Estado

Servidores da Unicat em greve

Chega ao blog a informação dando conta de que os servidores da Unicat entraram em greve.

Mais uma dificuldade para os pacientes que necessitam de medicamentos de alto custo, além de já enfrentarem o desabastecimento e na maioria das vezes só conseguir com determinação judicial.

Estado

Após ocupação do prédio, Presidente da Assembleia marca audiência de grevistas com Governador para 15 de dezembro

Após 24 horas da ocupação da Assembleia Legislativa, o deputados estaduais conseguiram a desocupação do Palácio José Augusto nesta terça-feira (5), onde servidores públicos estaduais da Saúde e Educação faziam manifestação. Pela manhã, abrindo o diálogo com o grupo, os deputados se colocaram à disposição para colaborar com o pleito dos servidores e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), garantiu audiência com o governador Robinson Faria (PSD), agendada para o dia 15 de dezembro.

“Mantivemos o diálogo aberto com todos, como sempre fizemos, e vamos participar de uma reunião com os servidores e com o governador para tratar das questões de interesse das categorias. Além disso, vamos dar andamento às atividades do Legislativo e apreciar com celeridade as matérias que também tratam de interesses dos servidores”, disse Ezequiel Ferreira.

Foto: Ney Douglas

Foto: Ney Douglas

Estado

Vídeo: Clima entre servidores do RN e Estado chega ao extremo e falta um mediador

Um fato nunca visto antes na história do Rio Grande do Norte é o que estamos assistindo atualmente na greve que ocorre de servidores públicos estaduais devido ao atraso salarial que engloba várias categorias, como Saúde, UERN e DETRAN, sem falar nos aposentados e pensionistas, que não têm mais o direito de fazer uma greve, mas também já estão protestando, como os que serviram a Polícia Civil fizeram nesta manhã.

Foram vários os Governos que tiveram greve de servidores do Estado. Nos últimos, Wilma de Faria sempre ia dialogar com os servidores e ao encontro deles nos protestos. Nunca pediu a retirada deles de nenhum local público, nem muito menos Rosalba Ciarlini, que por vários dias teve o acampamento dos grevistas com carros de som, foguetões e gritos de guerra em frente à própria residência oficial, que era localizada no Bairro de Morro Branco.

Logo agora, no prometido Governo do Diálogo, assistimos a episódios dos mais lamentáveis, como o da última sexta-feira, quando servidores desocuparam o prédio da Secretaria Estadual de Planejamento sob efeitos de bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta; e o de hoje, onde as próprias categorias se enfrentaram (Grevistas X PM).

Mesmo com as cenas fortes e tristes dos vídeos que circulam pelas redes, ninguém pode nem criticar a combalida Polícia Militar. Eles são os soldados da guerra. Quantos já morreram por aqui? Sem falar que trabalham sem as mínimas condições.

Fato é que precisa urgentemente aparecer um mediador entre os servidores em greve e o Estado. Papel que deve ser inicialmente das instituições e representantes públicos.

Nos resta lamentar a situação que toma conta do Estado.

Estado

PM usa bombas de gás lacrimogênio e servidores do Estado desocupam a Secretaria de Planejamento

Os servidores do Estado, em greve, que ocupavam o prédio da Secretaria Estadual de Planejamento desde a última quarta-feira (22), protestando contra o atraso salarial, foram obrigados a deixar o local no início da noite, por força policial, que utilizou até bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta.

A Justiça concedeu um mandado de reintegração de posse solicitado pelo Governo do Estado.

Os Policiais Militares ainda tentaram uma negociação com os líderes sindicais, mas não se chegou a um consenso.

O fato é mais um paradigma do Governo Robinson.

img_1545.jpg

Estado

Justiça manda que servidores estaduais em greve com salários atrasados desocupem a Secretaria de Planejamento

Os servidores que ocuparam a Secretaria Estadual de Planejamento, em greve, e protestando contra o atraso de salários, terão que deixar o local em até duas horas.

A decisão é da Justiça. Segundo o juiz Bruno Lacerda, é legítima a busca pela regularização dos salários, porém é ilegal a ocupação de um prédio público, impedindo seu funcionamento normal.

Estado

Governo do Estado emite nota sobre ocupação de servidores ao prédio da Secretaria de Planejamento

Nota do Governo do Estado:

A respeito da ocupação do prédio da Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan), ocorrida no fim da tarde desta quarta-feira, 22, informamos:

O governo está atuando para garantir o acesso, com segurança, dos servidores aos seus locais de trabalho, bem como para que o patrimônio público não seja depredado.

O governo conta com o bom senso dos manifestantes e espera que não ocorra nenhuma tentativa de impedir o funcionamento dos serviços públicos.

Estado

Vídeo: Servidores do Estado em greve ocupam Secretaria de Planejamento contra atraso de salários

Centenas de servidores públicos do Estado, em greve, ocuparam a sede da Secretaria de Planejamento, no Centro Administrativo agora há pouco.

Eles reivindicam que o governador Robinson Faria (PSD) coloque em dia o pagamento dos servidores, que está com dois meses de atraso.

Há dias, um grupo de grevistas acamparam na Governadoria.

Estado

Servidores da Saúde Estadual decidem pela continuidade da greve

Na tarde de ontem (20), os servidores da saúde realizaram uma assembleia no acampamento, na Governadoria. Com assembleia lotada, servidores aprovaram a continuidade da greve que já completou oito dias.

A assembleia com a presença do assessor jurídico do Sindsaúde-RN, que explicou sobre a decisão tomada pelo desembargador Amaury Moira Sobrinho. O advogado também esclareceu que a greve não foi decretada como ilegal e que o desembargador decidiu por conceder parcialmente o pedido da ação judicial do Governador Robinson contra a greve.

Mesmo com a decisão judicial de que estabelece uma quantidade de 70% de servidores trabalhando nas unidades, a greve irá permanecer e a assessoria do Sindsaúde irá recorrer.

“Hoje no Walfredo Gurgel tinha 95 pacientes em macas nos corredores e em locais inapropriados. Cerca de 25 pessoas estavam aguardando uma vaga na UTI. O governo está aplicando o mesmo que o governo Temer, retirando direitos e cortando verbas para os serviços públicos. A nossa luta é por salário em dia, mas também para garantir uma saúde pública de qualidade. Ameaçar a nossa greve e tentar criminalizá-la não irá nos intimidar. Ao contrário, nossa greve cresce a cada dia e se fortalece a cada dia”, disse Rosália Fernandes, do Sindsaúde.

Estado

Servidores em greve acampam na Governadoria reivindicando salários em dia

Os servidores da Saúde em greve e professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) decidiram acampar na Governadoria, reivindicado a regularização do pagamento salarial, que está em atraso, tendo em vista que só foi concluído o pagamento de setembro na última sexta-feira, 10 de novembro.

“O acampamento, igualmente a greve, segue em tempo indeterminado”, afirma a presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde do Estado do Rio Grande do Norte (Sindsaúde-RN), Rosália Fernandes.

Fotos: Sindsaúde-RN

Grevistas 3

Grevistas 1

Grevistas 2

Estado

Professores da UERN aprovam greve a partir do dia 10 de Novembro

Em uma assembleia lotada, professores e professoras da UERN, aprovaram greve geral por tempo indeterminado a partir do dia 10 de Novembro. A decisão é motivada pelos atrasos salariais, que se arrastam desde janeiro de 2016 e pelo total descaso do Governo de Robinson Faria com a universidade.

Após uma série de falas emocionadas, que destacavam a sensível piora nas condições de vida de professores e professoras da UERN e o notório desrespeito do Governo com a universidade, os mais 250 docentes professores presentes definiram, com grande maioria, que a parada nacional do dia 10 marcará o início da greve da categoria.

O comando de greve, formado após o fim da assembleia geral, determinou que participará das assembleias de outras categorias no decorrer da semana,  que devem confirmar greve por tempo indeterminado com unidade em todo o funcionalismo público do Rio Grande do Norte.

Política

PROCON do RN vai abrir procedimento contra escolas particulares que estarão em greve nesta sexta (28)

As escolas particulares católicas do Rio Grande do Norte decidiram aderir à greve geral que ocorrerá nesta sexta-feira (28), contra as reformas propostas pelo Governo de Michel Temer.

A decisão causou revolta nos pais, que pagam a mensalidade durante 12 meses e os filhos já gozam de férias duas vezes ao ano.

Após várias denúncias, o PROCON do Rio Grande do Norte decidiu abrir procedimento contra os estabelecimentos de ensino particulares que participarão do movimento grevista, objetivando a devolução proporcional da mensalidade.

z

Diversos

Grevistas fazem protesto pelas ruas de Natal

Servidores de diversas categorias profissionais que se encontram em greve no Rio Grande do Norte se uniram na manhã desta quarta-feira (15) para um protesto pelas ruas de Natal, que partiu da agência central da Previdência Social e terminou em frente ao prédio da Assembleia Legislativa.

Entre os manifestantes estavam os servidores em greve da Saúde Estadual, além dos funcionários da UERN (Universidade do Estado do Rio Grande do Norte), INSS e guardas municipais de Natal.

Durante a caminhada, os manifestantes distribuíram folhetos para a população com informações sobre as reivindicações. Os sindicalistas criticaram a política econômica e de “arrocho salarial” do Governo Federal, além da falta de ações de segurança pública das esferas Estadual e Municipal.

Foto: Assessoria do Sindsaúde

z4

z3

z2

z

Geral

Professores da UERN deflagram a primeira greve do Governo Robinson

O nosso Estado começa a viver a era do Rio GREVE do Norte.

Os professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte decidiram em assembleia nesta sexta-feira (22) deflagrar greve, que vai começar na segunda-feira (25), alegando compromissos assumidos e não cumpridos pelo governador Robinson Faria (PSD).

O Governo anunciou ao sindicato da categoria que não poderá conceder nenhum reajuste às categorias organizadas. Na visão do sindicato isso quebra o acordo firmado, e impede o realinhamento salarial de 57,53%, que permitiria a implementação do Plano de Cargos e Salários (PCS) da categoria.

Foto: Cedida ao Blog

z

Diversos

Pleno do TJRN reafirma ilegalidade da greve dos servidores do Judiciário

Os desembargadores que integram o Pleno do TJRN, na sessão ordinária desta quarta-feira (29), mantiveram a declaração de ilegalidade da greve dos servidores do Poder Judiciário, iniciada por meio do seu sindicato, o Sisjern, em 17 de março. A paralisação foi julgada ilegal, nos autos da Ação Cível Originária nº 2015.003423-4, mas, após assembleia realizada no dia 22 de abril, a entidade sindical decidiu pela sua continuidade.

Em seu voto, o desembargador Glauber Rêgo manteve os mesmos argumentos de sua decisão inicial e apontou que o direito de greve não é absoluto e que não pode ser exercido por tempo indeterminado. O voto do relator foi acompanhado à unanimidade pelos demais desembargadores.

Em decisão monocrática, no dia 17 de abril, Glauber Rêgo decidiu pela ilegalidade do movimento grevista, determinando o retorno imediato dos servidores às atividades, sob pena de multa diária de R$ 10 mil. Em consequência da decisão, mantida no Pleno do TJRN, a administração do TJRN também foi autorizada a cortar o ponto dos servidores – a partir da data da intimação sobre a decisão – com a possível compensação dos dias em paralisação ou por meio do desconto nos salários dos grevistas.

Antes da declaração de ilegalidade da paralisação, o desembargador Glauber Rêgo conduziu uma audiência de conciliação entre as partes, mas a proposta apresentada terminou rejeitada pela categoria.

Em consequência da decisão do Sisjern em manter a greve, a Presidência do TJRN resolveu suspender, enquanto perdurar a paralisação, a utilização do Registro Eletrônico de Ponto nas unidades do Poder Judiciário.

Sem categoria

Justiça não reconhece ilegalidade na greve dos servidores da Prefeitura de Natal

A desembargadora Maria Zeneide Bezerra, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, indeferiu pedido do Município de Natal para que fosse declarada a abusividade e ilegalidade da greve deflagrada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal (Sinsenat) desde o dia 7 de abril.

Na mesma decisão, a magistrada deferiu o pedido para que os grevistas se abstenham de impedir o direito de ir e vir das pessoas que queiram adentrar em qualquer recinto público, permitindo assim o livre acesso ao trabalho a quem assim o desejar, sob pena do pagamento de multa diária de R$ 5 mil.

Sem categoria

Professores da rede estadual decidem continuar greve

Em assembleia geral da rede estadual, realizada na tarde dessa quarta-feira (12), os trabalhadores em educação decidiram pela continuidade do movimento grevista. O impasse continua já que o Governo não enviou os projetos que atendem às reivindicações da categoria à Assembleia Legislativa. O projeto que põe fim ao prejuízo financeiro dos educadores quando do avanço na sua formação profissional já foi elaborado, mas continua engavetado.

A outra promessa não cumprida pelo governo que motiva a manutenção do movimento grevista é o projeto que trata da gratificação dos funcionários das escolas. Segundo o coordenador geral José Teixeira, esse plano sequer foi elaborado pela SEEC.

Nos próximos dias 17, 18 e 19 de março, a categoria participará da mobilização da greve nacional, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Os trabalhadores em educação exigem o cumprimento da lei do piso, carreira e jornada, investimento dos royalties de petróleo na valorização da categoria, votação imediata do Plano Nacional de Educação, destinação de 10% do PIB para a educação pública e contra a proposta dos governadores de redução do percentual de reajuste do Piso.

Uma nova assembleia de greve está marcada para a próxima quarta-feira (19), às 8:30 , na E.E. Winston Churchill.

z

Sem categoria

Justiça declara ilegalidade da greve de servidores públicos de Natal‏

O desembargador Vivaldo Pinheiro, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, concedeu tutela antecipada decretando a ilegalidade do movimento grevista dos servidores da Prefeitura do Natal. Pinheiro também determinou o imediato retorno dos servidores às atividades de trabalho sob pena de pagamento de multa por dia de atraso.

A decisão do desembargador, de plantão no feriadão, foi em resposta a uma Ação Cível Interposta pela Procuradoria Geral do Município. A Prefeitura elencou os prejuízos causados pela greve com a interrupção de serviços prestados à população, notadamente na área de saúde públicas. Um dos principais argumentos em relação ao caráter abusivo da greve foi a paralisação dos guardas municipais que são responsáveis pela proteção dos prédios públicos.

A paralisação da Guarda Municipal não obedeceu sequer ao dispositivo legal que obriga o trabalho de pelo menos 30 por cento do efetivo. Por causa disso, a prefeita recorreu à governadora Rosalba Ciarlini e a PM passou a oferecer segurança em diversas unidades de saúde que oferecem atendimento de urgência 24 horas.