Décimo terceiro: empregador deve ficar atento para não ser multado

24 de novembro de 2014 por vneto

As empresas têm até domingo (30) para pagar a primeira parcela do 13º salário aos trabalhadores. A segunda parcela deve ser paga até o dia 20 de dezembro. O valor que reflete em grande alegria para quem recebe é uma grande dor de cabeça para os empresários caso esses não tenham se planejado adequadamente.

“O 13º salário é uma obrigação para todas as empresas que possuem empregados, e o seu não pagamento é considerado uma infração (Lei 4.090/62), podendo resultar em pesadas multas para a empresa no caso de autuada por um fiscal do Trabalho. Para se ter ideia, o valor é de 160 UFIRs (R$ 170,25) por empregado, e esse é dobrado em caso de reincidência. Lembrando que é uma multa administrativa em favor do Ministério do Trabalho e que além dessa, dependendo da Convenção Coletiva da categoria, pode existir cláusula expressa retratando a correção do valor pago em atraso ao empregado”, conta Fabiano Giusti, consultor trabalhista da Confirp Contabilidade.

O 13º é devido por mês trabalhado, ou fração do mês igual ou superior a 15 dias. Desta maneira, se o empregado trabalhou, por exemplo, de 1º de janeiro à 14 de março, terá direito a 2/12 (dois doze avos) de 13º proporcional, pelo fato da fração do mês de março não ter sido igual ou superior a 15 dias. Desta forma, o cálculo é feito mês a mês, observando sempre a fração igual ou superior a 15 dias.

“As médias dos demais rendimentos como hora extra e comissões adicionais são também somadas ao valor do salário usado como base para o cálculo do décimo terceiro. Trabalhadores que só recebem comissão devem calcular o valor baseando-se na média aritmética das comissões recebidas durante o ano ou conforme Convenção Coletiva da categoria, seguindo sempre o que for considerado mais benéfico”, acrescenta o consultor da Confirp.

Como em um salário normal, também ocorrem uma série de descontos no décimo terceiro do trabalhador, porém somente na 2ª parcela, que são Imposto de Renda (IR), a contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Pensões Alimentícias, quando mensurado nos ofícios, e as famosas contribuições associativas previstas em algumas convenções coletivas.

No que tange a impostos, no intuito de fracionar o pagamento aos empresários, diferente dos descontos, o FGTS é pago nas duas parcelas, juntamente com a remuneração salarial do mês do pagamento, seus percentuais variam: 8% para empregados celetistas e domésticos quando aplicável e 2% no caso de menor aprendiz.

Ponto importante é que é que o valor deverá ser pago na rescisão de contrato em casos de demissão sem justa causa, pedido de dispensa, fim de contrato por tempo determinado (inclusive os contratos sazonais, por safra) e aposentadoria, e o valor deverá ser proporcional aos meses em serviço. Já quando ocorre a demissão com justa causa, o trabalhador perde esse benefício e caso já tenha sido paga a primeira parcela, como o mesmo perdeu o direito ao recebimento, o valor efetivamente adiantado deverá ser abatido do saldo de salário ou demais verbas rescisórias.

“Caso a data máxima de pagamento do décimo terceiro caia em um domingo ou feriado, o empregador deve antecipar o pagamento para o último dia útil anterior. O pagamento da gratificação em uma única parcela, como feito por muitos empregadores, normalmente em dezembro, é ilegal, estando o empregador sujeito a multa”, alerta Fabiano Giusti.

==
Informações: Confirp

Fiat lidera ranking das marcas mais financiadas em outubro

24 de novembro de 2014 por vneto

A Fiat manteve-se na liderança no ranking de outubro das marcas de autos leves novos mais financiadas no Brasil, com 35.204 unidades, uma participação no mercado de 21,4%. No acumulado do ano, levando-se em consideração autos leves novos e usados, a montadora também está à frente, com 879.228 (347.619 novos e 531.609 usados) unidades financiadas.

O levantamento é da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG). Os números contemplam os veículos comercializados por crédito direto ao consumidor (CDC), leasing e autofinanciamento (consórcio).

A General Motors segue como a segunda marca que mais financia autos leves novos no país, chegando a 34.864 unidades em outubro. A Volkswagen está na terceira colocação, com participação no mercado de 16,9%, totalizando 28.819 autos leves novos financiados.

A Toyota também melhorou o seu desempenho e passou a ocupar a sexta posição no ranking consolidado e de automóveis leves novos, com 22.081 unidades e 11.394 unidades, respectivamente. Com isso, a marca ultrapassou a Hyundai, que passou a ocupar o sétimo lugar.

No Brasil, foram financiados 452.735 automóveis leves em outubro, entre novos e usados. Desse total, 180.768 foram unidades novas e 271.967 foram de usados.

°°

FINANCIAMENTOS
Autos leves novos e usados financiados em outubro/2014

Fiat…………….92.466
GM……………..91.552
VW…………….87.270
Ford…………..46.766
Renault……….24.348
Toyota………..22.087
Hyundai………22.055
Honda…………16.863

Informações: Assessoria Cetip

Preço médio da gasolina no RN sobe na terceira semana de novembro

23 de novembro de 2014 por vneto

Com a renovação dos estoques e os ajustes nas bombas, o preço médio da gasolina vendida no Rio Grande do Norte subiu de 3,083 na segunda para 3,105 na terceira semana de novembro, conforme levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP). A diferença de dois centavos pode parecer insignificante, mas representa R$ 1,1 milhão mensais no mercado deste combustível no RN.

Em 2013, foram comercializados no Rio Grande do Norte 606 milhões de litros de gasolina a um preço médio de 2,882, movimentando R$ 1,74 bilhão. De acordo com o banco de dados da ANP, em relação a 2004 houve aumento de 144,45%, o quarto maior salto no consumo entre os estados brasileiros. O ranking é liderado pelo Piauí, onde o aumento de 204,51%.

Entre as grandes regiões brasileiras, o Norte lidera com um aumento no consumo de 2004 a 2013 (135,24%), seguido do Nordeste com 130,35%. No Sudeste o aumento foi de 61,86%.

A pesquisa da ANP é feita levando em conta a comercialização de 114 postos em seis municípios potiguares: Natal, Mossoró, Parnamirim, Caicó, Currais Novos e São José do Mipibu. Com a renovação dos estoques e o reajuste nas bombas, o ranking agora é liderado por Currais Novos, onde a média é de R$ 3,137, superando Mossoró, líder na pesquisa anterior.

Leitores acreditam que o resultado poderia ser diferente – e a média de preços muito maior – se a base da pesquisa fosse ampliada para incluir municípios mais distantes dos centros de distribuição do produto. Tão logo o texto da pesquisa anterior foi postado neste blog, na semana passada, internautas passaram a informar sobre valores cobrados em municípios do Alto Oeste na faixa de R$ 3,20 e do Seridó R$ 3,296.

Nas seis cidades pesquisadas, o menor preço encontrado pela ANP foi em dois postos de São José do Mipibu (R$ 2,950), e o maior no Somapetro da Avenida Dix-neuf Rosado, em Mossoró (3,199). Este posto já detinha o título de campeão do preço alto na pesquisa anterior.

Promoção
No Posto Cais, na Ribeira, o litro da gasolina comum custa R$ 2,99, mas a gerência adotou uma medida para incrementar as vendas no final de semana, quando o movimento encolhe 80% no bairro, dominado por estabelecimentos comerciais. No sábado, a partir das 14 horas, entra em vigor a “promoção relâmpago” que vai até as 18 horas do domingo. O preço cai para R$ 2,939. O posto não trabalha com cartão de crédito, mas aceita débito em conta corrente.

posto

 

==

PREÇOS MÉDIOS NO RN

Currais Novos: R$ 3,137
Mossoró: R$ 3,135
Caicó: R$ 3,131
Natal: R$ 3,105
Parnamirim: R$ 3,089
São José de Mipibu: R$ 2,975

==

NATAL
Gasolina abaixo de R$ 3,00

Razão social: Postos dos Anjos Ltda.
Endereço: Avenida dos Xavantes 2001 – Pitimbu
Bandeira: FAN
Preço: 2,990

Razão social: A. de M. Viana
Endereço: Avenida Moema Tinoco da Cunha Lima, 2490 – Pajuçara
Bandeira: FAN
Preço: 2,990

Razão social: Posto Cabugi Ltda.
Endereço: Avenida Floriano Martins, S/N – Potengi
Bandeira: Raizen
Preço: 2,990

Razão social: Flor e Oliveira Ltda.
Endereço: Avenida da Integração 1450 A – Lagoa Nova
Bandeira: Petrobras Distribuidora
Preço: 2,990

Razão social: SM Comercial de Derivados de Petróleo Ltda.
Endereço: Rua Maranata 425 – Planalto
Bandeira: Branca
Valor: 2,990

Razão social: JVC Comercial Ltda.
Endereço: Avenida Industrial João Francisco da Mota 3459 – Felipe Camarão
Bandeira: Petrobras Distribuidora
Preço: 2,990

¨¨
Razão social: Bezerra de Melo
Endereço: Avenida Rio Branco 180 – Ribeira
Bandeira: Raizen (Shell)
Preço: 2,990

Razão social: Cais Comercio Varejista de Combustível Ltda.
Endereço: Rua Henrique Castriciano 300 – Ribeira
Bandeira: Branca
Valor: 2,999

Razão social: Posto Luso
Endereço: Duque de Caxias – Ribeira
Bandeira:  Petrobras
Preço: 2,999

 

 

Litro da gasolina sobe seis centavos no RN, aponta pesquisa da Agência Nacional do Petróleo

21 de novembro de 2014 por vneto

Pesquisa realizada pela Agência Nacional do Petróleo 12 dias depois de autorizado o reajuste mostra que o preço médio do litro da gasolina no Rio Grande do Norte era de R$ 3,083, o 15° mais caro do Brasil e o 4° maior do Nordeste. O ranking nordestino é liderado pela Bahia, onde está localizado o polo petroquímico de Camaçari (R$ 3,161); Ceará (R$ 3,157) e Maranhão (R$ 3,087). A Paraíba tem o melhor preço da região: R$ 2,922. Em relação aos preços praticados em outubro, houve aumento de R$ 0,06 (seis centavos). Se levar em consideração aos do início de novembro/2013, o aumento é de 7,2%.

Entre as capitais brasileiras, Natal ocupa o 11° lugar. Rio Branco, no Acre, tem a gasolina mais cara do Brasil: R$ 3,360, seguida agora de Salvador (BA), onde o preço médio apurado na pesquisa realizada na semana passada era de R$ 3,25. A mais barata é em São Paulo: R$ 2,853. Recife e João Pessoa dividem o posto de capital nordestina com menor preço da gasolina. Nas duas, o consumidor paga R$ 2,90 na hora de abastecer o veículo.

No Rio Grande do Norte, São José do Mipibu tem o menor preço e Mossoró o maior. A situação do RN poderia ser diferente se a base da pesquisa fosse ampliada. Atualmente, a ANP faz levantamento de preços em Caicó, Currais Novos, Mossoró, Natal, Parnamirim e São José do Mipibu, deixando de lado regiões como o Alto Oeste, a Zona Salineira e o Agreste.

Os postos de João Pessoa têm a menor margem de comercialização do Nordeste. A média entre o preço na distribuidora e o vendido da bomba é de 36 centavos, enquanto em Natal de 41 e em Salvador de 70 centavos por litro.

Por bairros, a Ribeira tem o melhor preço da gasolina de Natal (R$ 2,995) e Petrópolis, duas ladeiras depois, o maior (R$ 3,165). O litro mais caro era vendido por R$ 3,190 no Posto Somapetro Comércio e Transportes, na avenida Dix-neuf Rosado, no Cento de Mossoró. Este valor supera o preço máximo praticado em Porto Nacional, no interior do Tocantis (R$ 3,180). Em Natal, a gasolina a mais cara é vendida no Posto Rota, Praia do Meio (R$ 3,170) e o segundo mais caro no posto Quirino da Rua Apodi (R$ 3,169).

Entre os postos de Natal que vendiam gasolina abaixo de R$ 3,00 quando a pesquisa foi feita, no dia 12 de novembro, estavam o Dois Irmãos, Campo Belo, Ferreira e Álvares, no Alecrim; Cais e Bezerrinha, na Ribeira; Marinho e Álvares, nas Quintas, e Campo Belo, no bairro Nordeste.

A ANP conclui nesta sexta-feira (21) a terceira pesquisa pós-aumento, que tará uma radiografia mais próxima da realidade dos preços praticados no Rio Grande do Norte. É que muitos postos ainda praticavam preços antigos ou não tinham aplicado o reajuste em sua totalidade com medo de multas, a exemplo do que ocorreu no ano passado, quando o Procon autuou dezenas deles por reajuste abusivo.

 

PREÇOS MÉDIOS
Pesquisa ANP entre os dias 09 e 15 de novembro

MUNICÍPIOS RN

Mossoró…………………. 3,120
Currais Novos…………. 3,098
Natal……………………… 3,091
Parnamirim……………. 3,070
Caicó…………………….. 3,054
São Jose de Mipibu….. 2,888

==
ESTADOS DO NORDESTE

BA 3,161
CE 3,157
MA 3,087
RN 3,083
AL 3,062
SE 2,965
PI 2,935
PE 2,934
PB 2,922

==
CAPITAIS DO NORDESTE

Salvador 3,253
Fortaleza 3,177
São Luís 3,088
Maceió 3,076
Teresina 2,934
Natal 3,091
Aracaju 2,959
Recife 2,900
João Pessoa 2,900

==

EVOLUÇÃO
Preço médio praticado no RN nos meses de novembro

2002………. 2,002
2006………. 2,660
2010………. 2.677
2014*………3,083

 

(*) preço referente à segunda quinzena de novembro

Tributos pagos por pequenas empresas do RN atingem R$ 127,6 milhões em dez meses

20 de novembro de 2014 por vneto

O total de tributos recolhidos dos pequenos negócios pelos fiscos estadual e municipais alcançou R$ 127,6 milhões no acumulado dos dez primeiros meses do ano no Rio Grande do Norte. Em outubro, a soma do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) e do Imposto sobre Serviços (ISS) foi de R$ 13,9 milhões. Os dados são Receita Federal e demonstram a importância do segmento das micro e pequenas empresas para economia potiguar.

Em outubro, o recolhimento de ICMS, que é destinado ao estado, cresceu 9% no comparativo com o mesmo mês do ano passado, atingindo R$ 10,3 milhões, enquanto em 2013 o arrecadado foi de R$ 9,4 milhões. No acumulado do ano, os valores chegam a R$ 96,3 milhões e são 8% maiores que o mesmo somatório entre janeiro e outubro de 2013, quando a arrecadação do imposto foi de R$ 88,6 milhões.

Em relação ao ISS, que é repassado aos municípios, foram R$ 3,5 milhões recolhidos em outubro. A maior quantia ficou com Natal, que recebeu R$ 2,1 milhões, seguida de Mossoró (R$ 442,6 mil) e de Parnamirim (R$ 280,7 mil). A arrecadação desse imposto vem se mantendo dentro de uma faixa média mensal e, no acumulado do ano, já chega a R$ 31,3 milhões.

==
Fonte: Sebrae/RN

Congresso vai discutir em Natal desafios e soluções tecnológicas para produção de petróleo terrestre

20 de novembro de 2014 por vneto

Viabilidade econômica de campos marginais, licenciamento ambiental de poços terrestres, tecnologias acessíveis para campos terrestres marginais, e reservatórios não convencionais são alguns dos temas na pauta da 4ª edição da Feira e Conferência Brazil Onshore, que será realizado em Natal de 25 a 27 de novembro, no Centro de Convenções de Natal.

Oitenta empresas, entre fornecedores de equipamentos e companhias de serviços, já confirmaram presença e vão participar da exposição, numa área de 700 metros quadrados. A promoção é do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) a Society of Petroleum Engineers (SPE).

Uma das novidades da 4ª edição da Brazil Onshore é a criação de uma Rodada de Negócios, organizada pela Rede Petro-RN. Durante um dia, os executivos terão a oportunidade de se reunir com a intenção de fechar acordos e parcerias. “O objetivo é fomentar negócios que ajudem a desenvolver ainda mais os players do segmento onshore no país”, afirma o secretário geral do IBP, Milton Costa Filho.

Além disso, haverá um pavilhão para startups de base tecnológica do segmento onshore. Com custos operacionais significativamente mais baixos, expertise de alta qualidade e com poder de decisão, os produtos são entregues com mais rapidez.

Melhoria da renda eleva consumo de energia residencial no RN

20 de novembro de 2014 por vneto

O consumo residencial de energia elétrica cresceu 7,0% no Rio Grande do Norte entre janeiro e outubro deste ano. A constatação é da Cosern, que ontem divulgou um balanço de consumo nos dez primeiros meses de 2014.

E o motivo para isso, segundo a empresa, foi o aumento da renda da população, que favoreceu maior uso e aquisição de aparelhos de refrigeração nas residências, provocado pelas elevadas temperaturas em função da falta de chuvas, o que elevou o consumo.

Na média de todos os setores – residencial, industrial, comercial e rural -, o crescimento foi de 4,8%. O consumo da classe comercial foi de 6,9%, de acordo com balanço da companhia energética.

“Na classe comercial, o crescimento é atribuído, principalmente, em razão da oferta de equipamentos de refrigeração, como aparelhos de ar condicionado e refrigeradores, além de outros eletroeletrônicos. No setor industrial potiguar houve um aumento da demanda de energia elétrica em 3,5%”, informa a Cosern.

O setor rural foi o único que não apresentou diferença no comparativo de consumo nos dez meses analisados, mantendo-se invariável. A ausência de chuvas e a redução no nível dos reservatórios estabilizou o consumo de energia utilizada na irrigação da lavoura.

Setor de serviços movimentou R$ 7,3 bilhões no Rio Grande do Norte

19 de novembro de 2014 por vneto

O setor de Serviços do Rio Grande do Norte movimentou em 2012 um montante de R$ 7,3 bilhões, manteve ocupadas 113.826 pessoas, gerando R$ 1,45 bilhões em salários, retiradas e outras remunerações. No comparativo com o ano anterior (/2011), a receita bruta teve um aumento de 15,26%, o número de empresas – 9.521 – aumentou 20,8% e o de pessoal ocupado na atividade 13%. Já os salários, retiradas e outras remunerações tiveram um incremento de 18,0%.

Os números são da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 2012, que analisa a estrutura produtiva do setor de serviços não financeiros no Brasil. Além de apresentar dados importantes para se compreender o comportamento do mercado formal de serviços, as informações da pesquisa subsidiam o cálculo do Produto Interno Bruto (PIB), segundo informou nesta quarta-feira (19) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Resumo
Valor em R$ 1.000

Receita Bruta
R$ 7.394.882

Salários, retiradas e outras remunerações
R$ 1.452.813

Pessoal ocupado
113.826

Número de empresas
9.521

°°

Participação dos setores 
Serviços prestados principalmente às famílias
19,35%

Serviços de Informação e Comunicação
25,07%

Serviços profissionais, administrativos e complementares
26,20%

Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios
21,06%

Outros
8,32%

Artigo: Perfeccionismo ou excelência?

19 de novembro de 2014 por vneto

Eduardo Shinyashiki*

O perfeccionismo é um inimigo invisível, um obstáculo ao sucesso que leva muitas pessoas, especialmente no contexto profissional, a não agirem e a bloquearem uma ação por medo de não atingir aquilo que julgam “perfeito”. O profissional perfeccionista foca sempre nos seus defeitos e nas imprecisões do seu trabalho, elevando, assim, o estresse, a ansiedade e o sentimento de frustração.

Se o desejo de melhorar é certamente positivo, se levado à exasperação e ao extremo, prejudica o profissional e se torna negativo. Precisamos evitar que pequenos e simples erros se tornem catástrofes emocionais por causa de um modelo de perfeição que destrói a autoestima e a autoconfiança, distanciando cada vez mais o indivíduo da concretização dos resultados, da realização e da satisfação pessoal.

Quando repensamos continuamente e exaustivamente em cada detalhe de uma atividade com o anseio de que ela seja perfeita, o risco de perder de vista a maneira de atingir o objetivo é muito maior. O perfeccionista não dá o primeiro passo, mas se perde nos detalhes não enxergando mais o resultado.

É mais produtivo ir em direção à excelência e à vontade de melhorar constantemente do que buscar um padrão ilusório de perfeccionismo, conceito absoluto, de parâmetros e regras fixas, um labirinto e um círculo vicioso onde não se encontra a saída. Se ir em direção à excelência significa querer expandir, aprender e estar aberto a novos estímulos, o perfeccionismo nos aprisiona em uma camisa de força onde o nosso agir é limitado e bloqueado.

A excelência é muitas vezes confundida com o perfeccionismo, mas não são equivalentes, pois o perfeccionista vive na necessidade de ser invulnerável, buscando a imagem perfeita, a ação perfeita, a palavra perfeita, e cai, assim, na frustração e no fracasso, vivendo uma fachada de proteção que elimina a autenticidade da sua vida e coloca o medo de ser descoberto nas suas imperfeições, como dono das suas ações.

A excelência é flexibilidade, pois não tem parâmetros fixos ou regras a seguir. Buscar a excelência naquilo que se faz significa se preparar e se colocar nas melhores condições para enfrentar cada situação naquele determinado momento. A excelência inclui o fracasso e o erro vividos não como uma derrota, mas como resultados sobre os quais trabalhar e focar mais. Ela se torna então uma arte aprimorada por meio do hábito e do exercício de usar as próprias qualidades e potencialidades, perseverando no tempo para conseguir os objetivos escolhidos e buscando melhorar a cada dia com a consciência de que não somos infalíveis, mas sim pessoas em contínua evolução.

°°°

Eduardo Shinyashiki é palestrante, consultor organizacional, especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes. Presidente da Sociedade Cre Ser Treinamentos, Eduardo também é escritor e autor de importantes livros como Transforme seus Sonhos em Vida, da Editora Gente, sua publicação mais recente. www.edushin.com.br.

Parnamirim abre licitação para compra de fardamento e Natal das Crianças

19 de novembro de 2014 por vneto

A Prefeitura de Parnamirim vai realizar, no final de novembro, duas licitações na modalidade Pregão Eletrônico. A primeira para compra de fardamento destinado aos servidores da limpeza urbana; a segunda para realização do Natal das Crianças.

As sessões de disputa serão às 10 horas do dia 28. Os editais estão à disposição dos interessados no site www.licitacoes-e.com.br.

O Natal das Crianças é realizado há 18 anos no Parque Aristófanes Fernandes. Além de shows com grupos locais e atividades que mexem com a imaginação das crianças, como a chegada do Papai Noel num helicóptero, a festa distribui bonecas e bolas de futebol para crianças pobres e procura preservar as tradições nordestinas, como o desafio de subir no pau de sebo.

No ano passado, mais de 20 mil pessoas estiveram presentes no parque.

BNB assina acordo para fortalecer agropecuária do Semiárido

19 de novembro de 2014 por vneto

O Banco do Nordeste assina nesta quinta-feira (20) acordos de cooperação com o Ministério da Agricultura, Confederação da Agricultura (CNA), Instituto CNA e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Os termos de cooperação abrangem a área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

O objetivo é realizar ações conjuntas destinadas à promoção e ao desenvolvimento da agropecuária, bem como capacitação dos produtores rurais em gestão e tecnologias modernas de produção, além do fortalecimento das cadeias produtivas de pecuária e ampliação da capacidade estática e dinâmica de armazenagem.

“A missão do Banco do Nordeste é propiciar o desenvolvimento regional sustentável. Todas as parcerias voltadas para a agricultura e o agronegócio, no intuito de potencializar o setor, são bem-vindas”, afirma o presidente do BNB, Nelson Souza.

Receita Federal deposita dinheiro da restituição do imposto de renda

17 de novembro de 2014 por vneto

Já está nos bancos uma grana de R$ 2,3 bilhões, referente ao penúltimo lote regular de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2014. De acordo com a Receita Federal, estão na lista 2.146.926 contribuintes. No lote, foram incluídos também contribuintes liberados da malha fina das declarações entregues no período de 2008 e 2013.

Pelas normas da Receita, a restituição fica disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate no prazo, deverá requerê-la pela internet, usando o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001, nas capitais, e 0800-729-0001 nas demais localidades.

O número 0800-729-0088 é disponibilizado especialmente para pessoas com deficiência auditiva. Nesse contato, o contribuinte pede o agendamento do crédito em conta-corrente ou em poupança, em seu nome, em qualquer banco.