Lamentavelmente, a imensa maioria de homens e mulheres está muito pouco informada sobre a sexualidade humana. Não é de se estranhar, então, que diante de quadro ainda tão inundado de ignorância, surjam, em forma de alternativas, mitos, crendices, mal-entendidos generalizados e meias-verdades.
A família, a sociedade, a nossa cultura, a religião, vão estabelecendo regras sobre o que é certo e errado, permitido e proibido, bom ou ruim. Estas regras acabam moldando crenças e mitos e a sexualidade é campeã em ideias erradas e distorcidas. E esses mitos e crenças, talvez sejam uma proteção contra a angústia ante o desconhecido… Ah! Como o saber pode libertar…
Já pensou sobre quais são suas crenças sexuais? Pensou também se estas crenças são limitantes? Se elas, de alguma maneira impedem você de viver a sexualidade de forma plena? O que me chama a atenção, mesmo sendo um assunto pouco falado, mas muito sentido é sobre uma crença muito difundida entre as pessoas: o homem, o elemento masculino, não tem por que instruir-se em assuntos sexuais: conhece tudo sobre a matéria. Indiscutivelmente, e na trilha desse pensamento falso, a leitura de algo que o informe, o enriqueça com conhecimentos sexuais, pode converter-se em sinal de fraqueza, de “ser pouco macho” e, inclusive em alguns casos, pode fazer recair sobre ele a suspeita de homessexualidade.
Com muito esforço e persistência, vamos, pouco a pouco, executando a difícil tarefa de ajudar a trazer conhecimento que substituam a falta do saber…
No caso dos homens, existem vários mitos que podem causar dificuldades sexuais. Vou falar de um que talvez seja dos maiores é o “O TAMANHO DO PÊNIS INFLUI NO PRAZER”
Desde sempre, o tamanho do pênis é associado à força e ao poder masculino. Não é estranho, portanto, que TUDO, absolutamente tudo o que se relacione com força, potência sexual e virilidade, esteja condicionado ao tamanho do pênis. Por isso, o mito do tamanho do pênis relaciona um pênis menor com a impossibilidade de conseguir ficar ereto, ou de obter ou dar prazer.
No caso dos heterossexuais, os homens costumam achar que as mulheres dão muita importância ao tamanho do pênis. Os que cultivam essa crença talvez nunca consultaram uma mulher sobre esse assunto. E se fizessem isso ficariam surpresos em saber que o mais importante para elas é a capacidade do homem em ser agradável, atencioso, envolvente e com opiniões firmes.
Portanto, É PRECISO DIZER CLARAMENTE, QUE O PRAZER DO HOMEM E DA MULHER NÃO TÊM ABSOLUTAMENTE NENHUMA RELAÇÃO COM O TAMANHO DO PÊNIS. E por uma simples razão. Hoje se sabe, com segurança, que a área de maior sensibilidade feminina é o clitóris e a entrada do canal vaginal. Todo órgão masculino capaz de “roçar” a parte inicial da vagina estará tocando direta ou indiretamente o clitóris e o tecido ao seu redor: a parte anterior da vagina. Então, não passa de ingenuidade pretender ter alguns centímetros a mais de pênis. O mais importante será, no momento do sexo, que o homem e a mulher busquem juntos a zona de maior sensibilidade e assim se descubram.
Então, por que desejar ter alguns centímetros a mais de pênis? O prazer está ligado na sintonia, na química do casal! É isso que importa na hora do sexo. Ser um bom amante não depende da anatomia, mas da qualidade, da sedução, do carinho e dos bons sentimentos envolvidos…
Então, que fique claro: “Pequeno, grande, grosso ou fino, o homem precisa saber usar. Esse é o segredo”

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

WordPress spam blocked by CleanTalk.