Política

Beto Rosado conversa com Bolsonaro sobre Sal do RN

O deputado federal Beto Rosado (PP) aproveitou o encontro com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), na manhã desta quarta-feira (22), para tratar de um assunto de extremo interesse do Rio Grande do Norte.

– Indústria Salineira.

Beto conversou sobre os ajustes finais do decreto que transforma o sal em um bem de interesse social.

IMG_7225

Política

Em Mossoró, Ministra da Agricultura garante apoio aos pleitos de salineiros e fruticultores

A Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, cumpriu agenda em Mossoró, na sexta-feira (15) e na manhã deste sábado (16).

Visitou a Fazenda Famosa, em Mossoró, que ocupa 7 mil hectares, dos quais 3 mil são destinados ao cultivo de melões e melancias. A ministra disse que voltará à região “dentro de três meses com ações concretas para a geração de emprego e renda, principalmente para o pequeno produtor”.

A Ministra se reuniu com a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) e a governadora Fátima Bezerra (PT). Integrantes da bancada federal também acompanharam a agenda, como os senadores Zenaide Maia (PROS) e Jean-Paul Prates (PT) e os deputados federais Beto Rosado (PP), General Girão (PSL) e Rafael Motta (PSB).

Fruticultores
Tereza Cristina destacou que é preciso que as políticas públicas cheguem ao produtor sem intermediários, com assistência técnica e crédito abundante. A viagem, disse, é importante para ver in loco, “o que se pode fazer pela região, que é tão importante para o país e tão populosa”.

Salineiros
Na reunião com os salineiros, a pauta foi o decreto presidencial que torna o sal bem de interesse social. O documento tem como objetivo dar segurança jurídica para os produtores e isso dá respaldo e segurança ao setor salineiro.

Política

Beto Rosado apresenta duas emendas para proteger o setor salineiro da Medida Provisória que prevê tabela fixa para frete

O deputado federal Beto Rosado (Progressistas) apresentou esta semana, duas emendas à Medida Provisória 832/2018, (institui a Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas) publicada pelo governo federal, baseada na resolução Nº 5.820 da ANTT. A Medida fixou uma tabela de preços para o valor do frete, com base na quilometragem percorrida e no porte do veículo, prejudicando o setor produtivo, principalmente o salineiro.

O parlamentar apresentou as emendas nº 44 e 45, que possibilitam a livre negociação entre contratante e contratado, visto que o transporte do sal marinho é utilizado como frete de retorno. “Os caminhoneiros encontram no setor salineiro um atrativo financeiro, pois para realizarem o transporte de mercadorias do centro-sul do país, para o nordeste, garantem o frete retorno, e assim, um incremento em suas atividades”, explicou Beto.

Economia

Beto Rosado reivindica prorrogação de lei para proteger sal brasileiro

O deputado federal Beto Rosado (PP) se reuniu com o presidente do Conselho de ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex), Eliseu Padilha, nesta quarta-feira (23), quando será votada a prorrogação do decreto 8.058, de 26 de julho de 2013, que estabelece a Lei Antidumping para proteger os produtores de sal brasileiros do capital externo.

“Hoje, uma importante decisão será tomada sobre o futuro da produção de sal no país. O Rio Grande do Norte é responsável por mais de 90% de toda produção nacional. Medidas de proteção ao mercado, em vigor, serão analisadas para renovação. Oportunamente levei o desejo da bancada Potiguar ao Presidente do Conselho de Ministros (CAMEX) Ministro Eliseu Padilha para manter por mais 4 anos as medidas antidumping protegendo os mais de 70 mil empregos gerados pelo setor, em nossa região. Espero contar com sua sensibilidade dos ministros para defender os interesses do povo potiguar”, declarou o deputado.

Beto_Padilha

Política

Projeto de Walter Alves garante sal produzido no RN a preço justo para brasileiros

O deputado federal Walter Alves (PMDB) apresentou Projeto de Lei (PL nº 5758/2016) para prorrogar, até janeiro de 2022, a isenção do Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM). Esse adicional incide sobre as empresas de navegação que operam em portos brasileiros e pode chegar a 40% se não houver a prorrogação.

De acordo com Sindicato da Indústria da Extração do Sal no Estado do Rio Grande do Norte (Siesal), sem a isenção do AFRMM, o custo de transporte do sal marinho brasileiro ficará mais caro em pelo menos 10% e, consequentemente, haverá dificuldades no setor responsável por 15 mil empregos diretos e 50 mil indiretos.

O PL 5758/2016 modifica a atual redação da Lei nº 11.482/2007 para estender, até 2022, a isenção que se encerra em janeiro do próximo ano, garantindo a não elevação do preço do sal na mesa dos brasileiros. O Rio Grande do Norte é responsável por 95,2% da produção de sal marinho no Brasil. O Chile é o nosso concorrente mais próximo.

O deputado Walter Alves ressalta que o PL é uma prioridade. “O sal deveria ser tratado como produto estratégico nacional”, avalia. Para o parlamentar, sem essa prorrogação, “haverá aumento no preço do sal de cozinha, prejuízo para a indústria salineira do Rio Grande do Norte e favorecimento para o mercado chileno, que goza das isenções da Tarifa Externa Comum e do AFRMM”, acrescenta.

img_2443.jpg

Economia

CODERN avança nas negociações para ampliar movimentação de sal pelo Porto de Natal

O sal a granel é o mais recente produto que foi inserido para movimentação no Porto de Natal. Em novembro de 2015, um navio exportou 24 mil toneladas do produto. A segunda vez foi em fevereiro de 2016, quando no dia 24 um navio levou mais 41 mil toneladas com destino aos Estados Unidos.

A movimentação do novo produto é uma adaptação logística da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), para atender as salinas localizadas mais próximas de Natal, sem interferir no Terminal Salineiro de Areia Branca, que deverá chegar ao final de 2016 tendo movimentado mais de 2,5 milhões de toneladas.

E a CODERN continua focada em aumentar a movimentação de sal pelo Porto de Natal. O Gerente Comercial da Companhia, Kayo Fernandes, esteve reunido em Mossoró, com Tasso e Gregório Rosado, dirigentes da Salineira SOCEL, para avançar as negociações que já foram iniciadas na semana passada, em uma reunião com o presidente interino da CODERN, Hanna Yousef Emile Safieh.

Atualmente, 30% da movimentação feita pelo Porto de Natal é de frutas com a predominância do melão, sendo todas armazenadas em contêineres refrigerados. Trigo, tecidos, pescados, peças eólicas, sal e outros produtos completam o percentual restante.

IMG_0201

Economia

Navio com 41 mil toneladas de sal deixa o Porto de Natal com destino aos Estados Unidos

Um navio carregado com 41 mil toneladas de sal deixou o Porto de Natal nesta quarta-feira (24), levando o produto para os Estados Unidos, país que recebe grande quantidade do sal produzido no Rio Grande do Norte.

É a segunda vez que o Porto de Natal movimenta sal a granel. A primeira vez se deu em novembro de 2015, quando se exportou 24 mil toneladas de sal, sendo uma adaptação logística da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), para atender as salinas localizadas mais próximas de Natal, sem interferir no Terminal Salineiro de Areia Branca, que deverá chegar ao final de 2016 tendo movimentado mais de 2,5 milhões de toneladas.

O Rio Grande do Norte é o maior produtor de sal do Brasil. O setor salineiro como um todo emprega mais de 70 mil pessoas de forma direta e indireta e é parte significativa da economia do estado. O clima, sol forte, muito vento e pouca chuva fizeram do nosso Estado o maior produtor de sal do país.

Atualmente, 30% da movimentação feita pelo Porto de Natal é de frutas com a predominância do melão, sendo todas armazenadas em contêineres refrigerados. Trigo, tecidos, pescados, peças eólicas, sal e outros produtos completam o percentual restante.

IMG_0201

Sal estocado no Porto de Natal para exportação

Economia

Audiência discute propostas para solucionar crise da indústria salineira‏

A indústria salineira não pode mais ser tratada com indiferença. Essa foi a constatação que ficou evidenciada ao final da audiência pública realizada na manhã desta segunda-feira (23) na Assembleia Legislativa para discutir os “Problemas Enfrentados pela Indústria Salineira do Rio Grande do Norte”, por proposição do deputado Souza Neto (PHS).

“Esta audiência serviu para demonstrar ao Governo e à classe política a importância da cadeia produtiva do sal, uma vez que, em sendo uma indústria nacional ela é 97% potiguar e precisa ser muito mais incentivada do que a indústria do sal chileno. A nossa indústria salineira dá uma grande contribuição para o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte gerando emprego e renda” afirmou Souza Neto.

Uma boa notícia para os salineiros surgiu durante a audiência que se estendeu até o início da tarde. O secretário estadual de Tributação, André Horta, que representou o Governo do Estado, anunciou que o governador Robinson Faria (PSD) assegurou que a redução na base de cálculo do ICMS, sobre o sal produzido aqui e comercializado fora do Rio Grande do Norte, de 12% para 6% será mantida nos quatro anos do seu mandato. Inicialmente, essa redução, concedida no final do ano passado, só teria validade até o final deste ano.

O senador Garibaldi Filho (PMDB), os deputados federais Rogério Marinho (PSDB) e Beto Rosado (PP), e os deputados estaduais Ezequiel Ferreira (PMDB), Carlos Augusto Maia (PTdoB) e Hermano Morais (PMDB) também participaram da audiência que foi transmitida por meio de vídeoconferência para a cidade de  Areia Branca, na região salineira.