Arquivos da Categoria ‘Opinião’

ABC e América precisam um do outro

25/10/2010 às 06:00 por Marcos Lopes

O status de ser um dos poucos estados do Nordeste com vaga na Série B do Brasileiro está garantido para 2011, com o acesso do ABC. O América  com a vitória obtida em cima da Portuguesa, reacendeu a chama da  esperança de permanecer na Segundona, o que se for atingido, vai fortalecer ainda mais o futebol potiguar, ainda que esteja em uma situação de risco.

Com os dois maiores clubes do Rio Grande do Norte na Série B, o nosso futebol toma um novo impulso e dá outra projeção para o estado. O torcedor racional, aquele que está lendo o post despido do radicalismo haverá de concordar comigo.

O sucesso de um  serve de inspiração para o outro, assim como os erros cometidos em um, não devem ser repetidos em outro,  e a rivalidade só pode ter sentido com os dois disputando uma mesma divisão do Brasileiro. Já imaginaram ano que vem dois clássicos pela Série B?

O ABC já está na Série B. O América, ainda está na Série B, e para manter a vaga é preciso que a diretoria rubra reflita acerca da necessidade de um trabalho forte para levar o torcedor ao estádio sábado que vem.

O jogo contra o Ipatinga é o combustível, para manter acessa a possibilidade de permanência.

ABC colhe frutos do profissionalismo e planejamento

19/10/2010 às 12:11 por Marcos Lopes

A qualidade do trabalho que a Diretoria de Marketing do ABC está desenvolvendo, é algo que impressiona, e que está muito acima da média dos clubes de futebol do Nordeste.

A equipe coordenada por Paiva Torres não pára desde que assumiu o comando de uma das áreas que eu considero vital. E olha que o trabalho não está sendo feito apenas pelo fato do ABC estar muito próximo de um acesso, mas sim de forma continuada.

Eu não tenho dúvida que conseguindo o acesso para a Série B, e da forma que o marketing está sabendo explorar a marca ABC, o clube de Ponta Negra em pouco tempo vai estar entre os maiores do Nordeste.

A atuação do marketing do ABC, é mais um resultado da nova forma de administrar que foi implantada no clube depois da posse do presidente Rubens Dantas, que aplicou desde o primeiro momento uma gestão profissional e planejada, e está colhendo os frutos agora, já com mais de quatro  mil novos sócios.

Os resultados de uma gestão profissional e planejada estão aparecendo no ABC.

O jeito é começar de novo

18/10/2010 às 08:06 por Marcos Lopes

A história se repete em mais uma rodada da Série B. É o jogo da vida do América, o time tem a obrigação de vencer, se vencer dá para continuar sonhando.

Eu não acredito mais na recuperação do América na atual temporada e vejo o time como já rebaixado para a Série C do ano que vem, o que não é o apocalipse. Cair é sempre traumático, mas não é o fim.

São nove pontos de diferença para o Vila Nova, o primeiro colocado fora da zona de rebaixamento, e com todo mundo mostrando reação, o que não se vê no América. Se o futebol fosse regido apenas pela matemática, daria para acreditar.

O jeito é o América começar a trabalhar o planejamento para 2011, tentar sair da fila de espera do Estadual, e começar de novo.

2010 foi uma temporada perdida para o América.

O futebol nordestino precisa de apoio

05/10/2010 às 13:51 por Marcos Lopes

A posição do presidente da Federação Pernambucana, de ser contra a Liga dos Clubes e do Campeonato do Nordeste, é isolada e não representa sequer a vontade dos clubes pernambucanos.

Carlos Alberto é um fanfarrão conhecido e reconhecido. De uma hora para outra afinou o discurso com o da CBF, entidade que ele combateu a vida inteira.

E vejam outra coisa. O futebol pernambucano precisa do Campeonato do Nordeste, tanto quanto precisa o potiguar, baiano, cearense, paraibano ou sergipano. Os maiores clubes de Pernambuco hoje, vivem de um status conquistado no passado. O Santa Cruz amarga uma desclassificação da Série D, o Náutico briga da intermediária para baixo na Série B, e o Sport é o único que vai “escapando”.

Carlos Alberto é fanfarrão, quando afirma que já acabou com a Liga e vai acabar novamente. Acaba coisa nenhuma.

Dar razão ao dirigente pernambucano é ser contra – fontalmente contra – o futebol nordestino. Ver razão nos argumentos do dirigente pernambucano é trabalhar  contra o futebol nordestino.

É preciso uma postura firme do presidente da Liga dos Clubes do Nordeste, o potiguar Eduardo Rocha para colocar as coisas nos devidos lugares, e colocar um freio nos arroubos  de um dirigente arcaíco, ultrapassado e que  não tem em Pernambuco o apoio que alguns imaginam.

Esporte passou longe dos programas eleitorais

02/10/2010 às 12:37 por Marcos Lopes

Amanhã tem eleição. Você prestou atenção aos programas dos candidatos ao governo do estado? Quantas você ouviu uma proposta de criação de uma politica para o esporte? Quantos foram os candidatos  que falaram em esporte na propaganda eleitoral no rádio e na televisão?

Nenhum dos candidatos majoritários ao governo do Rio Grande do Norte apresentou um programa para contemplar uma política consistente para o esporte.

O que todo mundo viu, foram alguns candidatos ao legislativo se arvorando como os “pais” da Copa.

Uma pena, mas ganhe quem ganhar, o esporte no Rio Grande do Norte vai continuar enfraquecendo  em todas as modalidades.

América perde com a entrada de Saulo

30/09/2010 às 17:00 por Marcos Lopes

O América perde e muito em qualidade pelo lado direito, sem o titular Cafu. Para complicar , reserva imediato, Gilberto Matuto tamném não joga. Dado Cavalcanti deve improvisar Saulo. O time perde nas jogadas de linha de fundo, perde na marcação.

Fica um time ainda lento na saida.

Deputados e vereadores devem olhar para o futebol

28/09/2010 às 07:00 por Marcos Lopes

Tudo indica que a bancada dos deputados ligados ao futebol aumente na Assembléia Legislativa do RN a partir do ano que vem, mas independente de qualquer coisa, já passou a hora de ser apresentado um projeto que garanta incentivo ao futebol do estado.

Um projeto que estabeleça um repasse anual – incluido no orçamento –  para os clubes do RN que participem do Campeonato Brasileiro, com valores escalonados coonforme a série que estão disputando.

Antes que venham dizer que futebol é profissional e que deve ser bancado pelos clubes, é preciso entender que o futebol tem um apelo social enorme e gera divisas para o estado. Paga impostos, gera empregos diretos e indiretos, fomenta uma mídia espontânea importante, e deve receber incentivo público em forma de lei.

Mesma coisa em nível de municipio. Tem que aparecer um vereador com visão e apresentar projeto que garanta um repasse anual para os times de Natal que disputem o Brasileiro.

Assim, acabaria de uma vez por todas com a peregrinação dos clubes em busca de apoio, e sempre contando com a boa vontade dos gestores públicos. Sendo lei, não precisa do pires e nem do beija-mão.

Vou ficar cobrando daqui, e espero que apareçam deputados e vereadores dispostos a vestir a camisa de incentivo ao futebol profissional.

Conselheiros do América tem que olhar para o futuro

22/09/2010 às 05:00 por Marcos Lopes

Sete Lagoas – MG – O América não tem onde mandar os jogos das próximas temporadas, e isso é fato. O que também é fato – lamentável – é a falta de visão dos conselheiros e dirigentes do clube rubro em não buscar parceiros para a construção de um estádio próprio.

É impressionante que cada vez que falam em alienar ou permutar o patrimônio do clube, insistem que o dinheiro deve ser investido na sede social da Rodrigues Alves, que não tem e nem terá retorno financeiro significativo para o clube. Alguns consellheiros influentes vivem com a cabeça voltada para o passado e insistem que é preciso revitalizar a sede social.

A necessidade urgente do América, cuja atividade principal é o futebol, é um estádio, e que no próprio estádio possa funcionar a sede do clube, o memorial que querem construir, que a vida do América seja transferida para a área do estádio.

Eu entendo que é hora do torcedor do América se organizar e partir para uma campanha para sensibilizar o Conselho Deliberativo sobre a necessidade da construção de um estádio de futebol.

O América FC precisa de uma ampla oxigenação, que passa pela construção de um estádio. é patético ouvir e ler declarações de alguns cardeais sobre a necessidade de investir na sede social.

Abram os olhos para a realidade. Estamos no final de 2010, sede social é coisa do século passado.

Combate aos mistões

18/09/2010 às 18:18 por Marcos Lopes

Maceió – AL – Finalmente chegamos.

Existe um movimento no futebol de Natal que deveria receber mais atenção de nossa parte – mídia – e que é revestido de uma importância muito grande para o fortalecimento do futebol potiguar. O movimento defende que seja assumida apenas a torcida pelos times do RN, ao invés da valorização dos times de fora, principalmente dos cariocas.

Eu sei que é um negócio difícil de ser colocado em prática, e que todo mundo tem o direito de torcer pelo time que bem entender, mas convenhamos que é deprimente, ver carreata pelos 100 anos do Corinthians na av. Roberto Freire, ou assistir queima de fogos e festa por causa do Flamengo. Quem não lembra do América entrando em campo vaiado em pleno Machadão para jogar contra o Flamengo? Ainda não assisti cena mais patética do que aquela no futebol do Rio Grande do Norte.

O que eu defendo, e aqui me associo ao movimento, sem ao menos conhecer os líderes da ação, é que o torcedor potiguar valorize mais o futebol potiguar. Que ao invés de comprar uma camisa oficial de um time de fora, compre e use com orgulho a camisa de ABC, América, Alecrim ou de qualquer outro time do RN. Que ao invés de sentir orgulho de dizer que é Mengão, sinta orgulho de dizer que é Mecão, Abczão ou Verdão.

É preciso resgatar de forma urgente o sentimento de amor pelas coisas da terra, pelo futebol da terra, pelos clubes da terra. Em Natal, já houve uma leve – muito tímida – reação, mas os dois principais times da capital potiguar ainda ocupam posições inferiores aos de fora.

No interior do estado é que o retrato é ainda mais preocupante, com um predomínio fortíssimo do futebol carioca sobre o potiguar.

O RN não pode passar por um vexame internacional

05/09/2010 às 11:00 por Marcos Lopes

Natal está muito atrasada em relação às demais capitais que serão sedes da Copa de 14. Em Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte e Brasília, as obras para o evento são vistas nos quatro cantos das cidades. Na capital federal os efeitos da Copa são sentidos pela população, que inclusive já usufruiu de alguns benefícios dessas obras.

Novas avenidas, viadutos, metrô de superfície, estádios sendo implodidos – ontem estive no Mané Garrincha que está sendo demolido – deixando na população a certeza que aquela capital vai cumprir o cronograma estabelecido pela FIFA.

E em Natal? Quais são as razões concretas para a população acreditar que realmente os prazos serão cumpridos? Por causa da demolição de uma creche e de um pórtico? Pelo discurso cada vez mais tímido do secretário Fernando Fernandes?Pelos discursos eleitoriais dos “pais” da Copa em Natal?

Aliás, o que essa Copa tem de “pai” em Natal é uma grandeza, mas não consigo enxergar do ponto de vista prático nenhum avanço. Fico com a impressão que é a Copa do blá-blá-blá.

Tomara que eu esteja enganado,  e que  arrumem uma varinha de condão para num passe de mágica cumprirem as obrigações assumidas e livrarem o Rio Grande do Norte de um vexame internacional.