Natal

Prefeitura abre Hospital de Campanha de Natal

O Hospital de Campanha montado pela Prefeitura de Natal para receber exclusivamente pacientes com a Covid-19 começou a funcionar nesta segunda-feira (04).

A unidade vai funcionar inicialmente com 100 leitos clínicos, além de duas unidades semi-intensivas.

Outros 20 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) estão sendo preparados para funcionar nos próximos dias.

Nenhum paciente está internado no local ainda.

A abertura do hospital contou com a presença do prefeito Álvaro Dias e do secretário municipal de Saúde, George Antunes. Na oportunidade, o padre Helenildo Marques, capelão dos Hospitais da Arquidiocese de Natal, e o pastor da Assembleia de Deus, Abel Moreno, abençoaram a unidade.

O prefeito Álvaro Dias destacou o empenho de toda a equipe da administração municipal para viabilizar a iniciativa que começou a ser gestada há pouco mais de um mês.

Caso seja necessária usar toda a capacidade do Hospital, serão cerca de 300 a 400 profissionais de saúde entre médicos, enfermeiros, técnicos, maqueiros e pessoal de outras especialidades atuando no espaço. O Hospital de Campanha também dispõe de quatro aparelhos respiradores, sendo dois instalados na unidade semi-intensiva e mais dois para suporte à enfermaria.

Os 20 leitos de UTI não foram abertos nesta segunda-feira em virtude da falta de equipamentos específicos como mais respiradores, monitores cardíacos e bombas de infusão. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está trabalhando para adquirir esse material.

Enquanto as UTIs do Hospital de Campanha não começam a operar, os pacientes de Natal que necessitarem de tratamento intensivo serão acolhidos no Hospital Municipal Doutor Newton Azevedo.

Hospital de Campanha 2 Hospital de Campanha

Poder

TCE aponta inconsistências em contratação do Governo do RN para implantação de hospital de campanha

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN) determinou diligência para saber quais providências o Governo do Estado vai adotar quanto à contratação emergencial para implantação e gestão de um hospital de campanha para pacientes com Covid-19.

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) deve informar e comprovar, no prazo de cinco dias, a decisão oficial acerca da continuidade ou desistência do projeto inicial de montar a estrutura no estádio Arena das Dunas.

Em seu despacho, o conselheiro Gilberto Jales, relator do processo, justifica a necessidade de que sejam esclarecidas questões apontadas no Relatório de Acompanhamento (informação técnica resultante da atuação concomitante do controle externo na fiscalização da referida contratação emergencial do governo). A peça foi produzida por uma comissão intersetorial do TCE – Diretoria de Administração Direta (DAD) e Inspetoria de Controle Externo (ICE) – que integra o grupo de acompanhamento criado especificamente para auditar as despesas relacionadas ao enfrentamento da pandemia de coronavírus.

Apesar de anunciada na imprensa a desistência da instalação do hospital na Arena das Dunas, os auditores observam que não foi constatada a revogação do chamamento público por ato formal.

Estado

Coronavírus: Governo do RN anuncia desistência de implantar Hospital de Campanha na Arena das Dunas

O Governo do RN confirmou a desistência de implantação de um hospital de Campanha do Estado contra o Coronavírus na Arena das Dunas.

Em release à imprensa, anunciou a parceria para leitos e gestão com a Liga Norte-riograndense contra o Câncer. O acordo foi firmado na manhã desta quinta-feira (16), após videoconferência com a presença da governadora Fátima Bezerra, dos órgãos de controle e de representantes da instituição médica de filantropia.

“No caso da Arena das Dunas importa dar transparência às razões pelas quais restou infrutífera a chamada pública que ergueria um hospital de Campanha na Arena das Dunas”, diz o Governo.

Arena

Estado

Governo do RN pode desistir de instalar hospital na Arena das Dunas

Não será surpresa se o Governo do RN desistir de instalar o hospital de campanha do Coronavírus na Arena das Dunas.

Nesta quarta-feira (15), o secretário Estadual de Saúde, Cipriano Maia, afirmou que as propostas recebidas para o hospital de campanha “são inviáveis financeiramente”.

Desde o início, a possível instalação do hospital gerou ruídos. A intenção inicial era contratar uma Organização Social para implantar a unidade hospitalar. O valor seria de R$ 37,1 milhões.

Após intervenção do Ministério Público, o processo para a escolha da empresa para administrar o hospital foi prorrogado.

Estado

Sete empresas apresentam propostas para implantar Hospital na Arena das Dunas

Ainda na coletiva à imprensa deste sábado (11), se falou sobre o processo para a contratação de organização social ou filantrópica que irá fazer a gestão do hospital de campanha. O prazo para apresentação de propostas das empresas encerrou às 17h desta sexta-feira (10). Foram apresentados projetos que estão no prazo de avaliação pela equipe técnica da Sesap.

“Só após a análise é que iremos divulgar os resultados desse chamamento. No total foram apresentadas sete propostas que surgiram após o Termo de Ajustamento de Conduta que o Governo do Estado celebrou com o Ministério Público Estadual e Federal. Entendemos a urgência e emergência da situação e o Governo deve apresentar as informações e resultado no Diário Oficial na próxima segunda-feira (13)”, esclareceu Luciana Daltro, assessora jurídica do Governo.

Estado

Governo do Estado amplia possíveis concorrentes para Hospital de Campanha após acordo com MPs estadual e federal

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Ministério Público Federal do Rio Grande do Norte (MPF/RN) e o Governo do Estado firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para implantação e funcionamento de um hospital de campanha em Natal. O TAC foi publicado em edição extraordinária do Diário Oficial do Estado do RN neste sábado (4). O hospital será utilizado no enfrentamento emergencial da pandemia do coronavírus, causador da Covid-19.

O objetivo do TAC é ajustar a contratação emergencial de ampliação e aparelhamento das unidades de tratamento das pessoas infectadas pelo coronavírus de forma que não haja violação aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, da publicidade, da eficiência e da economicidade.

O TAC determina a adequação dos procedimentos, dentre os quais a eventual contratação emergencial de pessoa jurídica responsável pela gestão do hospital de campanha, mediante fornecimento total ou parcial de recursos humanos, bens, insumos, medicamentos, equipamentos hospitalares e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) a serem empregados no combate ao coronavírus.

O Governo está autorizado a ampliar o universo de virtuais concorrentes no chamamento público publicado no Diário Oficial do Estado, de modo a permitir a mais ampla competição e seleção da proposta mais vantajosa para o erário e para os interesses dos serviços de saúde, podendo selecionar sociedades empresariais hospitalares e de saúde em geral.

Se esse chamamento público fracassar, o Governo do Estado se compromete a empregar todos os meios legalmente cabíveis e ajustados à imediata instalação e funcionamento do hospital de campanha, seja através da contratação de Organização Social, Instituição Filantrópica ou sociedade empresarial hospitalar, inclusive mediante a locação de bens e equipamentos, celebração de contratos de gestão com uma ou mais instituições, inclusive podendo celebrar contratos diversos para objetos distintos (um ajuste para gestão e contratação de pessoal, outro contrato para locação de equipamentos, entre outras possibilidades).

Clique aqui e confira a íntegra do TAC.

Política

Deputada Cristiane Dantas questiona Governo do Estado sobre necessidade de implantação do hospital de campanha

Em um vídeo publicado nas redes sociais, a deputada estadual Cristiane Dantas questionou o Governo do Estado sobre o uso dos recursos públicos, de R$ 37 milhões, que serão empregados na construção do hospital de campanha para tratamento de pacientes com coronavírus, no estádio Arena das Dunas, em Natal.

Para a deputada, a construção do hospital de campanha é um gasto desnecessário quando poderiam ser reabertos hospitais regionais que foram fechados por falta de investimento, recursos humanos e de manutenção de infraestrutura pelo próprio Governo.

“Não seria mais fácil utilizar o hospital da Polícia Militar que tem leitos de UTI adulto e infantil desativados? temos leitos no hospital Deoclécio Marques? Enquanto temos hospitais fechando, não seria mais fácil usar o dinheiro público reativando esses hospitais?, questiona a parlamentar, que também lembra que o Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros, em São José de Mipibu, dispõe de infraestrutura recém-reformada e inutilizada, com espaço para novos leitos de UTI que poderiam ser abertos com pouco investimento.

Cristiane, em tom de questionamento, também reprovou a medida de encaminhar pacientes psiquiátricos para atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) como forma de liberar os leitos do João Machado para pacientes do Walfredo Gurgel.

Natal

Prefeitura está recebendo doações para Hospital de Campanha

Uma iniciativa da Prefeitura pretende dotar o futuro Hospital Municipal de Campanha, que está sendo instalado no antigo Hotel Parque da Costeira, de melhores condições de infraestrutura para receber os doentes da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Assim sendo, foi aberta uma conta no Banco do Brasil em nome da SMS Covid-19 Doações.  A agência do BB é a 3795-8 e a conta corrente é 12085-5. 

A campanha também está recebendo doações de alimentos em natura e de equipamentos para o hospital. “É uma campanha na qual solicitamos doações em dinheiro a instituições e pessoas físicas para comprarmos insumos para o Hospital de Campanha. A Secretaria de Saúde definirá as maiores necessidades. Também há um outro apelo para doações de alimentos em natura e de equipamentos”, assinalou o assessor especial do prefeito Álvaro Dias, Paulo César Medeiros.

32804

Estado

Sindicato dos Médicos entra com liminar para suspender licitação do Hospital de Campanha do Estado na Arena das Dunas

Nesta sexta-feira (3) o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed/RN) entra com uma liminar para suspender a licitação aberta pelo Governo do Estado para montagem de um Hospital de Campanha na Arena das Dunas.

A licitação custará R$ 37,1 milhões aos cofres públicos e prevê o contrato com uma organização social para cuidar do equipamento que vai disponibilizar 180 novos leitos pelo período de seis meses como suporte aos pacientes em tratamento do Coronavírus.

O processo já é alvo também de investigação por parte do Ministério Público Estadual que analisa a legalidade do ato.

“Consideramos totalmente equivocada essa ação do Governo. De um lado temos mais de 200 leitos novos a serem abertos em dois hospitais públicos, o da Polícia Militar e o Deoclécio Marques de Parnamirim, que ficarão para a população após a pandemia. Temos o Hospital Rui Pereira em desativação já com dois andares ociosos e o Regional de Canguaretama ainda fechado por falta de condições sanitárias. Do outro o executivo propõe um hospital improvisado por seis meses ao custo de quase R$ 40 milhões. É um absurdo e demonstra a total falta de uma coordenação para abordar esse momento extremamente delicado”, contesta Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed/RN.

Segundo levantamento do sindicato, o Hospital da PM está com 150 leitos novos já prontos, sendo 130 de enfermaria e 20 de UTI, faltando apenas mão de obra para que entrem em funcionamento. O Hospital Deoclécio Marques também tem 80 leitos novos de enfermaria praticamente prontos para serem utilizados, precisando só das camas e acabamentos. Sem contar nos 200 disponíveis nos hospitais privados do Estado que já trabalham com o SUS.

“Além disso soma-se a decisão de tirar os queimados do setor onde eram tratados no Hospital Monsenhor Waldredo Gurgel para colocá-los em um local inadequado. Vale salientar que é o único setor de queimados do Estado. E por fim o fechamento da porta aberta do Hospital João Machado jogando os pacientes da saúde mental para a rede básica. É crime em cima de crime na saúde pública do Rio Grande do Norte”, finaliza o presidente do Sinmed/RN.

Sinmed

Estado

Governo do RN faz contrato de R$ 37 milhões para hospital de campanha na Arena das Dunas; MP investiga e Estado esclarece

O Governo do RN quer contratar uma Organização Social para implantar um hospital de campanha no estádio Arena das Dunas.

O custo: R$ 37 milhões.

O jornalista Dinarte Assunção informou em primeira mão que o Ministério Público Estadual abriu um processo para investigar a legalidade da licitação.

Outro lado

Em nota encaminhada ao Blog de Dinarte, o Governo disse que vai convidar os órgãos  de controle – Ministérios Públicos Estadual e Federal e Tribunal de Contas do Estado – para participarem e acompanharem as ações que visam o atendimento à população em tempos de pandemia.

Do Blog: A Secretaria de Saúde de São Paulo implantou 200 leitos e gastou aproximadamente R$ 8 milhões.

 

Natal

Prefeito agradece apoio que está recebendo de empresários e da sociedade para montar Hospital no Hotel Parque da Costeira

O prefeito Álvaro Dias aproveitou a presença de vários empresários e entidades dirante reunião na manhã deste sábado (21) e solicitou o apoio de quem puder ajudar na montagem do hospital de campanha que a Prefeitura está estruturando no antigo Hotel Parque da Costeira. Ele informou que o empresário Marcelo Alecrim já se dispôs a doar 10 mil litros de álcool para utilização em unidades de saúde, na reunião, a Rede Mais se propôs a doar um respirador, a Fiern e Fecomércio também se dispuseram a ajudar e pediram que sejam apresentadas as demandas do município. O Hospital Memorial, recentemente reformulado, informou que trocou muitas camas e se dispôs a recuperar as que foram substituídas para doar ao município, bem como o Hospital Varela Santiago que informou ter alguns equipamentos ainda não usados que poderá doar para o hospital de campanha.

“Temos tido um apoio muito grande da sociedade e vamos colocar também recursos próprios e buscar recursos federais e estaduais para equipar e colocar esse hospital de campanha em condições de funcionar caso haja necessidade”, diz o prefeito que agradeceu as doações.