img_noticia_prev

Reforma da Previdência aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira.

Primeiro turno, ok. O segundo turno será votado na próxima terça-feira, mas nada deve atrapalhar a repetição do placar.

Apesar do entendimento costurado na última terça-feira e confirmado hoje, a governadora Fátima Bezerra não foi poupada pela oposição em ataques pela incoerência de discurso e por apresentar proposta “mais maléfica” ao servidor do que a aprovada no Governo Bolsonaro.

Os deputados veteranos da Casa, José Dias (PSDB) e Getulio Rego (DEM), dos mais contundentes.

Onde o PT não é Governo, é Oposição à Reforma da Previdência. Não precisa ir muito longe, temos um exemplo aqui pertinho na Casa Legislativa de Natal”, disse o deputado Democrata Getulio Rego

Quem ganha um salário mínimo na Reforma da Previdência de Bolsonaro o desconto é de 5,7%, na do Rio Grande do Norte será de 11 %. Então é uma questão de matemática, disse o deputado tucano José Dias. 

Comentários do Site

  1. Solange Pereira da Silva
    Responder

    Realmente o que é oposição!!! Se a governadora não faz essa reforma, todo mundo sabe que não viria verba do governo federal para as grandes obras. Haveria uma retaliação. Isso é fato. Aí vem a oposição com essa conversa fiada. Poupe-me!!! Tudo tão inocente. Quanto a participação dela na reforma, era constante com sua equipe econômica fazendo o que for de menos ruim para nosso povo. Quem inventou essa reforma, não foram os governadores, mas sim exigência do governo federal. A contra partida para poder recebermos verbas. Agora, a oposição vem com essa historinha de trancoso. E o município de Natal? O que dizem vocês?

    • observanatal
      Responder

      Fátima, a governadora do diálogo.

      Ninguém disse que não era necessário fazer a reforma da previdência, inclusive para o governo federal. Agora, dizer que ela procurou o melhor? Melhor para quem??? Falou tanto de Bolsonaro e fez pior. A ALRN afrouxou, se acovardou, ou negociou bem.

      Natal teve que fazer também, mas pelo menos foi discutido. O governo agora vai querer falar da prefeitura pra se livrar do desgaste? Hahahahahaha

  2. Jian Alves
    Responder

    O deputado em questão, que é de péssima reputação, não lembrou contudo, que a gigante maioria dos estados, aprovaram a reforma com descontos a partir de 14%, a do RN o desconto inicial é bem menor que a dos demais estados 11%.

    Além disso, ele, provavelmente por má fé, não em interesses positivos “esqueceu” de lembrar que praticamente não há funcionário ganhando 1 salário no Governo Federal, por isso o desconto é menor, porque não tem impacto mesmo, ao passo que nos estados, onde a quantidade de servidores recebendo salários mais baixos é a bem maior, a cota é mais elevada, porque é justamente onde se concentram os salários e para os descontos terem algum impacto na economia.
    Todos os estados fizeram Reforma administrativa, e a do RN está entre as últimas a serem aprovadas, e ainda com uma cota inicial bem inferior a dos demais 11%, enquanto que os demais estados iniciaram com 14%.

Deixe um comentário