Ambulância no Barrettão

03/02/2014 às 06:00 por Marcos Lopes

Ontem no Barrettão, o árbitro Emanoel Marinho não começou o segundo tempo de Globo x Baraúnas, por falta de ambulância no estádio.

No final do primeiro tempo a única ambulância disponível no local, removeu um torcedor que passou mal e demorou para retornar. O árbitro agiu de forma acertada, cumpriu a legislação ao não reiniciar o jogo, deve relatar em súmula o atraso no reinicio da partida, mas cabe punição ao Globo, mandante da partida? Eu entendo que não, afinal de contas o Estatuto do Torcedor fala em uma ambulância para cada 10 mil torcedores e o público não chegou aos 3 mil.

Poderia por uma questão de bom senso ter disponibilizado mais uma ambulância – no segundo teve tinha duas – mas não pode-se dizer que houve infração a nenhuma norma legal.

Vamos esperar a súmula do jogo e o relato do árbitro.

2 Comentários para “Ambulância no Barrettão”

  1. Carlos Barbosa disse:

    Caro Marcos,

    Esse entendimento deve ser extensivo: para cada 10.000 torcedores entenda-se de 1 até 10.000 torcedores, porque se fosse diferente, não existiria lógica na exigência da Lei. Não devemos esquecer também a presença de médico e equipe de saúde.

    Grande abraço e excelentes comentários.

  2. E no LAMAO quantas entram ? E já aconteceu isso ?