As divergências contratuais entre os urologistas e a operadora de plano de saúde Unimed Natal continuam. Em outubro de 2011, cerca de 30 médicos, o equivalente a 90% dos profissionais que atendiam à operadora, desligaram-se da citada empresa. Os profissionais se descredenciaram da operadora por não concordarem em ratear o prejuízo repassado à categoria pela empresa e, desde então, tentam um acordo. Até agora, sem sucesso.

Segundo os urologistas, a Unimed Natal, em função do rateio do déficit (a título de pro rata), não vinha repassando aos médicos o valor determinado em tabela. Os médicos enviaram uma proposta para a retomada imediata do atendimento, inclusive aceitando trabalhar pela tabela própria da Unimed Natal. Mas a operadora até agora não deu resposta aos urologistas, contribuindo para a prorrogação do desacordo.

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed-RN) e a Sociedade Brasileira de Urologia reconheceram a legitimidade das reivindicações da categoria. O Sinmed-RN, inclusive, notificou o Conselho Regional de Medicina (CRM-RN) solicitando medidas de apoio aos urologistas.

Os urologistas esclarecem que, enquanto um acordo não for celebrado entre os profissionais e a operadora, o atendimento continua normalmente, ou seja, sem prejuízo ao usuário, que pode pedir ressarcimento da consulta à Unimed Natal.

Esse atendimento é garantido pela norma RN 268/2011, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), segundo a qual o associado tem o direito de escolher o prestador de serviço de sua confiança, mesmo que o médico não pertença à rede credenciada. A seguradora tem a obrigação de ressarcir os custos médicos. A Unimed Natal é obrigada a ressarcir os usuários que continuam procurando os profissionais anteriormente credenciados à operadora.