Do JotaInfo

A União, representada pela Advocacia-Geral da União (AGU), enviou notificação extrajudicial à revista IstoÉ pedindo direito de resposta por uma capa crítica ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na gestão da pandemia.

Na última sexta-feira (15/10), a revista estampou foto de Bolsonaro remetendo a Adolf Hitler sob o título “As práticas abomináveis do mercador da morte” e bigode referente ao nazista formado com a palavra “genocida”.

A reportagem da revista aborda relatório final da CPI da Covid-19.

“O Brasil está enfrentando seu momento Nuremberg [tribunal que julgou crimes do regime nazista]. É hora de compreender a extensão da catástrofe perpetrada pelo presidente e por seus asseclas. E é o que a comissão está fazendo”, afirma o texto. E afirma que a comparação com a ditadura de Hitler se dá porque o relatório aponta que Bolsonaro adotou práticas do regime. É dito que Bolsonaro “patrocinou experiências desumanas inspiradas no horror nazista”.

A AGU afirma que “essa veiculação não condiz com a verdade dos fatos” e que “a notícia veiculada atinge direta e indevidamente a imagem do Presidente da República, como chefe de Estado e do governo no país e no exterior”.

RECOMENDAÇÃO DE NOVA REPORTAGEM 

A AGU recomenda que se substitua o título, em edição próxima, de “Arquiteto da tragédia” por “Vidas, empregos, dignidade”.

Na capa, Bolsonaro acenando e em desfile de 7 de setembro, além de abraçado por brasileiros.

“Comparar este Governo a um que planejou e executou o extermínio do próprio povo é um artifício ao mesmo tempo ridículo, pueril, acintoso e criminoso. E chega a ser um deboche com a inteligência de quem ainda lê esta revista”, pretende que publique a revista, segundo a AGU recomenda como direito de resposta.

A notificação extrajudicial é assinada pelo advogado-geral da União, Bruno Bianco, pelo procurador-geral da União, Vinicius Torquetti Rocha, e por Bruno Luiz Dantas de Araújo Rosa, adjunto do AGU.

Eles afirmam no documento que “a eventual recusa no atendimento da presente notificação, no prazo de 7 (sete) dias, caracterizará, nos termos do art. 5º da Lei nº 13.188/2015, o interesse jurídico para a propositura da ação judicial correspondente, sem prejuízo da adoção das demais providências cabíveis no âmbito penal e cível”.

Comentários do Site

  1. Luciana
    Responder

    Uma revista que seu dono faz jantar para Moro, Doria e Mandetta ?!??! Retratação é o mínimo d veria haver punição para esse tipo de imprensa tendenciosa que desinforma e tenta manipular os ignorantes ( que graças a Deus estão decrescendo , o povo acordou !) . Em um país sério , com legislação rígida , essa revista seria fechada ! Precisamos mudar o legislativo para que tenhamos leis sérias e. STF para que essas sejam cumpridas !

    • observanatal
      Responder

      O povo acordou: Passa pano em todo canto para justificar um idiota, um corrupto mamador das tetas do poder público. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Os neonazis deveriam acionar a justiça contra a revista e pedir retratação pela comparação com Bolsonaro, que macula a imagem de Hitler.

Deixe um comentário