Pesquisa de preços ganha importância entre consumidores de medicamentos

22 de junho de 2016 por vneto

Qual o comportamento do consumidor na hora de comprar medicamento? A pesquisa Comportamento do consumidor na hora de escolher farmácias, realizada pelo Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC), no primeiro semestre de 2016, mostra que grande parte dos consumidores afirma se preocupar com pesquisa de preços.

Segundo dados, 57% dos entrevistados fazem rotineiramente pesquisa de preço de medicamentos e outros produtos farmacêuticos antes de comprar, um crescimento considerável em comparação com números de pesquisa similar feita em 2010, na qual apenas 11% tinham essa preocupação. Esses levantamentos foram realizados com 1.287 consumidores de 28 cidades brasileiras.

Contudo, ao confrontar os dados com uma segunda pesquisa realizada in loco, os resultados foram bastante distintos. Quando perguntados se pesquisaram em outras farmácias o preço do que acabaram de comprar, 81% afirmaram que não. Nesse caso, foram realizadas 321 entrevistas presenciais no lado de fora das farmácias, com consumidores que haviam acabado de realizar a aquisição.

Segundo o presidente da Febrafar, Edison Tamascia, em um comparativo entre as respostas se observa que há um alerta da população em relação à importância de pesquisas de preços, mas essa prática ainda não é efetiva.

“A importância do preço na hora da compra em uma farmácia já era sabida, contudo, não são realizadas frequentemente as pesquisas, assim, entende-se que outros fatores como cartões de fidelização, localização e atendimento ainda são imprescindíveis na hora da decisão de compra”, explica Tamascia.

Essa ideia é afirmada pela mesma pesquisa, que elencou quais os principais critérios considerados na hora da escolha do local da compra de medicamentos, mostrando que 94% analisa preços, 84% localização, 80% atendimento, 49% estacionamento, 32% meios de pagamento, 21% aceitação de PBM (programa de desconto) e 11 % entrega de produto em casa.

…..
Fonte: Associação Brasileira de Educadores Financeiros

Preços das frutas caem, mas os das hortaliça estão em alta

22 de junho de 2016 por vneto

O aumento na oferta das principais frutas comercializadas nas Centrais de Abastecimento (Ceasas) mais representativas do país incentivou a queda registrada de preços nos mercados atacadistas em maio.

É o que revela o 6º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Ceasas em 2016, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A queda no volume geral de exportações das frutas neste ano, comparada a 2015, refletiu no aumento da quantidade dos produtos no mercado interno, pressionando os preços para baixo.

Outro fator que explica o arrefecimento é o aumento de produção, principalmente de banana prata, mamão e melancia.

No caso do mamão, a queda nos preços reverte a tendência de alta registrada desde o fim de 2015 e reflete uma diminuição das intempéries climáticas que se abatia sobre as regiões produtoras.

Já a melancia deverá manter os preços estabilizados em patamares mais baixos até meados de julho, devido à entrada da safra.

Tomate, batata e cebola registraram dificuldades na produção, o que impactou na elevação dos valores comercializados destes produtos no atacado no mês passado.

Os preços da cebola continuam elevados devido às importações. Apesar do registro de queda nos últimos dois meses, o volume do produto importado neste ano é 8,1% superior ao de 2015.

Para o mês de junho espera-se queda nos mercados, acompanhando o movimento de entrada da safra do Vale do São Francisco.

Na contramão das demais hortaliça, a cenoura apresentou baixa significativa na comercialização de maio, chegando a 48% na Ceasa/Campinas.

Este movimento deve-se à recuperação das lavouras da região Sudeste, sobretudo em Minas Gerais, e deve seguir a trajetória descendente de preço, com a entrada de outras ofertas estaduais.

O levantamento é feito nos mercados atacadistas, por meio do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), executado pela Conab, e considerou os principais entrepostos localizados nos estados de SP, MG, RJ, ES, PR, GO, DF, CE e PE.

….
Fonte: Conab

Secovi abre inscrições para convenção do setor imobiliário

21 de junho de 2016 por vneto

Com o mote “É hora de se reinventar”, a Convenção Secovi 2016 focaliza o momento de mudanças por que passa o País – tanto no campo político como no econômico -, os impactos na cadeia imobiliária e a necessidade de as empresas do setor repensarem seus negócios para sobreviverem.

“Diante do cenário econômico difícil e com toda a turbulência política, a falta de confiança por parte das empresas e de seus clientes é latente. Não há outro meio de os agentes do mercado sobreviverem, a não ser pela reinvenção de seus negócios”, diz Luiz Fernando Gambi, coordenador geral do evento.

Um dos destaques da Convenção 2016 será a apresentação de um estudo inédito sobre a viabilidade de empreendimentos destinados a locação residencial a preços acessíveis.

Esse modelo de negócios, conhecido no exterior como affordable rentals, prevê uma conjugação de investimentos da iniciativa privada e de incentivos do governo, de forma a oferecer moradia para locação com baixo custo a famílias com menor renda e retorno no longo prazo para investidores.

O evento terá, ainda, painel focado em apresentar o que o mercado imobiliário tem pensado e oferecido em termos de modelos de negócios, produtos e processos inovadores.

Somam-se a isso palestras sobre finanças e segurança em condomínios, as diretrizes globais de planejamento urbano debatidas no Habitat III, os números de mercado mais atualizados do setor (vendas, lançamentos, loteamentos, locação e habitação econômica), sustentabilidade, entre outros.

Para o encerramento da Convenção, uma palestra sobre tecnologias disruptivas e o impacto que causam em diversos setores mostrará como inúmeras empresas podem vir a encerrar seus negócios caso não se sintonizem com os novos tempos.

“Iniciativas inovadoras abocanham mercados até então intocáveis. Atividades, incluindo imobiliárias, podem simplesmente sumir do mapa. O que vender para quem não quer comprar, mas somente usar? Quais são as ameaças, os desafios e as soluções? Imperdível para quem quer permanecer no mercado e crescer”, conclui Gambi.

Santander Brasil lança Programa de Trainee aberto a todas as instituições de ensino superior

16 de junho de 2016 por vneto

Santander Brasil lança Programa de Trainee aberto a todas as instituições de ensino superior
O Santander Brasil lança na próxima segunda-feira (20) o novo programa de Trainee, aberto a todas as universidades do País e a todas as áreas de conhecimento. Objetivo é investir na formação de novos líderes, conectados com a cultura interna da instituição.

A elaboração da iniciativa contou com a participação direta de ex-trainees que hoje ocupam posições de liderança no Banco. Desse grupo surgiu a proposta de propiciar aos participantes uma experiência completa, que não fique restrita ao dia a dia do escritório.

“Por meio desse programa, vamos buscar líderes para o futuro, profissionais que nos ajudem a encontrar respostas para problemas que ainda nem existem”, diz Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil. “Queremos pessoas que estejam atrás não só de enfrentar desafios, mas de desafiar o mercado. Que pensem diferente e tenham foco no resultado, tanto para o Banco como para o cliente.”

Os selecionados vão conhecer várias atividades do Banco, como o dia a dia das agências, a dinâmica das áreas administrativas, a rotina do Banco de Atacado e muito mais. Além disso, poderão viajar e atuar em diversas regiões, para conhecer as diferentes realidades do nosso País.

Processo Seletivo
Os candidatos serão submetidos a testes online de raciocínio lógico e inglês. Depois, haverá uma etapa de aderência à Cultura Santander e um Assessment Comportamental. Uma das novidades é a fase Selfie – quando os candidatos deverão gravar um vídeo de si mesmos comentando um tema proposto pelo Banco.

Os classificados participarão de uma dinâmica de grupo e, na etapa final, farão parte de um painel de negócios diferenciado, no qual será utilizado o Action Learning como metodologia de resolução de problemas. Por último, os profissionais serão entrevistados por uma banca de Executivos.

Os selecionados passarão por um programa de capacitação completo. Os trainees terão uma agenda de formação técnica completa e serão acompanhados e apoiados pela equipe de Recursos Humanos e por executivos experientes do Banco, que serão os seus tutores.

A escolha da área de alocação para os trainees efetivados será realizada ao longo do programa por um colegiado. Os responsáveis levarão em consideração o perfil do participante, os resultados do Programa e o perfil do gestor.

A expectativa é de que ao menos 15 candidatos sejam selecionados. O programa tem duração de um ano e, depois deste período o candidato poderá ser contratado.

Os interessados podem se inscrever até o dia 18 de agosto no site: www.across.com.br/traineesantander.

….
Fonte: Santander – Relações com a Imprensa

Lançamentos de imóveis têm queda expressiva em abril

16 de junho de 2016 por vneto

Os Indicadores Abrainc-Fipe referentes a abril registraram 1.580 unidades lançadas, um recuo de 52,5% em comparação ao mesmo mês de 2015.

No acumulado de 2016 (até abril), os lançamentos totalizaram 15.752 unidades, número 2,9% superior ao observado no mesmo período de 2015.

Considerando os últimos 12 meses, o total lançado (63.992 unidades) mostra queda de 8,1% face ao observado no período precedente.

Em abril de 2016, a pesquisa mostra que foram vendidas 7.146 unidades, o equivalente a um recuo da 14,4% frente às vendas do mesmo mês de 2015.

Até abril, as vendas somaram 30.477 unidades, o equivalente a uma queda de 16% frente ao volume observado no mesmo período de 2015.

Entre os 12 meses, o setor vendeu 103.690 unidades, também com queda de 16% face ao observado nos 12 meses anteriores.
….
Uma pausa para explicar: Abrainc é a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias, e Fipe, Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, de São Paulo.
….
Segundo dados das 19 empresas participantes do estudo, no quarto mês do ano, foram entregues 8.127 unidades, o que corresponde a uma queda de 30,3% frente ao número de unidades entregues em abril do ano anterior.

De janeiro a abril de 2016, as entregas totalizaram 37.632 unidades, volume 11,4% inferior ao observado na mesma base de 2015.

Nos últimos 12 meses, as entregas somaram 121.036 unidades, número 23,8% inferior ao volume entregue nos 12 meses precedentes.

De acordo com Renato Ventura, vice-presidente executivo da Abrainc, a queda expressiva nos lançamentos do mês de abril reflete um cenário pontual. “Para melhor análise, os dados do mercado imobiliário devem ser acompanhados por um período maior”, afirma ele.

Ventura também explica que a queda nos números, de forma geral, é decorrente da falta de confiança de empreendedores e compradores, mas que deve ser revertida com o reaquecimento da economia.
O indicador de distrato de abril deste ano revela que foram distratadas 4.195 unidades, o que representa um aumento de 4,8% frente ao número absoluto observados em abril de 2015.

No acumulado de 2016 (até abril), o total de devolução de imóveis foi de 14.607 unidades, patamar 2,8% inferior ao observado no primeiro trimestre de 2015.

Nos últimos 12 meses, foram distratadas 46.489 unidades, uma elevação de 1,7% face ao volume do período precedente. Já, se considerados os distratos como proporção das vendas por safra de lançamento, as unidades vendidas no primeiro trimestre de 2014 apresentam a taxa mais elevada da série histórica (18,1%).

NORDESTE
Em abril, a região Nordeste contou com 69 unidades lançadas, tendo a sua participação em 4,4% no total nacional. No período, foram vendidas 1.000 unidades de novos imóveis, alcançando 14,6% do número vendido no Brasil pelas associadas Abrainc.

Em abril foram entregues 696 unidades no Nordeste, 8,6% do total de entregas no Brasil. Os dados mostram que no Nordeste, em abril, haviam disponíveis 16.900 unidades em oferta final, 15,2% do número nacional.

Para a composição dos Indicadores são consideradas informações sobre lançamentos, vendas, entregas, oferta final e distratos do mercado primário de imóveis residenciais e comerciais. Divulgados mensalmente, os números são referentes ao mês de abril de 2016.


Fonte: ABRAINC

RN acumula queda de 15,7% nas vendas de gasolina, diesel e etanol no 1° quadrimestre do ano

15 de junho de 2016 por vneto

Com exceção do Maranhão, todos os demais Estados do Nordeste registraram, no primeiro quadrimestre de 2016, queda na venda de gasolina comum, etanol e óleo diesel, os três combustíveis mais consumidos pela frota brasileira.

É o que mostra um cruzamento de dados, feito pelo blog, com base em dados da Agência Nacional do Petróleo.

Na região, o Rio Grande do Norte registra a segunda maior queda porcentual (-15,7%), perdendo apenas para Pernambuco, onde o tombo foi um pouco maior: (-17,2%).

De acordo com as planilhas da ANP, entre janeiro e abril, o RN registrou queda de (-0,6%) nas vendas de gasolina, com 210.113 metros cúbicos faturados pelas distribuidoras.

As vendas do etanol, combustível que outrora movia mais de 80% da frota de automóveis em solo potiguar, tiveram queda de (-6,7%), com 19.870 m3.

Com 156.294 metros cúbicos vendidos, o diesel teve a maior queda no Estado: (-30,6%). O volume é o menor desde 2012, quando as vendas acumuladas de janeiro a abril somaram 149.958 m3.

De uns 20 dias para cá, os preços começaram a cair nos postos de serviço de Natal.

O preço médio da gasolina tipo C encolheu de R$ 3,882 para R$ 3,812.

Nos três postos da Ribeira, bairro comercial da zona leste de Natal, o preço médio é de R$ 3,70.

Em um deles, a gasolina comum estava em promoção nesta terça-feira (14), a R$ 3,649; a gasolina aditivada a R$ 3,669 e o etanol a R$ 2,989.

….
PREÇOS MÉDIOS
Período: 05 a 11/06/2016

Mossoró 3,922
Caicó 3,866
Natal 3,812
Parnamirim 3,785
São José de Mipibu 3,772

Vendas no comércio do RN caem pelo oitavo mês seguido

14 de junho de 2016 por vneto

Está num rilize da Fecomércio/RN encaminhado nesta terça-feira à tarde, às redações:

“Vendas do Comércio Potiguar amargam oitava queda seguida e acumulado no ano já de (-9,9)”

O resultado já esperado.

A seguir a análise da Fecomércio:

Com uma queda de 8,4% em abril deste ano em relação a abril do ano passado, as vendas do Comércio Varejista Ampliado do RN já acumulam oito meses seguidos de perdas.

Desde junho do ano passado (quando houve uma ínfima alta de 1,2%) o estado não registra crescimento no faturamento deste que é um dos setores mais importantes da sua economia. Com o resultado de abril, o acumulado no ano já é de -9,9%, bem acima do -0,6% de queda registrado no primeiro quadrimestre de 2015 e um valor superior até mesmo à queda de todo o ano passado (-5,9%).

O presidente em exercício da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio Grande do Norte, Luiz Lacerda, afirma que, infelizmente, o resultado de abril já era esperado.

“O momento é de dificuldades. E abril não é um mês com nenhuma data forte na qual pudéssemos ter ensaiado uma retomada. O que esperamos é que em maio, na esteira do Dia das Mães e em junho, em virtude do Dia dos Namorados, possamos começar a aproveitar o clima de retomada da esperança em dias melhores, transformando isso em vendas”, diz ele.

A queda nas vendas potiguares no primeiro quadrimestre ficou acima da retração média nacional (que foi de 9,3%). O número de abril é o pior desempenho para o mês da série histórica, iniciada em 2005.

No quadrimestre houve queda nas vendas de praticamente todos os segmentos do varejo, com uma única exceção: Produtos Farmacêuticos e de Perfumaria, setor que emplacou alta de 1,5% no período. As maiores quedas foram verificadas nos segmentos de Eletrodomésticos (-16,7%) e Artigos para escritório e informática (- 16,2%).

Termoaçu está à venda

12 de junho de 2016 por vneto

O blog toma emprestado este texto do professor Alcimar de Almeida e Silva, postado num grupo de WhatsApp para informar sobre mais uma medida da Petrobras que afeta o RN.

***
Em nota publicada no Jornal Valor Econômico, edição de quinta-feira, 9 de junho, a Petrobras informou ter iniciado processo competitivo para a venda dos seus terminais de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Rio de Janeiro e no Ceará, com termelétricas associadas a esses terminais.

Pois bem, uma das termelétricas associadas ao terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Ceará outra não é senão a Termoaçu, implantada no Município de Alto do Rodrigues, oficialmente denominada “Jesus Soares Pereira”.

Investimento expressivo realizado na segunda metade dos anos 90, com grande emprego de mão-de-obra, a Termoaçu foi cantada em verso e prosa.
Mobilizou não apenas as esferas de governo federal e estadual, como a iniciativa privada, vendida como grande fato econômico.

Capetaneada por ela, o Governo do Estado instituiu até o Programa Gás-Sal, para o que criou até uma Secretaria Extraordinária, na expectativa de que fosse aquele investimento capaz de reativar a economia da região salineira.

Mas eis que a festa durou pouco e não foi além de implantação e funcionamento daquela termoelétrica que agora está sendo oferecida à venda. Com capacidade de de geração de 3.136 MW, juntamente com a Termoceará e a Termofortaleza, a Petrobras espera obter de sua venda valor variável entre 3,8 e 6,3 bilhões de dólares.

Enquanto isso mais um sonho do Rio Grande do Norte se desfaz, porquanto o adquirente do ativo jamais irá se voltar para o que um dia imaginou o governo e o povo do Rio Grande do Norte.

…..
Alcimar de Almeida Silva, Advogado, Economista, Consultor Fiscal e Tributario

TJRN confirma pagamento da primeira parcela do 13º este mês

10 de junho de 2016 por vneto

Enquanto o governo federal cancela a antecipação da primeira parcela do décimo terceiro alegando dificuldades de caixa – e prefeituras e governos estaduais enveredam pelo mesmo caminho -, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte confirma para junho o pagamento de 40% do abono natalino.

O dinheiro será creditado na sexa-feira, dia 17, segundo garante o presidente do TJRN, Cláudio Santos.

São R$ 20 milhões, para a felicidade do comércio.

“É uma maneira de ajudar a circular mais dinheiro na economia do estado, uma medida importante e vai ser muito positiva para o comércio, gerando também maior recolhimento de impostos”, comemorou o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Norte (FCDL/RN), Afrânio Miranda.

INSS
A antecipação do dinheiro para aposentados e pensionistas do INSS era uma tradição desde 2006.

No ano passado, o então ministro Joaquim Levy tentou uma “reengenharia”, mas diante da repercussão negativa, voltou atrás e o pagamento foi feito em setembro.

Em 2015, a antecipação do décimo terceiro para 467.950 beneficiários “injetou” (desculpem o termo) R$ 213,7 milhões na economia potiguar.

Etene aponta inflação no Nordeste superior ao índice nacional

10 de junho de 2016 por vneto

A inflação no Nordeste em maio alcançou o índice de 9,7% no acumulado de doze meses, superior ao verificado em âmbito nacional, de 9,3%, para o mesmo período.

A avaliação é do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de estudos regionais do Banco do Nordeste.

De acordo com o estudo, Fortaleza apresentou a maior taxa de elevação de preços na região, chegando a 11%. Em seguida, aparecem Salvador, que registrou inflação de 9,5%, e Recife, que assinalou índice de 9,2%, ligeiramente inferior à base nacional.

Na avaliação mensal de maio, as três principais capitais do Nordeste registraram variações positivas em comparação a abril.

Fortaleza alcançou 1,0%; Salvador, 0,9%, e Recife, 0,8%, todas com taxas superiores à média nacional para maio, de 0,8%.

O índice regional de inflação é composto por nove grupos de preços. “Alimentos e bebidas”, que tem o maior peso no cálculo, foi o mais significativo para o resultado de maio, no comparativo de doze meses.

No Nordeste, esse grupo alcançou 14,6% de inflação, ante 12,7% em nível nacional.

Na análise mensal, o grupo “Habitação” apresentou a maior elevação de preços no Nordeste, crescendo 2,1% na região, índice puxado também pelos aumentos em Fortaleza (2,6%), Recife (2,4%) e Salvador (1,8%).

O índice regional de inflação do Etene é elaborado a partir de metodologia própria e utiliza dados oficiais para construir base de análise ampla, válida para toda a região.

Ele é resultado de monitoramento periódico do Etene e complementa as informações divulgadas mensalmente, no âmbito nacional, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O trabalho é conduzido pelos funcionários do Banco do Nordeste Antônio Ricardo de Norões Vidal (economista, mestre em Administração de Empresas) e Allison David de Oliveira Martins (economista, mestre em Economia).


Imprensa BNB

Cesta básica pesquisada pelo Dieese sobe 0,9% em Natal

7 de junho de 2016 por vneto

A cesta básica pesquisada pelo Dieese subiu 0,9% em maio na capital do Rio Grande do Norte – Natal.

Fechou o mês a R$ 337,49, equivalente a 41,69% do salário mínimo líquido.

No ano, o aumento acumulado é de 8%.

O reajuste de maio foi puxado pelo feijão, que deu um salto de preços de 10,57%; pela farinha (6%) e leite (3,38%).

Em contrapartida, o preço do tomate caiu (-7%) e o do açúcar (-2,4%).

No ranking das cestas básicas mais baratas do país, Natal ocupa a segunda posição. Perde apenas para Rio Branco (R$ 335,31).

O mercado de alimentos de Natal acompanhou a tendência na maioria das capitais brasileiras.

De acordo com o Dieese, em maio a cesta teve aumento em 17 das 27 capitais.


CESTA BÁSICA
Natal – maio de 2016

Valor: R$ 337,49
Variação no mês: 0,90%
Variação no ano: 8,01%
Porcentual do Salário Mínimo Líquido: 41,69%
Tempo de trabalho: 84h22

IRPF: consulta ao primeiro lote de restituição sai amanhã

7 de junho de 2016 por vneto

A Receita Federal libera nesta quarta-feira (8) a consulta ao primeiro lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2016.

Também estão no “bolo” restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2015.

O crédito bancário para 1.612.930 contribuintes será realizado no dia 15 de junho.

Neste primeiro lote, prioridade idosos e pessoas com alguma deficiência física ou mental ou doença grave.

Para saber se teve a declaração liberada no lote multiexercício, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone (telefone 146).

O órgão disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones que facilita consulta às declarações e à situação cadastral no CPF.

Se o contribuinte tiver dúvida sobre a situação da declaração poderá consultar o Serviço Virtual de Atendimento (e-CAC) na página da Receita, onde é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento.

No caso de identificação de algum problema, a Receita recomenda a entrega de uma declaração retificadora.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la por meio da Internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

….
ATENDIMENTO
Capitais: 4004-0001
Demais localidades: 0800-729-0001
Pessoas com deficiência auditiva: 0800-729-0088


Informações: EBC