Natal

Prefeitura retira grande quantidade de lixo do canal do baldo em Natal

Com o objetivo de evitar alagamentos em Natal, a Prefeitura está realizando um multidão de limpeza em locais que o lixo impedi o escoamento correto da água da chuva.

Neste domingo (12), no canal do baldo, foi retirada uma grande quantidade de lixo.

É a prova fundamental de que a população precisa fazer sua parte.

Jogar lixo em locais públicos é provocar alagamentos, doenças e etc.

Natal

“Queremos tornar Natal a capital mais limpa do Brasil”, diz prefeito Álvaro Dias

O prefeito Álvaro Dias assinou, nesta terça-feira (01) o Decreto 11.823 que regulamenta a Lei 6.693, normatizando a fiscalização e punição para pessoas físicas e jurídicas, que sejam flagradas realizando deposição irregular de lixo nos logradouros públicos da cidade de Natal. Com a regulamentação, a capital potiguar se adequa a legislação federal que rege a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

“A assinatura desse decreto vem acompanhada de uma ampla campanha de conscientização que iremos fazer. Esse conjunto de ações deverá ser suficiente para que possamos tornar Natal a capital mais limpa do País. Serão medidas educativas, mas que também poderão ser punitivas e coercitivas para que a legislação seja respeitada”, explicou o prefeito.

O vereador Raniere Barbosa, propositor da Lei, na Câmara Municipal de Natal e o vereador Preto Aquino, subscritor da mesma, elogiaram a atitude do prefeito Álvaro Dias. “O prefeito teve uma atitude de estadista. É esse entendimento que buscamos e sabemos que faz com que a cidade se desenvolva. Parabéns pela coragem”, disse Barbosa.

Foto: Alex Régis

Foto: Alex Régis

MULTAS PREVISTAS NA LEI

Pessoa física:

Infração leve, multa de R$ 92,56 (noventa e dois reais e cinquenta e seis centavos);

Infração média, multa de R$ 289,90 (duzentos e oitenta e nove reais e noventa centavos);

Infração grave, multa de R$ 462,22 (quatrocentos e sessenta e dois reais e vinte e dois centavos);

Infração gravíssima, multa de R$ 1.232,00 (um mil duzentos e trinta e dois reais).

Pessoa jurídica:

Infração leve, multa de R$ 289,90 (duzentos e oitenta e nove reais e noventa centavos);

Infração média, multa de R$ 792,25 (setecentos e noventa e dois reais e vinte e cinco centavos);

Infração grave, multa de R$ 1.649,00 (um mil seiscentos e quarenta e nove reais);

Infração gravíssima, multa de R$ 2.460,00 (dois mil quatrocentos e sessenta reais).

Natal

Prefeito de Natal assina decreto que regulamenta lei sobre depósito irregular de lixo

Pessoas físicas e jurídicas passarão a ser fiscalizadas e coibidas no ato de deposição irregular de lixo em vias públicas na cidade de Natal.

O prefeito Álvaro Dias assina decreto, nesta terça-feira, 1 de outubro, às 11h, na sede da Prefeitura (Palácio Felipe Camarão), regulamentando a Lei 6.693, que prevê multas para quem cometer esse tipo de irregularidade.

É considerado infrator quem, por si ou seus prepostos, cometer, mandar, constranger, auxiliar ou se beneficiar desta prática de infração de que trata a Lei. Ou seja, não apenas a pessoa que tenha sido flagrada, mas também quem a contratou.

O infrator será penalizado com multa e, em caso de reincidência, o valor será majorado em 100%, além de que a multa será aplicada cumulativamente, caso haja duas ou mais infrações cometidas.

Natal

Prefeitura fará mutirão de limpeza pública em Natal

A Prefeitura do Natal vai iniciar nesta terça-feira (24) um mutirão de limpeza em regiões diferentes da cidade. Os serviços começarão por bairros da zona Norte e alcançarão também Candelária, San Vale e Cidade Satélite, na zona Sul. A operação será coordenada pela Companhia de Serviços Urbanos de Natal, a Urbana, responsável pela limpeza pública.

O prefeito Álvaro Dias explica que a ação visa a reduzir os volumes dos resíduos em áreas identificadas como críticas. “Estamos atentos à questão da limpeza em toda a nossa cidade e vamos ampliar os esforços para que os bairros onde o mutirão será feito tenham sua situação rapidamente normalizada”, explica o prefeito.

Em horário diferenciado, das 16h às 23h, a Urbana concentrará o trabalho nos grandes pontos crônicos de lixo das regiões mapeadas. O trabalho será feito com o apoio de 25 caçambas e cinco máquinas pás carregadeiras. A previsão é de que a operação seja feita em oito dias nessa primeira etapa. A partir daí, o mutirão seguirá para outras regiões da cidade.

Natal

Não jogue lixo na rua

Em tempos chuvosos como o que estamos vivendo, vale uma dica, mesmo sabendo que o problema de drenagem é grave nas capitais brasileiras.

– Não jogue lixo na rua.

Nós, cidadãos, temos que fazer a nossa parte para colaborar com o poder público no objetivo de evitar alagamentos.

Diariamente, toneladas de lixo são retiradas das ruas de Natal.

Mundo

Brasil é o 4º país que mais produz lixo no mundo, diz WWF

Da Agência Brasil

O estudo “Solucionar a Poluição Plástica: Transparência e Responsabilização”, feito pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), mostra que o Brasil é o quarto país no mundo que mais produz lixo. São 11.355.220 toneladas e apenas 1,28% de reciclagem. Só está atrás dos Estados Unidos (1º lugar), da China (2º) e da Índia (3º).

No Brasil, segundo dados do Banco Mundial, mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas de forma irregular, sem tratamento e, em muitos casos, em lixões a céu aberto. Aproximadamente 7,7 milhões de toneladas de lixo são destinados a aterros sanitários.

A poluição por plástico gera mais de US$ 8 bilhões de prejuízo à economia global. Levantamento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) indica que os diretamente afetados são os setores pesqueiro, de comércio marítimo e turismo.

O diretor executivo do WWF no Brasil, Mauricio Voivodic, alertou sobre a necessidade de adotar medidas urgentes para reverter a situação. “O próximo passo para que haja soluções concretas é trabalharmos juntos, por meio de marcos legais, que convoquem à ação os responsáveis pelo lixo gerado. Só assim haverá mudanças urgentes na cadeia de produção de tudo o que consumimos.”

Alerta

Segundo o estudo lançado pelo WWF, o volume de plástico que vaza para os oceanos anualmente é de cerca de 10 milhões de toneladas. Nesse ritmo, mostra a pesquisa, até 2030 serão lançados ao mar o equivalente a 26 mil garrafas de plástico para cada quilômetro quadrado (km2). Aproximadamente metade dos produtos plásticos que poluem o mundo hoje foi criada nos anos 2000.

O diretor-geral do WWF Internacional, Marco Lambertini, afirmou que o sistema atual de produção, uso e descarte de lixo está “falido” e que é necessário mudar o comportamento. “É um sistema sem responsabilidade, e atualmente opera de uma maneira que praticamente garante que volumes cada vez maiores de plástico vazem para a natureza.”

Poluição

A poluição do plástico afeta a qualidade do ar, do solo e sistemas de fornecimento de água. Os impactos diretos estão relacionados a não regulamentação global do tratamento de resíduos de plástico, à ingestão de micro e nanoplásticos (invisíveis aos olhos) e à contaminação do solo com resíduos.

A queima ou incineração do plástico pode liberar na atmosfera gases tóxicos, alógenos e dióxido de nitrogênio e dióxido de enxofre, extremamente prejudiciais à saúde humana. O descarte ao ar livre também polui aquíferos, corpos d’água e reservatórios, provocando aumento de problemas respiratórios, doenças cardíacas e danos ao sistema nervoso de pessoas expostas.

Na poluição do solo, um dos vilões é o microplástico oriundo das lavagens de roupa doméstica e o nanoplástico da indústria de cosméticos, que acabam sendo filtrados no sistema de tratamento de água das cidades e acidentalmente usados como fertilizante, em meio ao lodo de esgoto residual. Quando não são filtradas, essas partículas acabam sendo lançadas no ambiente, ampliando a contaminação.

Soluções

O estudo do WWF faz recomendações sobre possíveis soluções para a situação envolvendo os sistemas de produção, consumo, descarte, tratamento e reúso do plástico. Os cuidados propostos incluem orientação para os setores público e privado, a indústria de reciclagem e o consumidor final.

As propostas incluem que cada produtor seja responsável pela sua produção de plástico, o fim de vazamento do produto nos oceanos – e reúso e reciclagem como base para uso do material. Paralelamente a substituição do plástico por materiais reciclados.

Danos

Entre os principais danos do plástico à natureza estão estrangulamento, ingestão e danos ao habitat. A gerente do Programa Mata Atlântica e Marinho do WWF no Brasil, Anna Carolina Lobo, disse que a maior parte do lixo marinho encontrado no litoral é plástico. Nas últimas décadas, o aumento de consumo de pescados aumentou em quase 200%.

“As pesquisas realizadas no país comprovaram que os frutos do mar têm alto índice de toxinas pesadas, geradas a partir do plástico em seu organismo, portanto, há impacto direto dos plásticos na saúde humana. Até as colônias de corais – que são as ‘florestas submarinas’ – estão morrendo. É preciso lembrar que os oceanos são responsáveis por 54,7% de todo o oxigênio da Terra”, disse.

O estrangulamento de animais por pedaços de plástico já foi registrado em mais de 270 espécies animais, incluindo mamíferos, répteis, pássaros e peixes, causando desde lesões agudas e crônicas, até mesmo a morte. Esse estrangulamento é hoje uma das maiores ameaças à vida selvagem e conservação da biodiversidade.

A ingestão de plástico já foi registrada em mais de 240 espécies. A maior parte dos animais desenvolve úlceras e bloqueios digestivos que resultam em morte, uma vez que o plástico muitas vezes não consegue passar por seu sistema digestivo.

Natal

Prefeitura recolhe e destina corretamente 1.100 toneladas diárias de lixo em Natal

Coletar, separar e destinar de forma correta 1.100 toneladas de resíduos diariamente é o desafio da Urbana – Companhia de Serviços Urbanos de Natal. Boa parte dessa tarefa é executada pela Prefeitura do Natal com recursos da Taxa de Limpeza Pública – TLP, que é cobrada junto com o IPTU – Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana. Os custos mensais com as atividades se aproximam dos R$ 13 milhões.

Natal produz de Resíduos Sólidos Urbanos ou Resíduos domiciliares – 800 toneladas diárias. Aproximadamente 45% é lixo seco (papel, plástico, papelão e metais) e 55% é lixo úmido (matéria orgânica). “Esse tipo de resíduo mandamos, após uma seletividade (que não é ainda em sua totalidade, mas em grande parte) para a Braseco, que é o aterro sanitário para dar destino correto ao material”, revela Thiago Mesquita – diretor de operações da Urbana.

Além da parte domiciliar, a empresa de limpeza urbana precisa lidar com outros tipos de material. “Temos também o recolhimento de Resíduos Sólidos Especiais. Esses são de três tipos: pneus, podas e entulhos. Recolhemos em média, por dia, aproximadamente 300 toneladas”, afirma o diretor.

Sem categoria

Caicó: Lixeiro encontra R$ 100 mil no lixo e devolve ao dono

José da Silva Fernandes, 41, lixeiro da cidade de Caicó, realizava seu trabalho de rotina e estava acompanhado o despejo do lixo no aterro, quando se deparou com uma cena nada comum: uma bolsa cheia de cédulas de dinheiro.

O montante equivalia a R$ 100 mil, pertencente a Sant’Ana Veículos, empresa representante de veículos da marca Volkswagen.

Ao se deparar com a cena, ele lembrou-se de onde tinha vindo a bolsa e foi devolver imediatamente.

Um fato inédito nos dias de hoje, principalmente para um funcionário da Prefeitura que ganha somente R$ 700,00 por mês da Prefeitura.

Como recompensa, Seu José recebeu uma quantia de R$ 500,00.