Estado

Porta Fechada: Governo do RN regula entrada no Hospital Santa Catarina

A Secretaria Estadual de Saúde comunica que o Hospital Dr. José Pedro Bezerra (Santa Catarina) passa a atuar, a partir desta segunda-feira (8), com sua porta clínica e cirúrgica regulada.

Ou seja: um paciente chegando ao hospital sem ser regulado, não vai receber atendimento.

O hospital receberá pacientes encaminhados das unidades básicas, unidades de urgência dos municípios e doentes com necessidade para internação em estado complexo, de acordo com a especialidade do hospital.

“Reforça, novamente, que: (1) o serviço é referência para gestantes com suspeita ou confirmação do novo coronavírus; (2) o serviço não é referência para casos clínicos de Covid-19; (3) a porta será regulada para casos clínicos graves não Covid-19 e cirúrgicos”, diz o release da SESAP.

Estado

Corredores do Hospital Santa Catarina amanhecem alagados

Com as últimas chuvas da madrugada, o Hospital Santa Catarina, zona norte de Natal, amanheceu alagado.

Problemas de infiltração que poderiam já ter sido sanados, colocam em risco o atendimento a pacientes nesta pandemia e a saúde de todos.

A água jorra da laje e os corredores seguem alagados, com baldes posicionados para coletar a água, e assim evitar acidentes.

Estado

Servidores do Hospital Santa Catarina pedem doação de alimentos

O atraso no pagamento dos salários dos servidores públicos do Rio Grande do Norte vem gerando impactos desastrosos nas condições de vida dos trabalhadores. A cada dia que passa a situação se agrava, e a esperança de receber os vencimentos atrasados vai ficando cada vez mais distante.

Desta vez, não é apenas o décimo terceiro salário de 2017 que continua atrasado, o débito cresceu, e foi somado ao atraso no pagamento do mês de novembro (para os servidores que ganham acima de 5 mil), dezembro, e também o 13° de 2018.

No Hospital Santa Catarina, os servidores estão pedindo doação de alimentos.

Estado

MPRN recomenda que setor de atendimento materno-infantil no Hospital Santa Catarina não seja fechado em dezembro

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da 48° Promotoria de Justiça de Natal, recomendou à Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) que dê continuidade ao atendimento materno-infantil do Hospital José Pedro Bezerra, conhecido como Hospital Santa Catarina.

Para emitir a recomendação, a unidade ministerial levou em consideração informações apuradas no âmbito de um inquérito civil instaurado, de que o hospital poderia fechar a unidade de cuidados intermediários devido a falta de médicos para a escala de dezembro.

O MPRN apurou que o número de médicos neonatologistas e pediatras da unidade de saúde é suficiente apenas para compor as escalas de plantão até o dia 13 de dezembro, de modo que a parte restante do mês ficaria sem assistência médica.

A Promotoria ainda alertou que não há outras unidades estaduais que tenham a capacidade de absorver a demanda diária do Hospital Santa Catarina nesse curto espaço de tempo. O mesmo se reflete na Maternidade Escola Januário Cicco, que é administrada pela Instância Federal.

Se a unidade de atendimento materno-infantil do hospital fechar, o dano para a população será incalculável. Sendo assim, o MPRN recomendou que a direção do hospital se abstenha de suspender os serviços de qualquer setor da unidade até que a Sesap tome as medidas necessárias para resolver a situação.

Além disso, o órgão de saúde estadual deve tomar providências imediatas para garantir a escala completa do mês de dezembro na unidade de cuidados intermediários do hospital, sejam estas remanejamento, renegociação com médicos cooperados, nomeação de aprovados em concurso ou qualquer outra que tenha fundamento na legalidade.

Dada a urgência do assunto, a Sesap terá o prazo de 24 horas para informar as medidas tomadas a fim de acatar a recomendação.

Estado

Hospital Santa Catarina sem condições de atendimento

Nesta segunda-feira (10), o Hospital José Pedro Bezerra (Santa Catarina), na Zona Norte de Natal, está com apenas um médico pediatra, devido a paralisação dos médicos da Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte (COOPMED), que estão há quatro meses sem pagamento. O hospital costuma contar com no mínimo três pediatras.

Além da falta de profissionais, uma das três salas de parto está desativada, devido a um princípio de incêndio no ar condicionado neste final de semana.

Com apenas um médico, é possível que vários partos deixem de ser realizados no dia de hoje.

Estado

Sem segurança e após tiroteio, servidores fecham Pronto-Socorro do Hospital Santa Catarina‏

Há dois dias sem nenhum segurança, devido ao não pagamento do salário dos vigilantes, os servidores do hospital Santa Catarina decidiram parar o atendimento a partir das 16h de hoje. A gota d’água foi uma perseguição policial e um tiroteio nas proximidades do hospital, por volta das 14h de hoje.

Os servidores irão fechar a recepção e a triagem, deixando de receber novos pacientes. Apenas os casos gravíssimos, com risco de morte, serão atendidos. Uma porta também será trancada, para isolar os servidores e pacientes. “Qualquer um vem da rua e entra aqui. Não temos como trabalhar desse jeito”, diz uma servidora do hospital que não quis se identificar.

Nos últimos dias, o Sindsaúde acionou a secretária estadual de Saúde, Eulália Albuquerque, e a chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, sem sucesso. Segundo a direção do hospital, o comando da Polícia Militar negou o pedido de reforço da segurança no hospital, por falta de contingente.

Os servidores irão encaminhar um documento à direção do hospital, com cópia ao Coren (Conselho Regional de Enfermagem), com os motivos do fechamento. “No mesmo dia em que suspendemos a greve no estado, os serviços são fechados por falta de condições. O caos na saúde não para, com greve ou sem greve”, afirma Simone Dutra, vice-coordenadora do Sindsaúde-RN.

z

Sem categoria

Hospital Santa Catarina abre vagas para residência em Neonatologia‏

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Hospital Dr. José Pedro Bezerra (Santa Catarina), realizará processo seletivo para Residência Médica em Neonatologia no hospital. Serão oferecidas cinco vagas e as inscrições serão feitas no período de 20 a 24 de janeiro de 2014, das 8h às 13h, exclusivamente na Comissão de Residência Médica do hospital (Coreme), pessoalmente ou por procuração devidamente legalizada.

O programa de treinamento em serviço terá início em 06 de março de 2014, contando com bolsa auxílio paga pelo Ministério da Saúde. O programa será cumprido em regime de tempo integral e plantões, com carga horária de 60 horas semanais, perfazendo um total de 2.880 horas anuais.

Para concorrer à vaga, o candidato precisa ter passado pela Residência Médica de 2 anos em Pediatria, em serviço credenciado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC).