Economia

Governadora volta a tratar da possível instalação de fábrica para o setor eólico no RN

A instalação de uma fábrica de produção de peças e montagem de turbinas eólicas no Rio Grande do Norte foi pauta de discussão entre a Governadora Fátima Bezerra e dirigentes de cinco empresas chinesas nesta sexta-feira (29), em Pequim, na China. A reunião faz parte das ações que pleiteiam a vinda de investimentos para o estado no setor eólico.

“Temos buscado melhorar o ambiente de negócios e mostrar que o Rio Grande do Norte é um estado bom para se investir, sobretudo por ser o setor eólico uma atividade econômica fundamental para o RN, além de toda experiência e potencial natural que o Estado já tem”, destacou Fátima.

Ela lembrou que este é o terceiro encontro com os chineses nesta semana, tendo já assinado dois protocolos de intenção, um com a SPIC e outro com a CGN.

Economia

Em fórum, governadora destaca previsão de investimentos em energia eólica no RN

O Rio Grande do Norte é o estado que lidera a geração de energia eólica no Brasil, contando cerca de 30% do potencial instalado no país. O trabalho do Governo do Estado para consolidar a posição no ranking e ampliar a capacidade foi o destaque do discurso da governadora Fátima Bezerra na abertura do 11º Fórum Nacional Eólico, nesta quarta-feira (14).

Desde janeiro, a chefe do Executivo estadual e o secretariado de Governo receberam uma série de empresas do Brasil e de quatro países para discutir novos investimentos. A previsão é de que 60 novos parques eólicos sejam instalados no estado até 2023, com mais de R$ 10 bilhões aplicados.

“A responsabilidade do Governo é manter o Rio Grande do Norte na frente. Por isso estamos imprimindo um trabalho sério e dedicado para emitir as licenças ambientais mais rápidas do Brasil, garantindo segurança jurídica para os servidores sem descuidar da qualidade técnica”, destacou Fátima Bezerra.

Forum Eólico Nacional_Elisa Elsie (3)

Foto: Elisa Elsie

Economia

RN receberá investimento de R$ 2,4 bi em complexo eólico, diz Estadão

O Estadão com agências internacionais informa nesta quarta-feira (19) que a desenvolvedora de projetos de energia Casa dos Ventos investirá cerca de R$ 2,4 bilhões em um complexo de geração eólica no Rio Grande do Norte, que ainda poderá ter a capacidade quase duplicada no futuro.

O empreendimento terá potência instalada de 445 megawatts, com equipamentos da dinamarquesa Vestas, que fornecerá 106 turbinas ao complexo. O valor do contrato não foi divulgado.

Os suportes do motor serão produzidos na fábrica da Vestas no Ceará, enquanto que as pás e torres também serão produzidas localmente, de acordo com as regras do Finame II do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Uma boa notícia para a economia do RN, que dará lucro ao Estado com impostos e vai gerar um bom número de empregos.

Foto: Ana Silva

Foto: Ana Silva

Economia

Empresa portuguesa de energia eólica investirá mais de R$ 3 bi no RN

Líder nacional no setor de energia eólica, o Rio Grande do Norte receberá mais investimentos para geração de energia limpa. A empresa portuguesa EDP Renováveis apresentou à governadora Fátima Bezerra, nesta sexta-feira (03), o projeto de implantação de 20 parques nos próximos cinco anos no Estado.

A EDP foi a empresa vencedora dos últimos leilões promovido pelo Governo Federal para instalação e exploração de energia eólica no RN. O novo projeto prevê a construção de quatro complexos e 20 novos parques eólicos, chegando a cidades antes não beneficiadas. Os municípios contemplados nesta etapa são Jandaíra, Touros, Lajes, São Tomé, Cerro Corá, Pedra Preta e Pedro Avelino. A empresa já opera oito parques nos municípios de Parazinho, Jandaíra e Touros.

Presentes à reunião, além dos diretores da empresa, os secretários Carlos Eduardo Xavier (Tributação), Jaime Calado (Desenvolvimento), Werner Farkatt (diretor técnico do Idema) e Miguel Salustino, vice-prefeito de São Tomé.

Foto: Ivanízio Ramos

Foto: Ivanízio Ramos

Economia

Instalação de parques eólicos em assentamentos de reforma agrária será discutida em Natal

A adversidade climática e hidrológica no Nordeste brasileiro dificulta a atividade agrícola do homem do campo. Por outro lado, há áreas na região com potencial para instalação de usinas eólicas próximas de comunidades rurais no interior do estado, muitas delas definidas por assentamentos de reforma agrária e que, por restrições legais, impossibilitadas de fazerem parte de projetos eólicos.

De acordo com informações do Incra/RN, o Rio Grande do Norte – estado considerado o maior produtor de energia eólica do país – a geração de energia elétrica produzida a partir da força dos ventos beneficiaria aproximadamente 60% dos quase 300 assentamentos criados pelo Incra no estado, o equivalente a cerca de 170 áreas.

Nesse contexto, o Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE) criou a Comissão Executiva para a Regulamentação e Monitoramento de Atividades Energéticas em Projetos de Assentamento da Reforma Agrária, cujo objetivo é discutir a possibilidade da participação de áreas de assentamentos no desenvolvimento de projetos eólicos como forma de oferecer sustentabilidade a essas localidades.

Para Jean-Paul Prates, presidente do CERNE, as áreas da reforma agrária também devem ser beneficiadas com os investimentos decorrentes da instalação de parques eólicos. “As regiões que concentram a maior parte dos assentamentos federais na Estado coincidem com as regiões com maior incidência de ventos com capacidade para geração de energia”, acrescenta.

A Comissão Executiva será oficialmente instalada durante o X Fórum Nacional Eólico – Carta dos Ventos [+10], que acontece nesta semana, de 25 a 27 de julho, no auditório da Escola de Governo do Rio Grande do Norte, no Centro Administrativo, em Natal. Em 2018 o evento celebra uma década de consolidação da indústria eólica no Brasil.

Economia

Porto de Natal recebe novos equipamentos eólicos

O navio Aliança Energia atracou nesta quarta-feira (31) no Porto de Natal, trazendo de Santos (SP) peças eólicas, entre elas, 24 pás e diversos outros equipamentos, desta vez para usinas eólicas do próprio Rio Grande do Norte. Tem sido constante o recebimento de equipamentos eólicos pelo Porto de Natal também para outros Estados, como Bahia e Piauí, além de outros tipos de cargas de grande porte para a Paraíba.

Na opinião do presidente da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), Emerson Fernandes, as águas calmas do Porto de Natal “facilitam o descarregamento de cargas complicadas”. Vale ressaltar que a retirada dos equipamentos do porto em carretas, também ocorrem da melhor maneira possível, sempre pela madrugada, a fim de não causar transtorno ao trânsito de veículos no período diurno.

O Rio Grande do Norte é o Estado com a maior potência instalada em energia eólica no Brasil. Essa potência ultrapassou 2 Gigawatts (GW) em meados de abril do ano passado. O Estado foi o primeiro do país a superar a marca de 2GW em potência eólica. Há aproximadamente 2 mil turbinas eólicas distribuídas por quase 100 usinas em todo o Estado.

Para 2016, a projeção da CODERN é fechar o ano com 700 mil toneladas de cargas movimentadas pelo Porto de Natal e 2,2 milhões de toneladas pelo Terminal Salineiro de Areia Branca.

Peças eólicas

Economia

Robinson destaca potencial do RN no maior evento de energia eólica da América Latina

O governador Robinson Faria participou na tarde desta terça-feira (1º) da edição 2015 do Brazil Windpower Conference and Exhibition (BWP), maior evento de energia eólica da América Latina, realizado no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro.

O chefe do Executivo Estadual, que foi o primeiro governador convidado para falar no evento, discursou durante 10 minutos, abordando o potencial eólico instalado e a previsão para os próximos anos no Estado.

O evento teve a participação do ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, presidente executiva da Abeeólica, Elbia Gannoum, secretário-geral do Global Wind Energy Council, Steve Sawyer, o governador do Piauí, Wellington Dias, a vice-governadora do Ceará, Izolda Cela, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico do RN, Flávio Azevedo, e a Diretora Executiva – CTGAS-ER, Cândida Amália.

Robinson Faria completou que no RN os investimentos no setor já chegam a R$ 4 bilhões, e que até 2017 o setor de energia eólica vai gerar mais de 30 mil empregos diretos ou indiretos no Estado.

  

Economia

Robinson vai ao Rio de Janeiro participar de evento de energia eólica

O governador Robinson Faria participará da abertura do maior evento de energia eólica da América Latina, o Brazil Windpower (BWP) 2015, nesta terça-feira (1º). A cerimônia, na qual o governador potiguar terá 10 minutos de explanação, acontece no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro.

O Rio Grande do Norte é o maior produtor de energia eólica do país, com 80 usinas em operação produzindo 2.119,2 MW. Há ainda 23 usinas em construção, com previsão de 624,8 MW de geração, e 72 usinas contratadas, que deverão produzir 1.891,7 MW. Isso representa um total de 4.635,7 MW de produção num curto prazo.

Foto: Rayane Mainara

Eólica - Foto Rayane Mainara (2)

Economia

Secretário Estadual de Desenvolvimento coloca em risco o setor eólico do RN

O NOVO JORNAL deste domingo (03) veicula uma reportagem preocupante. 

O setor de energia eólica, que já trouxe mais de R$ 9 bilhões de investimentos ao Rio Grande do Norte (nos últimos dois anos) e ajuda a economia de vários municípios está correndo o risco de ser prejudicado e ver sua atividade desestimulada. 

A ameaça decorre de uma proposta do secretário de Desenvolvimento Econômico (Sedec), o paranaense Paulo Roberto Cordeiro, que quer implantar a cobrança de royalties sobre a produção de energia eólica. 

Na prática, a medida representará mais um imposto sobre a atividade e – segundo especialistas – vai acabar sendo paga pelo consumidor. 

Diante da situação, entidades, empresários e especialistas no assunto estão fazendo o alerta sobre o risco que a economia do Estado está correndo e se colocando contrários à proposta. A medida pode retirar até 3% da receita das empresas ligadas a este segmento da economia. De acordo com representantes do setor, a cobrança vai inviabilizar o crescimento da atividade em solo potiguar e afastar futuros investidores.

 

  

Economia

Rio Grande do Norte possui a maior matriz eólica do país

A Agência Nacional de Energia Elétrica, (Aneel), liberou no mês de fevereiro, a operação comercial de mais quatro usinas eólicas no Rio Grande do Norte. 


Ao todo, os quatro empreendimentos têm capacidade para geração de 94 MW. A notícia positiva é só mais uma entre os avanços, que o setor tem alcançado nos últimos anos. 


Pode-se dizer que o Rio Grande do Norte começou o ano de 2015 comemorando, o estado possui hoje a maior matriz eólica estadual do Brasil e também a maior capacidade instalada.


Segundo a Agência Reguladora de Serviços Públicos, (Arsep), responsável pela fiscalização dos parques eólicos no estado, o RN hoje é autossuficiente na produção de energia limpa, conta com 70 parques eólicos em operação, 31 em construção e 67 já com autorização para serem iniciados. 


Fotos: Assessoria




Sem categoria

Rosalba participa de missa solene da Padroeira de Natal e da inauguração de parques eólicos em Areia Branca

A governadora Rosalba Ciarlini participou na manhã desta sexta-feira (21) da missa em homenagem a Nossa Senhora da Apresentação, Padroeira de Natal.

Na ocasião, o arcebispo agradeceu o apoio da governadora e do Governo do Estado aos festejos à Padroeira.

No final da celebração, Rosalba Ciarlini recebeu uma réplica de Nossa Senhora da Apresentação nas mãos do arcebispo como forma de agradecimento pela aprovação da emenda parlamentar para a realização das obras de impermeabilização da Catedral.

À tarde, Rosalba esteve em Areia Branca, participando da inauguração de três Parques Eólicos.

IMG_0119.JPG

Sem categoria

Brasil ganha os primeiros parques eólicos totalmente privados

O parque eólico de Miassaba 2 é o primeiro do Brasil a operar no ambiente do mercado livre. Com Aratuá 1, no mercado cativo, totalizam as duas primeiras unidades desenvolvidas totalmente pela iniciativa privada – após a lei 10.848, promulgada em 2004. Com inauguração no dia primeiro de março, as usinas juntas somam R$ 120 milhões de investimentos e 28,8 megawatts (MW) de potência, energia suficiente para abastecer uma cidade com 70 mil residências.

Desenvolvidos e implementados pela Bioenergy, empresa pioneira em energia limpa no Brasil, os parques eólicos de Miassaba 2 e Aratuá 1, localizados na cidade de Guamaré, no Rio Grande do Norte, ganharam 18 turbinas GE Wind 1.6-82.5 MW – os primeiros equipamentos eólicos da GE a serem instalados na América Latina.

“Antecipamos a inauguração em cinco meses, o que marca a excelência de nossos projetos”, afirma Sérgio Marques, presidente da Bioenergy. “Além de reforçar o comprometimento da companhia com o País, o contrato com a Bioenergy consolida ainda mais a participação da GE neste mercado”, explica Jean Claude Robert, líder de Negócio para a América Latina.

Os parques eólicos de Miassaba 2 e Aratuá 1 eliminam 702 mil toneladas de dióxido de carbono na atmosfera. Isso equivale a um reflorestamento de dois milhões de árvores, preservadas por 21 anos. Juntas, as usinas geram 150 empregos diretos e indiretos.

(Redação – www.ultimoinstante.com.br)

 

Sem categoria

Empresa investe R$ 120 milhões e reforça potencial eólico do RN‏

Líder no segmento de energia eólica no Brasil, o Rio Grande do Norte recebeu nesta quinta-feira (01) mais um importante investimento com a inauguração dos parques Aratuá 1 e Miassaba 2, no município de Guamaré. Desenvolvidos e implementados pelo Grupo Bioenergy, os parques são os primeiros do País desenvolvidos totalmente pela iniciativa privada e representam a injeção de R$ 120 milhões no setor.

Para a governadora Rosalba Ciarlini a iniciativa da empresa é exemplo do potencial que o estado possui para se consolidar como líder no mercado de energias renováveis. “O RN tem todas as condições para se tornar líder não só no setor eólico como também no segmento de energia solar e o nosso trabalho é para que a cada dia mais investimentos sejam feitos”, afirmou a Governadora.

Durante a inauguração o presidente da Bioenergy, Sérgio Marques, ressaltou a importância da política governamental como um grande diferencial para a segurança dos investidores. “Não é em todos os estados que encontramos esse ambiente de apoio e tranquilidade para investir. O apoio institucional por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e do IDEMA foram fundamentais no processo de implantação do nosso grupo no RN”, garantiu. Com o Aratuá 1, operando no Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e o Miassaba 2 – o primeiro do Brasil a operar no ambiente do mercado livre – são gerados 150 empregos diretos e indiretos.

Nos parques funcionam 18 turbinas GE Wind – os primeiros equipamentos eólicos da GE a serem instalados na América Latina – com capacidade de gerar 28,8 MW, além de eliminarem 702 mil toneladas de dióxido de carbono na atmosfera. Isso equivale a um reflorestamento de dois milhões de árvores, preservadas por 21 anos.

Para o secretário do Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, o setor eólico vive um momento de atração e consolidação dos projetos que transformarão o Rio Grande do Norte num potencial na geração de energia limpa. “A política econômica do Governo do Estado está focada na utilização de todo o potencial de recursos naturais para transformá-los em geração de emprego e renda para a população. O setor de energia eólica é o exemplo de que estamos no caminho certo”, analisa.

 

Sem categoria

Assembleia debate mudanças no modelo de exploração da energia eólica

A Assembleia Legislativa promoveu na manhã desta segunda-feira (15), audiência pública sobre mudanças no modelo de exploração da energia eólica, e alternativas para a produção de outras energias renováveis.

O presidente da Assembleia, deputado Ricardo Motta, foi o autor da propositura e destacou que o atual modelo não beneficia o Rio Grande do Norte. “O atual modelo de exploração e geração de energias renováveis adotado no país evidentemente não representa ganho expressivo para a economia dos estados produtores. Na verdade o modelo beneficia apenas os grandes grupos econômicos, o Governo Federal e os estados consumidores de energia, visto que a parcela do ICMS arrecadado que retorna aos estados produtores é irrisória. Os benefícios diretos que ficam nos municípios são mínimos e irrelevantes”, afirmou Ricardo Motta.

A preocupação da Assembleia é compartilhada pelo representante da Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) no Estado, Luiz Eduardo Farias.

A audiência reuniu vereadores, prefeitos, e classe empresarial do Estado, além da presença especial do senador José Agripino Maia (DEM/RN). O parlamentar fez questão de destacar a importância do debate promovido pela Assembleia, e disse que a energia renovável será o grande trunfo econômico do Estado nos próximos anos.

Sem categoria

Energia Eólica: RN vai liderar o setor

Na audiência pública para discutir a questão da energia eólica, realizada na manhã desta sexta-feira (6), na Assembleia Legislativa, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, disse o Rio Grande do Norte vai liderar esse processo nacionalmente, pois com os investimentos da ordem R$ 8 bilhões no setor, após conclusão das usinas geradoras, o estado terá 50% da energia eólica do país.

Sem categoria

Rosalba de olho na eólica

A governadora Rosalba Ciarlini irá visitar na tarde desta terça-feira (01), às 16h30, o Porto de Natal, que recebeu ontem o navio Beluga Finess, procedente da Alemanha. Ele é responsável pelo transporte de pás eólicas destinadas à construção de um parque eólico em Parazinho-RN. O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, acompanhará a governadora.

O navio chegou carregado de 412 volumes, pesando 1.000 toneladas, destinados à montagem de aerogeradores.

Sem categoria

Vivaldo acompanha Rosalba na inauguração da Usina de Energía Eólica de Guamaré

Nesta quinta-feira (24), o deputado estadual Vivaldo Costa vai acompanhar a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), na inauguração da Usina de Energia Eólica Alegria I, que fica localizada na Praia do Minhoto, Área Rural de Guamaré/RN.

Na oportunidade, Vivaldo estará representando a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

A usina, em operação comercial desde 30 de dezembro de 2010, é a primeira de um par e tem capacidade de geração de 51,2 MW, energia suficiente para abastecer 70 mil moradias. Juntas, as duas plantas formarão o maior parque eólico da América Latina com capacidade de geração de 151,9 MW.