Política

Kassab será o Chefe da Casa Civil do Governo de João Dória em SP

Do G1

O governador recém-eleito, João Doria (PSDB), que assumirá o governo do Estado de São Paulo em 1º de janeiro de 2018, anunciou nesta segunda-feira (5) que o ex-prefeito da capital e ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação, Gilberto Kassab (PSD), será o chefe da Casa Civil durante sua gestão.

Kassab acompanhou Doria por ocasião da votação do candidato no 1º turno, em 7 de outubro, em São Paulo. Ele integrou os governos da petista Dilma Rousseff e do presidente Michel Temer (MDB).
Já o vice na chapa de Doria, Rodrigo Garcia (DEM), assumirá as funções da Secretaria de Governo, segundo a assessoria do futuro governador.

Estes são os dois primeiros nomes anunciados por Doria para a gestão, que irá suceder o governador em exercício Márcio França (PSB), que se saiu derrotado no 2º turno da disputa eleitoral.

Na semana passada, Doria disse que não vai morar no Palácio dos Bandeirantes, residência oficial do governo no Morumbi, Zona Sul da capital. Ele também prometeu cortar gastos reduzindo o total secretarias e de carros oficiais.

Os anúncios foram feitos pelas redes sociais. “Ali [Palácio dos Bandeirantes] será sede do trabalho, eu não vou residir no palácio”, declarou. O deslocamento entre a casa de futuro governador, no Jardim Europa, Zona Oeste, e o palácio vai ter que seguir um aparato de segurança, cujos detalhes ainda não foram definidos.

João Doria não será o primeiro governador de São Paulo a tomar essa decisão. Ex-governadores como Alberto Goldman, em 2010, e Paulo Maluf, em 1979, não moraram no Palácio dos Bandeirantes.

Segundo Doria, os funcionários que trabalham na área reservada para o governador e sua família no palácio vão ser remanejados.
“Vamos transferir para áreas onde eles possam ser úteis ao governo e possam, com seu trabalho, serem aproveitados em outras áreas de governo. O objetivo não é demitir ninguém que lá está, mas sim dar o aproveitamento a essas pessoas em áreas onde efetivamente serão úteis.”

Política

Kassab está entre os dez políticos que mais receberam repasses da Odebrecht entre 2008 e 2014

Do G1 

Uma tabela apresentada ao Ministério Público pelo ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Junior, mais conhecido como “BJ”, detalha pagamentos que teriam sido feitos via caixa dois a 179 políticos. Entre 2008 e 2014, há registro de R$ 246 milhões em repasses ilegais só da área de infraestrutura da Odebrecht no Brasil.
Entre os nomes citados, se destaca o do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que lidera a lista com quase R$ 62 milhões em caixa dois. O atual governador, Luiz Fernando Pezão, aparece como receptor de R$ 20,3 milhões (veja abaixo os 10 políticos que mais receberam dinheiro, segundo a planilha).

  1. Sérgio Cabral (PMDB), ex-governador do RJ (codinome Proximus): R$ 61,9 milhões
  2. Gilberto Kassab (PSD), ministro de Ciência e Tecnologia (Kibe): R$ 21,2 milhões
  3. Luiz Fernando Pezão (PMDB), governador do RJ (Proximus): R$ 20,3 milhões
  4. Eduardo Paes (PMDB), ex-prefeito do Rio de Janeiro (Nervosinho): R$ 16,1 milhões
  5. Julio Lopes (PP-RJ), deputado federal (Bonitinho): R$ 15,6 milhões
  6. Anthony Garotinho (PR), ex-governador do RJ (Bolinha): R$ 13 milhões
  7. Geraldo Alckmin (PSDB), governador de SP (Belém): R$ 9,6 milhões
  8. Eliseu Padilha (PMDB), ministro da Casa Civil (Primo): R$ 7,2 milhões
  9. Antonio Anastasia (PSDB-MG), senador e ex-governador de MG (Dengo): R$ 5,4 milhões
  10. Lindbergh Farias (PT-RJ), senador (Lindinho): R$ 5,3 milhões

Sem categoria

Serra é prioridade para Kassab

Do Estadão

Depois de tranquilizar a senadora Marta Suplicy (PT-SP), o pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, buscou também acalmar os mais de 100 militantes petistas que participaram nesta sexta-feira, 24, de reunião plenária, na região do M”Boi Mirim, garantindo que a prioridade do prefeito Gilberto Kassab (PSD) nessas eleições é apoiar a eventual candidatura do ex-governador tucano José Serra.

Cobrado pela militância da sigla, contrária a uma aliança com o PSD de Kassab, Haddad disse que o cenário político previsto pelo PT (com a entrada de José Serra na disputa) vem se cumprindo e que o foco de sua pré-candidatura é buscar aliança com os partidos da base do governo Dilma Rousseff (PSB, PDT, PCdoB, PMDB e PR).

‘O prefeito (Kassab) estabeleceu sua ordem de prioridade, ele está cumprindo a agenda dele e nós cumprimos a nossa agenda’, afirmou Haddad, lembrando que as negociações com o PT estavam em terceiro lugar na ordem de prioridade de Kassab, atrás de José Serra e da eventual candidatura do vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos.

Em mais de uma hora e meia de debate com os militantes da região, Haddad ouviu reclamações com relação à aproximação com o PSD do prefeito Kassab. ‘Temos de ser oposição ao Serra e ao Kassab. Vamos fazer aliança para garantir a vitória e não com quem está contra os interesses da população e que desmoraliza as lideranças do PT’, disse uma militante.

Os militantes petistas também avaliaram que a atual gestão municipal discrimina a população da periferia. Parte da militância ressaltou que o PT tem histórico na cidade de São Paulo de substituir gestões que ”quebraram” a cidade. ‘Mais uma vez vamos pegar uma cidade quebrada’, avaliou outra militante, lembrando as gestões de Luiza Erundina e Marta Suplicy.

Mulher de visão. Em seu discurso à militância, Haddad disse que a prioridade de sua pré-campanha é produzir um plano de governo que atenda aos interesses de toda a população. Segundo ele, a cidade perdeu nos últimos anos com a saída de Marta Suplicy da Prefeitura porque seus sucessores não tiveram uma visão estratégica para o desenvolvimento da cidade como um todo. ‘A Marta é uma mulher de visão, ela tem visão do lado em que ela está’, afirmou.

Para o pré-candidato do PT, os serviços municipais precisam ser descentralizados de forma que os moradores sejam atendidos em suas regiões, em vários aspectos, como na área cultural. ‘Tem de ter Virada Cultural aqui também, não só no centro da cidade’, cobrou o pré-candidato, aplaudido pela militância.

No sábado, 25, Haddad participará da terceira reunião do Conselho Político de sua pré-campanha para discutir as estratégias das próximas semanas e o atual cenário político na cidade.

 

Sem categoria

MP pede afastamento de Kassab por fraude na inspeção veicular em SP

Marcelo Godoy – O Estado de S. Paulo

O Ministério Público Estadual (MPE) pediu no início da tarde desta quinta-feira, 24, o afastamento de Gilberto Kassab (PSD) do cargo de prefeito de São Paulo. Kassab, o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, seis empresas – entre elas a CCR e a Controlar – e 13 empresários são acusados de participar do que seria uma fraude bilionária: o contrato da inspeção veicular em São Paulo.

A ação da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social pede o bloqueio dos bens dos envolvidos, a perda dos direitos políticos e a condenação por improbidade administrativa dos acusados.

O valor da causa dado pelos promotores Roberto de Almeida Costa e Marcelo Daneluzzi é de R$ 1,05 bilhão. A ação pede a suspensão imediata da inspeção veicular, a devolução dos valores de multas cobradas dos moradores de São Paulo, além de indenização por danos morais aos donos de veículos.

O problema, segundo o MPE não é a ideia da inspeção, mas a forma como ela foi executada na cidade. Desde a constituição da empresa Controlar até as sucessivas prorrogações do contrato teriam sido feitas por meio de fraudes, como a apresentação de garantias falsas, documentos e informações falsas e, além de possíveis fraudes tributárias e fiscais. A ação foi apresentada no Fórum Helly Lopes Meireles, sede das Varas da Fazenda Pública de São Paulo.

Outro lado. A Controlar diz que ainda não foi notificada sobre a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público. Segundo a empresa, a concessionária prestou todos os esclarecimentos solicitados pela Promotoria e teria assim comprovado a “lisura na implementação e no cumprimento do contrato de concessão.”

Entre os benefícios do contrato declarados pela Controlar, estão uma economia de R$ 78 milhões para o sistema de saúde municipal por causa da redução da poluição veicular.

Sem categoria

Temendo Kassab, Henrique Alves deixa de ser lenha na fogueira e passa a ser bombeiro de Robinson

Todo mundo sabe…que todo mundo sabe.

Que o projeto do deputado federal Henrique Eduardo Alves é tornar-se presidente da Câmara dos Deputados, a partir de janeiro de 2013.

Quantos deputados federais têm mesmo o PSD, presidido nacionalmente por Kassab?

55…podendo chegar a 70.

Está explicado porque Henrique deixou de colocar lenha na fogueira na briga entre o Governo Rosa e o vice-governador Robinson Faria.

E passou a atuar como bombeiro.

O Líder do PMDB ficou sabendo que Kassab ligou para Robinson se informando de como está a articulação do PSD potiguar.

Sem categoria

Kassab sobre Fábio e Robinson: “Vocês são lutadores, como cada um de nós”

O presidente do PSD, prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, destacou a luta do deputado federal Fábio Faria e do vice-governador Robinson Faria para a instalação do PSD. E disse que fez questão de acompanhar a sessão do TSE na casa do potiguar porque sua energia representa a energia do novo partido.

“Vocês são lutadores, como cada um de nós, lutaram para que o partido recebesse a atenção que merece do povo do Rio Grande do Norte, que fosse uma nova porta da democracia, e estamos todos juntos nessa nova luta. Saibam que este partido não tem dono, mas é formado por um grupo”, disse o prefeito de São Paulo.

Fábio Faria enfatizou que o novo partido é uma família, que deve ficar unida pelas próximas décadas e construir unida a nova história da política brasileira. E aproveitou para defender que o primeiro líder do PSD, deputado Guilherme Campos (SP), permaneça na liderança durante o ano de 2012. “Ele é um parlamentar de gestos simples e sensatez, que oferece a todos nós a segurança e o conforto para seguirmos unidos”, justificou.

Sem categoria

Fábio Faria comemora com Kassab aprovação do registro do PSD

O deputado Fábio Faria recebeu o presidente do PSD, prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e cerca de 30 deputados federais que migram para o novo partido para acompanhar a sessão plenária do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apreciação do pedido de registro do Partido Social Democrático, além de lideranças políticas do Distrito Federal e do Estado de São Paulo. E comemoram a decisão por 6 votos a 1 do colegiado.

“Estamos muito felizes, o resultado foi justo já que o PSD cumpriu todas as etapas exigidas pela legislação e agora começamos uma nova etapa, com a filiação dos nossos candidatos no pleito de 2012. Agora, começa uma grande missão, que vamos cumprir com ânimo e determinação, como fizemos até aqui”, disse Fábio Faria, que é o federal do PSD que representará o Rio Grande do Norte na Câmara dos Deputados.

Ele destacou que o partido será dirigido no Rio Grande do Norte pelo vice-governador Robinson Faria, uma liderança forte, que conta com o apoio de dezenas de prefeitos e lideranças políticas em todos os municípios potiguares.