Política

Em Natal, vereadora Eudiane Macedo propõe criação do aplicativo SOS Mulher

A vereadora Eudiane Macedo (PTC) apresentou projeto de Lei para criar mais um canal de denúncia para as mulheres vítimas de violência em Natal. Trata-se do aplicativo SOS Mulher. Pela proposta, que segue para tramitação nas comissões permanentes da Câmara Municipal, a Prefeitura de Natal deve criar um canal para facilitar o envio de denúncias anônimas e também agregar o serviço de acompanhamento e monitoramento das vítimas em casos de aplicação de medidas protetivas.

A vereadora, presidente da Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos das Mulheres, destaca a importância da iniciativa frente aos números que colocam a capital potiguar no alto do ranking de violência contra as mulheres. “Infelizmente, Natal se destaca como a cidade mais violenta para as mulheres, em termos de violência emocional, com prevalência de 34,82%. Em termos de violência física, ela ocupa o segundo lugar no ranking com 19,37%. A capital potiguar está, ainda, em terceiro lugar em violência sexual (8,38%)”, afirmou Eudiane Macedo, referindo-se a pesquisa da Casa da ONU em Brasília.

Ver Eudiane Macedo crédito Fabiano de Oliveira (1)

Política

Ex-ministra participará de seminário sobre violência contra as mulheres em Natal

A socióloga brasileira e ex-ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres no governo Dilma Rousseff, Eleonora Menicucci, estará em Natal nesta quarta-feira (29), para participar do “Seminário de Violência Contra a Mulher – Nenhuma a Menos”, a partir das 19 horas, no Espaço Cuxá.

O evento promovido pela Secretaria Estadual de Mulheres do PT é uma alusão ao dia 25 de novembro, Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher, onde em todo o mundo, iniciativas de movimentos sociais, fazem ações de combate à violência contra a mulher.

Estado

RN tem uma mulher assassinada a cada dois dias em média, aponta relatório

A cada dois dias em média, uma mulher é assassinada em algum lugar do Rio Grande do Norte. Os dados são do Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO-RN) que divulgou relatório neste mês de novembro. Os números, inclusive, deverão impulsionar o debate na audiência pública sobre os 16 dias de Ativismo pela Não Violência contra Mulher, a ser realizado na próxima segunda-feira (27), a partir das 14 horas, no auditório da Assembleia Legislativa.

A proposição do debate é da socióloga e deputada estadual Márcia Maia que mostra preocupação quanto aos números apresentados pelo relatório que retrata os casos de assassinato contra mulheres cometidos entre 1 de janeiro e 17 de novembro de 2017 e que confirma o crescimento da violência contra a mulher no estado.

Em 2015, por exemplo, entre 1° de janeiro e 17 de novembro, ocorreram 99 assassinatos de mulheres no RN. No ano seguinte foram registrados no mesmo período 99 casos. Já em 2017 foram 140 casos, sendo a maior parte deles na região da Grande Natal, ou seja, um crescimento de quase 49% em relação ao ano de 2016 dentro do período pesquisado.

Diversos

CODERN apoia campanha de combate à violência contra a Mulher

A Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN) reforça e apoia as ações de combate à violência praticada contra as mulheres, especialmente neste mês, o chamado Agosto Lilás. O envolvimento de toda a sociedade em torno do tema é fundamental para o enfrentamento da violência.

“Nós não podemos ficar alheios a temas tão importantes como o combate à violência contra a Mulher. Esse tipo de violência ainda existe em nosso país, mesmo após as mulheres ocuparem hoje um lugar de destaque na sociedade e tendo vencido inúmeros preconceitos. É um problema que precisa ser encarado por todos e com união, na esperança de que um dia isso acabe”, afirmou o Diretor-Presidente da CODERN, Emerson Fernandes Daniel Júnior.

A campanha tomou grande proporção em 2016, quando se comemorou os 10 anos da Lei Maria da Penha. O objetivo é fazer toda a Companhia se engajar e participar do Agosto Lilás, se somando a milhares de instituições pelo Brasil todo e aos órgãos governamentais.

Segundo estatísticas de diversas Organizações Não Governamentais (ONG’s) e instituições, a cada 15 segundos uma mulher sofre algum tipo de violência no Brasil; a cada 11 minutos uma mulher é estuprada e, a cada uma hora e meia, uma mulher é assassinada.

Agosto Lilás

Estado

Violência: RN já registra 57 assassinatos de mulheres em 2016

Segundo Ivênio Hermes, que até pouco tempo respondia pela Coordenação de Estatística da Secretaria Estadual de Segurança Pública, o Rio Grande do Norte já registra o assassinato de 57 mulheres no ano de 2016.

“Num país onde ainda existe o apelo machista que subsumi a mulher entre a lista de posses do homem, o Rio Grande do Norte não fica atrás e já completa 57 assassinatos de mulheres no ano de 2016, 8 a menos que o ano de 2015, em compensação, 8 a mais em 2016 com características de violência doméstica e/ou preconceito de gênero, sendo que nesta mesma época no ano 2015 o estado apresentava 3 feminicídios a menos”, diz Ivênio em texto publicado em seu próprio site.

PoderPolítica

Presidente Michel Temer anuncia criação de Delegacia da Mulher na Polícia Federal

Nota oficial do presidente Temer: repúdio veemente ao estupro de adolescente no Rio

Repudio com a mais absoluta veemência o estupro da adolescente no Rio de Janeiro. É um absurdo que em pleno século 21 tenhamos que conviver com crimes bárbaros como esse.

O ministro da Justiça convocou reunião com os secretários de segurança pública de todo país, nesta terça-feira, quando tomaremos medidas efetivas para combater a violência contra a mulher.

Vamos criar um departamento na Polícia Federal tal como fiz com a delegacia da mulher na Secretaria de Segurança Pública do governo Montoro, em São Paulo. Ela vai agrupar informações estaduais e coordenar ações em todo país.

Nosso governo está mobilizado, juntamente com a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, para apurar as responsabilidades e punir com rigor os autores do estupro e da divulgação do ato criminoso nas redes sociais.

Foto: Beto Barata/PR

Sem categoria

CPMI da Violência contra a Mulher pode inspecionar Rio Grande do Norte‏

A  líder do PSB na Câmara, deputada Sandra Rosado, apresentou  nesta terça-feira (28) um  requerimento para que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Violência contra a Mulher visite o Rio Grande do Norte e a cidade de Mossoró. A Comissão foi instalada nesta quarta-feira (28) e tem o objetivo de diagnosticar as lacunas existentes na área e apontar medidas para aperfeiçoar os mecanismos de proteção à mulher.

A deputada aponta que apesar do Rio Grande Norte ser um estado em que as mulheres são culturalmente guerreiras, a ocorrência de crimes contra a mulher tem tirado o sossego da população. “Eu gostaria que a comissão acompanhasse o derramamento de sangue que infelizmente vem ocorrendo no nosso Estado. Não é admissível que mulheres sejam brutalmente assassinadas. Além disso, a gente vê a omissão  quando vai atrás de um legista ou da polícia”, protesta.