0F97EA92-ACAC-4B81-A4AA-569098A66496

Por Molly Walker, editora-adjunta do MedPage Today, em 27 de outubro de 2021

Certas pessoas imunocomprometidas podem agora receber, e em alguns casos, devem receber, uma quarta dose da vacina COVID-19, disse o CDC – Centro de Controle e Prevenção  de Doenças, em uma orientação clínica provisória, atualizada esta semana.

Adultos “moderadamente ou gravemente imunocomprometidos” com 18 anos ou mais, que receberam uma dose adicional de vacinas de RNA-mensageiro da Pfizer ou Moderna, podem agora receber uma dose de reforço de Pfizer, Moderna ou Jansen,  pelo menos 6 meses após completarem sua terceira dose, disse a agência.

Eles acrescentaram que se um adulto imunocomprometido moderado a gravemente recebeu uma série de duas doses de Pfizer ou Moderna, e mais de 28 dias se passaram, essa pessoa deve receber “imediatamente” uma dose adicional de Pfizer ou o volume de dose total de 100  μg para Moderna, seguido de uma dose única de reforço com qualquer uma das três vacinas autorizadas, pelo menos 6 meses depois.

No entanto, uma pessoa imunocomprometida moderada ou gravemente “que recebeu uma dose única da vacina Janssen COVID-19 não deve receber mais do que duas doses, de acordo com a orientação.

Esses indivíduos devem receber uma segunda dose de Pfizer, Moderna (no volume de dose de reforço de 50 μg) ou Janssen pelo menos 2 meses depois.  “A equipe clínica do paciente está melhor posicionada para determinar o momento apropriado de vacinação”, afirmam as recomendações.

O CDC observou a diferença nas duas recomendações, colocando em negrito a palavra “pode” para aqueles que receberam uma série primária com vacina de mRNA e “deveria” para aqueles que receberam uma série primária com Janssen

Além disso, a agência recomenda que os indivíduos que desenvolveram miocardite ou pericardite após uma dose da vacina de mRNA devem adiar o recebimento de uma dose subsequente “até que dados de segurança adicionais estejam disponíveis”.

TL Comenta:

As farmacêuticas produtoras das vacinas ainda não definiram a periodicidade das doses que a princípio, esperava-se, seriam anuais.

Com o anúncio de uma quarta dose para o grupo dos imunocomprometidos, é possível que em breve, aos mais vulneráveis e idosos, seja oferecida também, a segunda dose de reforço.

Deixe um comentário