Sem categoria

Gesane Marinho com o pé direito no Governo Rosa

Governo é Governo.

E pensando nisso, a deputado estadual Gesane Marinho, recém filiada ao PSD do vice-governador Robinson Faria, já pensa em voltar atrás.

A deputada poderá retornar ao partido ao qual foi eleita: o PMN.

Na Assembleia, Gesane tem votado como manda o figurino os projetos do Governo Rosa.

Detalhe: Caso deseje retornar ao PMN, não haverá nenhum empecilho na justiça, pois o estatuto do PSD diz que não existe fidelidade partidária no novo partido.

Gesane Marinho adora a cor Rosa

Sem categoria

Governo Rosa assedia João Maia

Parte de todos os lados o assédio do Governo Rosa ao deputado federal João Maia, presidente estadual do Partido da República (PR).

João tem resistido.

Ao blog o deputado chegou a declarar que vai ajudar ao Governo Rosa, independente de adesão…independente  de cargos.

Sem categoria

Governo Rosa não avança nas negociações com policiais e bombeiros militares

Mais uma reunião entre entidades representativas dos policiais e bombeiros militares e a equipe do Governo do Estado e nada foi definido. A reunião foi realizada na tarde desta segunda-feira (10) na Consultoria do Estado e nela se esperava que o governo apresentasse uma contraproposta aos valores de subsídio apresentados pelas associações.

Amanhã, às 9h, será realizada uma assembleia geral, no auditório da Cemure, para comunicar a categoria que não houve nenhum avanço nas negociações.

O governo estadual, representado pelo secretário de Administração e Recursos Humanos, José Anselmo de Carvalho Júnior, alega não ter condições de pagar a proposta requerida pelos policiais e bombeiros militares. “Estamos no percentual máximo de comprometimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. A posição do governo é uma só sair da zona de perigo da LRF, mas não existe nenhuma expectativa que se mude essa situação tão cedo”, disse o secretário.

A proposta mantida pelas entidades representativas dos policiais e bombeiros militares é de um salário de R$ 3.447 para o soldado, o que equivale a 20% do salário do coronel com valor de R$ 17 mil e um parcelamento até 2014.

A proposta apresentada pelo governo, até o momento, é de um salário de R$ 2.700 com parcelamento até 2015. Com esse valor o soldado deixaria de receber os atuais 25% e passaria a receber 15% do salário do coronel.

Sem categoria

A partir de hoje…Rio GREVE do Norte

Por não ter como cumprir o compromisso assumido no final de junho, segundo informações do próprio secretariado, o Governo Rosa vai viver a partir desta terça-feira (04), uma nova onda de greve.

Já estão previamente anunciadas as seguintes paralisações: os técnicos administrativos da Secretaria Estadual de Educação e Cultura (Seec), a Fundação José Augusto, Emater, Idema, Detran, Idiarn e Emparn.

Ainda hoje, os médicos e Agentes Administrativos decidem se aderem ao movimento.

Às 08h haverá um protesto dos grevistas em frente à Governadoria.

Sem categoria

Chorando de barriga cheia?

Da coluna de Eliana Lima na Tribuna do Norte:

»Túmido
Enquanto o Governo Rosa(do) chora pitangas, os auditores da Tributação todo mês se reúnem para apresentar recorde de arreca-dação.
Uma coisa que a Abelhinha queria entender é a matemática do erário.
Mas, difícil, difícil demais, deixa-pralá.

»Investimento
Mas não falta dinheiro para diárias.
Somente nesta semana – de se-gunda à sexta -, o governo gastou quase 205 mil reais em diárias.
No mês, mais de 851 mil reais.

»Leque
Também não falta para festivida-des.
Para festivais de cultura e gastro-nomia em quatro municípios, a Fundação José Augusto investiu mais de R$ 300 mil. Fora os cerca de 800 mil no Agosto da Alegria.

Sem categoria

Do alto escalão Rosa: “O Estado não tem como pagar os aumentos”

Pelo discurso que corre entre os auxiliares de primeiro escalão do Governo Rosa, o Estado não tem condições de pagar o que foi prometido e o que obriga a Lei, de acordo com aprovação da Assembleia Legislativa.

“Os aumentos foram concedidos de forma irresponsável pelo Governo passado”, comentou um secretário da Rosa com o blog.

“Os aumentos foram aprovados pela própria Assembleia, onde o hoje vice-governador Robinson Faria era o presidente”, lembramos ao secretário.