Partido da República (PR), entre o mossoroense Jorge do Rosário e o advogado seridoense, Fernando Antônio Bezerra (Fernandinho).

Política

Robinson quer atrair Fafá Rosado para o PSD

Sem sinalização de que contará com a prefeita Rosalba Ciarlini (PP), em seu palanque de 2018, nem muito menos com Sandra e Larissa Rosado, o Governador Robinson Faria (PSD) quer atrair para o PSD, em Mossoró, a ex-prefeita Fafá Rosado, atualmente filiada ao PMDB.

Em Mossoró, o PSD está sem representante desde o rompimento do aliado de primeira hora e também ex-prefeito Silveirinha.

A articulação para atrair Fafá ao partido será feita pela primeira dama Julianne Faria.

Política

Após definir Magnólia para disputar Senado, Solidariedade de Kelps busca construir nome para Governo

O Solidariedade, presidido no Estado pelo deputado estadual Kelps Lima, que já definiu o nome de Magnólia Figueiredo para disputar o Senado, agora trabalha a construção de uma candidatura ao Governo.

Entre os que defendem candidatura própria do Solidariedade ao Governo estão o prefeito de Jucurutu, Valdir Medeiros “o liso”, o ex-prefeito de Almino Afonso, Lawrence Amorim, o ex-prefeito de Olho D’água do Borges, Breno Queiroga, o ex-vereador de Mossoró, Soldado Jadson, o vice-prefeito de Várzea, Janiel Hercílio, o vice-prefeito de Canguaretama, João Alberto, o presidente do diretório municipal de Natal, médico Jeancarlo Fernandes Cavalcanti, entre outros.

Política

DEM espera receber 12 deputados federais do PSB

Um dos assuntos tratados na reunião entre o DEM do senador José Agripino Maia e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), foi que o partido espera contar com pelo menos 50 deputados federais na janela de transferência partidária prevista para ocorrer no início de 2018, segundo publicou o Estadão. Ao menos 12 deles viriam do PSB, partido do vice-governador Márcio França, um dos principais aliados de Alckmin e que disputa a presidência nacional do partido.

Alckmin foi informado de que o DEM, que hoje tem 31 deputados, sendo 29 em exercício, calcula que vai chegar a 50 deputados, se tornando uma das maiores bancadas da Câmara e superando a do PSDB, que tem 46.

Política

PEN realiza encontro para discutir eleições 2018 no Seridó

O Partido Ecológico Nacional (PEN) realiza no próximo dia 27 de julho o 1º Encontro Regional do Seridó para começar a discutir a participação do partido nas eleições de 2018.

O presidente estadual do PEN, Luiz Gomes, explicou que o evento vai nortear o futuro do partido e contará com representantes de todos os municípios da região. “Esse evento é importante para o PEN, porque mostra que o partido sai na frente discutindo o próximo pleito, mas sempre escutando a população”, pontuou.

O evento será realizado na Câmara Municipal de Caicó, a partir das 9h. Durante o Encontro Regional, também serão eleitos os presidentes do PEN Jovem e do PEN Mulher.

Política

Plano B de Robinson, Julianne Faria estreia nas ondas do rádio

A primeira dama do Estado, Julianne Faria, é o plano B do governador Robinson Faria (PSD) para um projeto político em 2018, caso o chefe do executivo estadual continue com a popularidade em baixa e sem condições eleitorais de entrar na disputa pela reeleição.

Sem deixar dúvidas, Julianne tem procurado ocupar os espaços do Governo, principalmente com a ausência do deputado federal Fábio Faria (PSD) aqui do Estado, após ser citado nas delações da Odebrecht e JBS da Operação Lava Jato.

E nesta segunda-feira (17), Julianne estreou um programa de rádio em emissoras da Região Agreste, reduto eleitoral adotado pelo marido desde o início da vida pública em 1986, quando foi eleito deputado estadual.

z

Política

Pré-candidata a governadora participa de encontro com vereadores

A pré-candidata ao Governo do RN pelo Partido Social Democrata Cristão (PSDC), Clorisa Linhares, esteve neste fim de semana, na cidade de Tibau, participando de encontro com legisladores de diversos municípios potiguares promovido pela UVERN (União dos Vereadores do Rio Grande do Norte), na Câmara Municipal de Tibau, região da Costa Branca. Clorisa Linhares também é vereadora, na cidade de Grossos (RN) pelo mesmo partido, e esteve representando o município nas discussões realizada em Assembleia Geral da entidade sobre assuntos internos do órgão.

Na oportunidade, ela apresentou o trabalho que vem desenvolvendo no município de Grossos e dialogou com vereadores de vários partidos e cidades que estavam presentes. A UVERN possui estreita ligação com a União dos Vereadores do Brasil, hoje contando com mais de 57 mil vereadores em todo país. A entidade busca o fortalecimento dos mais de 1.600 legisladores existentes no RN. Ao fim da assembleia, Clorisa Linhares afirmou estar satisfeita com a recepção positiva de seu nome, manifestada pelos edis, para ao pleito de 2018.

Na ocasião, estiveram reunidos vereadores de Apodi, Caicó, Felipe Guerra, Grossos, São Paulo do Potengi, Mossoró e Tibau. Muitos representando variadas siglas partidárias, tais como, PSD, PR, PMN, DEM, PCdoB, além do PSDC.

crédito - assessoria de imprensa - 17.07

Política

Geraldo Melo admite candidatura ao Senado ou Câmara Federal

Esta Tribuna do Norte entrevistou o ex-governador e ex-senador Geraldo Melo, presidente de Honra do PMDB potiguar, nas duas paginas de política deste domingo (16). 

Voz experiente e que por diversas vezes falou pela Presidência do Senado, nas ausências de Antônio Carlos Magalhães, o ex-vice-presidente do Senado criticou a postura da senadora Fátima Bezerra (PT) ao ocupar a cadeira do atual presidente Eunício Oliveira (PMDB-CE). 

Geraldo abordou ainda a situação política e econômica do Brasil. 

E sobre 2018, admitiu uma candidatura ao Senado ou Câmara Federal, se for para uma missão ou convocação. 

“Deixando bem claro que não me sinto candidato a nada, não estou trabalhamdo para ser candidato. Agora, se eu for convocado, o Senado é um lugar que eu acho que teria condições de cumprir (as atribuições do cargo)”. 

Logo depois, também disse que pode contribuir como deputado federal. 

Política

Vereadora de Grossos disputará o Governo do Estado pelo PSDC

Surge mais um nome para a disputa pelo Governo do Estado nas eleições de 2018. 

É a vereadora de Grossos, Clorisa Linhares (PSDC). 

O convite partiu do presidente estadual do PSDC, Joanilson de Paula Rêgo. 

Formada em Contabilidade e Direito, com pós-graduação em Segurança Pública, Clorisa se considera preparada para Governar o Rio Grande do Norte. 

Política

Juventude do PSDB vai trabalhar expansão no interior potiguar

A nova executiva estadual da Juventude do PSDB esteve reunida nesta tarde de segunda-feira (10), com objetivo de interiorizar o segmento do partido, que mais cresce no Rio Grande do Norte. Em pauta, a expansão de novas comissões e o plano de trabalho para os próximos anos no Estado.

Eleito presidente na convenção estadual realizada em abril, Albert Einstein apresentou durante a reunião o projeto de reestruturação e interiorização da Juventude Tucana e o plano de ação. O projeto, aberto para receber sugestões, inclui a criação de regionais do PSDB na Grande Natal, Agreste, Seridó, Trairi, Mato Grande, Vale do Açu, Médio e Alto Oeste, além das regiões Salineira e Litorânea.