Problemas, das mais diversas causas, estão sempre nos desafiando, dificultando o nosso dia a dia. A vida é assim, um permanente enfrentamento de problemas… Eles sempre existirão, mas o segredo é estarmos cada vez melhores para enfrentá-los, não é? Existem alguns problemas que são mais delicados, difíceis de se compreender e de serem solucionados sozinhos. Um exemplo é o problema sexual.
Muitas vezes, a pessoa se acostuma a sofrer e deixa de procurar ajuda profissional, talvez por vergonha devido à educação repressora, sentimento de impotência ou anormalidade frente à situação, desinformação sobre sexualidade ou até dificuldade de encontrar profissionais habilitados para ajudar. Atualmente mais de 50% da população brasileira apresenta alguma dificuldade em nível sexual, algum problema relacionado à sexualidade. As disfunções sexuais mais comuns nos homens, são a disfunção erétil (antigamente chamada impotência), a ejaculação precoce ou rápida, a ejaculação retardada e a diminuição ou perda da libido.
Nas mulheres, as principais queixas são a diminuição ou perda do desejo sexual, dificuldade na excitação sexual, dificuldade relacionada ao orgasmo e dor sexual (dispareunia, vaginismo). Falarei de cada um nos textos seguintes, certo?
A terapia sexual serve para resolver, basicamente, esses problemas, ou seja, toda e qualquer disfunção ou insatisfação de cunho sexual. Por isso, em geral, é um tratamento mais rápido, mais focal. A terapia sexual normalmente envolve o casal, mas também pode-se trabalhar com o paciente individualmente. Ela deve ser realizada somente por psicólogos ou médicos com pós-graduação ou especialistas na área de sexualidade.
Muitas pessoas têm medo do que podem descobrir a respeito de si mesmas e por isso não procuram auxílio. Mas, acredite! Quando você decide iniciar uma terapia sexual, já está 50% melhor, só pelo fato de ter conseguido reconhecer que tem problemas sexuais, que precisa de ajuda e ter tomado a decisão de melhorar.
As disfunções sexuais são consideradas sintomas psicossomáticos, ou seja, são a expressão no corpo de um profundo distúrbio emocional. A maioria, quase totalidade, dos problemas sexuais tem causas psicológicas e emocionais. A proposta da terapia sexual é transpor, com a orientação adequada e de forma breve, os obstáculos que interferem no bom funcionamento da relação sexual. Não há contatos íntimos com o paciente, todas as atividades são discussões e orientações técnicas e profissionais, através de exercícios e tarefas eróticas desenvolvidos preferencialmente pelo casal, em casa, sem a presença do terapeuta.
A terapia sexual ajuda na aproximação do casal, melhora a comunicação, o conhecimento do próprio corpo e do corpo da parceria, descoberta de novas possibilidades de prazer e excitação para si mesmo e para o outro. Enfim, trabalha em favor de uma sintonia sexual.
Fazer terapia sexual é melhorar o sexo, mas é ir muito mais além… É poder além de eliminar a dor, o incômodo e a insatisfação, conhecer a real vivência do sexo, como uma atividade íntima, prazerosa e saudável, sem medo de um real encontro, sem medo de ser feliz…

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

WordPress spam blocked by CleanTalk.