Locação via Airbnb possibilita renda de US$ 600 milhões a mulheres do mundo todo na pandemia

Aairbnb
A pandemia tem afetado profundamente a vida das pessoas nos mais diversos aspectos. E, no que diz respeito ao emprego, os dados relacionados às mulheres impressionam. Segundo pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 8,5 milhões de mulheres saíram do mercado de trabalho formal, com carteira assinada, no Brasil em 2020. Para muitas, tem sido necessário se reinventar e procurar novas oportunidades de renda em tempos tão desafiadores.

De acordo com um estudo global realizado pelo Airbnb, as mulheres que entraram na plataforma como anfitriãs entre janeiro de 2020 e fevereiro de 2021, oferecendo uma única acomodação para aluguel por temporada, somaram mais de US$ 600 milhões em renda no período. No Brasil, 54% dos anfitriões são mulheres.

A renda obtida com a locação por temporada via Airbnb tem representado um apoio financeiro fundamental para mulheres e suas famílias no mundo todo. E, ao longo de 2021, à medida que a vacinação avance nos diversos países, e também no Brasil, as anfitriãs querem estar preparadas para receber os novos perfis de viajantes que surgiram no contexto da mudanças motivadas pela pandemia, que trouxeram novas perspectivas e prioridades.

Aspectos de limpeza e higienização, por exemplo, passaram a ter ainda mais relevância na decisão dos hóspedes em relação à estadia, e locais com menor fluxo de pessoas, como casas de campo e em cidades menores de praia, ganharam a preferência dos hóspedes, longe de multidões ou alta rotatividade. Além disso, a maior presença do trabalho remoto e da educação à distância contribuem para deixar menos clara a divisão entre trabalho e lazer, e muitas famílias têm buscado refúgio fora da cidade grande, mais perto da natureza, e, ao mesmo tempo, com boa infraestrutura, para conciliar descanso com a família e trabalho em home-office.

No Brasil, o Airbnb tem percebido, desde maio de 2020, um aumento da procura por casas de campo e em cidades menores de praia, a até 300 km dos centros urbanos, para ir de carro com a família, sem abrir mão do isolamento, e conciliar lazer e trabalho remoto. Entre os destinos em destaque, estão Campos do Jordão, Petrópolis, São Sebastião, Ubatuba, Riviera de São Lourenço, Cabo Frio, Guarujá e Sorocaba.

A anfitriã Renata Fernandes tem compartilhado seu entusiasmo desde que fez seu primeiro anúncio no Airbnb, há mais de 5 anos, em São Bento do Sapucaí, na região de Campos do Jordão, a 200 km da cidade de São Paulo, e não abre mão da esperança e do otimismo mesmo em tempos difíceis. “A melhor parte da minha experiência como anfitriã é ter podido compartilhar com pessoas do mundo todo um pouco do que é estar em um lugar como este onde vivo, e ter me conectado com muitas delas a ponto de visitá-las onde elas também são anfitriãs”, diz.

A todas as mulheres que precisam de mudança, que estejam interessadas em se tornar anfitriãs ou que desejam aprender mais sobre o Airbnb, mais informações estão disponíveis aqui. Nós do Airbnb, a Renata e toda a nossa comunidade anfitriã teremos o maior prazer em receber vocês.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.