Mercado de trabalho do Rio Grande do Norte teve o pior maio desde 2003

24 de junho de 2016 por vneto

Comentários 0

O mercado de trabalho do Rio Grande do Norte perdeu 2.100 empregos formais em maio, equivalentes à retração de (-0,49%) em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior.

Foi o pior maio desde 2003.

Até então, o recorde para o mês era maio de 2009, com corte de (-1.792) empregos.

Poderia ter sido pior, não fosse o agronegócio, que teve um saldo positivo de 444 postos de trabalho.

As informações são do Caged, divulgadas na tarde desta sexta-feira.

Por setores, o comportamento foi o seguinte: Comércio (-935 postos), Serviços (-782) e Construção Civil (-542 postos).

Na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, nos cinco primeiros meses do corrente ano houve decréscimo de 14.731 postos (-3,33%).

Ainda na série com ajustes, nos últimos 12 meses verificou-se perda de 4,44% no nível de emprego ou (-19.909) postos de trabalho.

Os dados são coletados em municípios com mais de 30 mil habitantes.

Dos 16 do Rio Grande do Norte que compõem a pesquisa, apenas dois tiveram saldo positivo: Apodi 37 e Touros 01.

Nos demais, houve mais demissões que contratações. Dois 2.100 postos eliminados, 57% foram em Natal (-800) e Mossoró (-402).

…….
Evolução do emprego formal sem ajuste (RN) nos meses de maio
Período: 2009 a 2016

2009 (-1,792)
2010 +3.450
2011 (-155)
2012 (-819)
2013 +103
2014 (-406)
2015 (-1.405)
2016 (-2.100)

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.