Quem está viajando com a Azul a partir de Curitiba não precisa mais enfrentar aquelas longas e demoradas filas que se formam no portão de embarque pelos aeroportos do mundo. Isso porque a companhia está revolucionando a forma como a indústria da aviação realiza o acesso de seus clientes até os assentos do avião. O aeroporto da capital paranaense foi o escolhido pela companhia para ser o primeiro no mundo a contar com uma tecnologia e sistema inovadores e exclusivos da Azul que indicam para cada cliente qual o seu momento de embarcar no avião, além de organizar de uma forma rápida e prática a fila de acesso à aeronave.

De quebra, a tecnologia pioneira no mundo contribui para garantir o distanciamento social entre as pessoas em tempos de pandemia, já que os clientes convocados para o embarque ficam a quatro metros de distância entre si. O Tapete Azul é composto por um conjunto de projetores e monitores, que, por meio de realidade aumentada, indicam ao cliente o momento certo de embarcar. No chão, os projetores formam um tapete virtual colorido e móvel, que convida a pessoa a se posicionar na fila de acordo com seu número de assento. A inovação, segundo estima a companhia, vem proporcionando uma diminuição de cerca de 25% no tempo em que uma pessoa leva entre embarcar e sentar dentro do avião, redução que pode ser ampliada ao longo do desenvolvimento do produto.

 Veja um vídeo de como funciona a tecnologia:

Além do Afonso Pena, outros 17 aeroportos serão contemplados com o Tapete Azul até o fim do ano. Somadas, essas bases terão 100 portões de embarque com o Tapete Azul, respondendo por cerca de 70% dos embarques de voos domésticos da Azul.

 O Tapete Azul já está em fase de testes em Goiânia e em Viracopos, principal aeroporto da Azul e maior centro de distribuição da América do Sul. A expectativa da companhia é de que o tapete desembarque até o fim do mês no Santos Dumont, no Rio, em Salvador e Belo Horizonte.

Deixe um comentário